A DEMOCRACIA É IRREDUTÍVEL*

Desculpem-me se já começo o artigo apelando às repetições, mas não há como deixar de registrar que a melhor frase sobre esta província lambuzada de dendê e de exclusão foi proferida pelo menino Otávio Mangabeira, sempre ele. Às aspas. “A Bahia está tão atrasada que, quando o mundo se acabar, os baianos só vão saber cinco anos depois”.

Pois muto bem, digo, pois muito mal. Mutatis mutandis, tão impiedosa sentença mangaberiana se aplica ao futebol, especialmente ao confuso momento, mais um, pelo qual passa o brioso Esporte Clube Vitória. Afinal, enquanto a esmagadora maioria dos clubes, inclusive nosso rival, já avançou no processo democrático, mesmo com todas as imperfeições e interferências governamentais, no Rubro-Negro ainda estamos na época das capitanias hereditárias.

Aliás, aqui, a história não se repete como farsa, pois o ponto de partida já é farsesco. E apenas continua assim ad infinitum. As diretorias que se sucedem agem como se o Clube fosse apenas um brinquedo que o bondoso pai entrega ao filho. Às vezes, eles até têm algumas desavenças entre si, em uma espécie de briga de meninos birrentos, porém nunca aceitam transformações verdadeiras. Os dirigentes, com tanto e tamanho descaso, parecem olvidar que estão no comando (?) de uma instituição que atinge a mente e, principalmente, o coração de milhões de adeptos.

E tal procedimento nefasto acaba levando ao que o Movimento Vitória Livre, um dos que lutam pela libertação do Vitória, tão bem diagnosticou em um recente manifesto. Novas aspas, maestro.

“O Esporte Clube Vitória padece de um paradoxo fundamental: quer se estabelecer como um time de massas, ampliando o número de associados, ao mesmo tempo em que deseja manter uma carcomida estrutura baseada na familiocracia e no mandonismo.

Se, ao longo da centenária história, já tivemos glórias nas quatro linhas, no quesito respeito ao torcedor, principal razão da existência de um Clube, a diretoria do Vitória permanece numa eterna e vergonhosa zona de rebaixamento.

É óbvio que, em algum momento, esta esdrúxula equação se tornaria incompatível, provocando um completo divórcio entre os anseios da torcida e os tenebrosos projetos de perpetuação de poder de uns poucos”.

Mas, nem tudo é choro e ranger de dentes. O momento da torcida do Leão efetivamente chegou. Já existem várias grupos batalhando nas mais variadas frentes e o batalhão dos que acreditam em um novo tempo no Clube só faz crescer. Não adianta eles acenarem apenas com anéis para manterem os dedos apontando sempre para o retrocesso. Não. Os torcedores do Vitória saberão repudiar toda e qualquer manobra, até porque a imensa maioria dos leoninos quer e vai exigir não só eleições diretas, mas também eleições proporcionais para o conselho e, principalmente, a possibilidade do sócio-torcedor participar ativamente do processo eleitoral. Chega de ser apenas um mero votante que ratifica os mesmos conselheiros de sempre. A mudança deve e tem que ser real, profunda. Não aceitaremos menos do que isso. E os que tentarem enganar a massa Rubro-Negra ouvirão o mesmo brado da combativa Dolores Ibárruri: No Pasarán!

Entendemos que a democracia é um valor irredutível.

 

* Texto publicado originalmente na edição de domingo, dia 26, no Caderno de Esportes do Jornal A Tarde

Anúncios

6 Respostas to “A DEMOCRACIA É IRREDUTÍVEL*”

  1. Duilio Camardelli Says:

    Texto muito bem fundamentado, mais uma vez seu Franciel dando show de bola, assim se faz valer o direito da “DEMOCRACIA”

  2. dogaoecv Says:

    Excelente texto condiz o momento que passamos realmente estamos na época da colonização com um Tome de Souza, como presidente, parabéns Franciel, de tanto insistir vç atualizou o blog. forte abraço amigo.

  3. J Mocota Says:

    “EL, EL, EL… SAI QUE É SUA FRANCIEL!!!”

    “EL, EL, EL… SAI QUE É SUA FRANCIEL!!!”

    “EL, EL, EL… SAI QUE É SUA FRANCIEL!!!”

    ———–

    Pôxa Franciel!

    Como você é sabido.

    A irmã de Mocota falou que você é um garoto tão bom que queria que você fosse o nosso irmão também.

    ——————————-
    Franciel!

    Mocota espalhou a seguinte filosofia no universo virtual baiano.

    Veja se você aprova:

    “Hoje, a luta da torcida do Vitória não pode ser mais contra pessoas, e sim, contra o sistema arcaico e ditador que tem como objetivo principal beneficiar direta ou indiretamente uma moquequinha de 186 conselheiros.

    PS – Amado irmão Rubro-Negro! Enquanto sócio não puder votar é PUBLICO ZERO!”

    ——————————————

    Eleições Diretas em 2016.

    Avante Leão!

  4. Marcos Says:

    Muito bom Franciel. O meu sou mais Vitória e do meu filho, vencem em julho e eu não renovarei mais caso não haja um projeto de eleições diretas já.

  5. Robertinho Says:

    Esse texto até Alan “André Catimba” Pinheiro aplaudiu. Aliás, que saudade do futebol maroto dessa joia. Sente saudade não, seu Franciel?

    A torcida acordou e a democracia é um caminho sem volta! Chegou a nossa hora!

  6. BritoECV Says:

    O E.C.Vitoria sempre foi um time revolucionário e de questões éticas bem enraizadas. Não perderemos isso. Como Franciel bem disse, vamos lutar e não aceitaremos menos que nosso direito de amar nosso time e participar de sua vida política.
    #DiretasJá #SouMaisVitoria #AcordaLeão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: