VAIAS? PRA QUE TE QUERO?

Os que habitam o cimento das arquibancadas sabem que ali é o local onde levamos ao paroxismo nossos delírios, frustrações, desejos, esperanças e outras ficções. Entre um longo degrau e outro e os quase intransponíveis alambrados, aproveitamos as verdades absolutas e os fingimentos dos 90 minutos e das prorrogações para conviver e expulsar nossos demônios, longe do falso conforto gourmetizado dos pei pé vius que transmitem a vida sem riscos nem outras estripulias arrebatadoras, pois tudo tá ao alcance do controle remoto.

Lá, no estádio, especialmente no Barraquistão, nécaras. Não há replay, nem ensaio. É tudo à vera, no quente, na hora, sem direito a água com açúcar para acalmar angustiantes e intensas emoções. Portanto, com o couro curtido em ancestrais pelejas nestes inconsequentemente deliciosos e insalubres ambientes não sou eu que vou dizer ou determinar o jeito de torcer de seu ninguém. Cada um que siga o que lhe manda a (in) consciência no momento.

– Ah, sêo Françuel, chega desta conversa atrapalhada metida a filosofia poética. Eu quero saber é o seguinte: como é que foi o jogo, pois estava num reggae e não achei carona para ir ao Barradão? Pergunta-me a sumida e impaciente moça do shortinho Gerasamba.

Como nunca deixo a referida sem resposta, tentarei falar sobre o jogo, mas sem esquecer de tratar do que já desenvolvi nos dois parágrafos anteriores, senão os parcos leitores vão me acusar de estar enrolando mais do que tiago surreal no meio de campo do Vitória.

Sem longas nem muitas delongas, seguinte foi este. A partida foi decidida e protagonizada, para o bem e para o mal, pelos meninos da base e também por um rapaz renegado por todos, inclusive por este rouco e cabeludo locutor.

Apesar dos 829 desfalques, o Vitória começou bem, pressionando o Sport e etc e coisa e tals. Amaral, ex-meio campista e atualmente baiana de acarajé, perdeu um gol de cara. Logo depois Dagoberto recebeu um lançamento primoroso de Euller e, mais uma vez, ficou no quase. Dominou errado e mandou um (mais um) peteleco para a meta. (Ah, imaginem se fosse o contrário. Uma hora desta estaríamos todos no velório do lateral-esquerdo. Porém, como Dagoberto o novo queridinho da torcida, ele tem todo o direito de ficar no quase. Pouco importa que tenha sido contratado a peso de feijão para balançar as redes e não pra ficar no quase).

Mas derivo. O fato é que, em um erro de posicionamento da defesa o Sport abriu o placar e vi que a casa poderia feder a homem. E isso só não aconteceu porque, ato contínuo, o juiz expulsou um jogador do leão pernambucano. No final do 1º tempo, o renegado Vander fez um belo gol e um gesto mais bonito ainda ao se desculpar com a torcida pelas suas feiuras recentes.

Mas, esqueçamos isso. Vamos falar de beleza. Que obra-prima o segundo gol do Vitória. Um lançamento genial de William Farias para o CRACAÇO Euller se infiltrar no meio de 18 zagueiros, dominar no cangote e mandar de direita para as redes.

Pouco tempo depois, em um cruzamento certeiro de Vander, o menino Nickson, que substituiu Amaral e fez uma partida monstruosa, guardou o seu de cabeça. 3 x 1. Jogo praticamente decidido, pois mais um jogador do Sport foi expulso, né? Sim, se não estivesse em campo o Vitoria, que não consegue entender a vida sem dificuldades.

Faltando pouco mais de 15 minutos, a zorra começa a desandar, para todos os lados. Rafaelson entra no lugar de um aplaudidíssimo tiago real e torna-se protagonista de cenas lamentáveis. As cenas lamentáveis que falo não são exatamente os gols que o referido perdeu, mas sim a raiva, o ódio que isso provocou na torcida. Pouco importa que o menino (ele tem apenas 19 anos) estava quase um semestre parado. Aliás, pouco, não, nada importa. A mesma torcida que tem uma paciência de jó para a inoperância de tiago real, para o quase Dagoberto, para as entregadas de amaral, não suporta 15 minutos de Rafaelson perdendo gols. Pra piorar, o Vitória sofre o segundo. Alguns séculos de aflições e a partida termina, sob vaias estrondosas, apesar do triunfo.

É direito do torcedor vaiar? Óbvio, claro, cristalino. Gastei exatamente os parágrafos iniciais falando disso. Porém, é no mínimo contraditório que esta mesma torcida silencie diante de tantas e tamanhas infâmias e se exaspere desta forma com um guri. Parece que não aprendemos. Outro dia, vigorava uma campanha para mandar o maldito do Euller embora, com urgência. Hoje, todos amam o rapaz desde sempre.

Antes que algum incauto venha dizer que estou querendo, com isso, garantir que Rafaelson será o futuro Euller, respondo logo: Não, claro que não. E, no embalo, aproveito para perguntar: nossas vaias servem apenas para os meninos da base, para os desvalidos? Será que não gastaremos nossas gargantas para recriminar os malditos dos andares superiores, sejam os jogadores de grife (em fim de carreira) ou mesmo os dirigentes que estão a nos enrolar nas questões substanciais, como as contratações e a democratização do Clube?

Bom, como disse, e repito, cada um faz o que entende ser certo. Assim, enquanto muitos acham que devem perseguir os guris da base, este rouco e cabeludo locutor continuará aqui bradando contra outras injúrias e em prol do direito do torcedor interferir na vida do Leão.

O cracaço Euller abre os braços para receber o menino Nickson no clube dos ex-renegados

O cracaço Euller abre os braços para receber o menino Nickson no clube dos ex-renegados

Por isso, encerro uma vez mais com o tradicional grito: DIRETAS, JÁ!!!

P.S Sem querer sem cabotino nem profeta do acontecido, informo que, no dia anterior, antes de mais uma exibição brilhante de Euller, larguei a seguinte ode ao referido. Confira comigo no replay, AQUI, Ó

Anúncios

19 Respostas to “VAIAS? PRA QUE TE QUERO?”

  1. jbassu Says:

    pei pé vius….essa foi de mijar nas calcas!!!
    A torcida do Vitoria nao muda. Essa atitude de “impaciencia” com os meninos da base vem de muitos anos.
    Qual a bola que Amaral e Tiago Mirreis estao jogando???
    Assim como defendo o Euler, faco o mesmo com o Flavio. Acho que so eu que vejo o potencial dele.
    Belo texto seu menino.
    Um abraco

  2. CLAUDIO REIS Says:

    Antônio Banderas do vasto Nordeste de Amaralina, perfeito. Nessa Bahia de Tieta e ACM so quem tem couro curtido em ancestrais pejejas são você e Elomar. Parabéns.

    • Franciel Says:

      Você levou um pedaço sumido ou é impressão minha, meu craque?

      • CLAUDIO REIS Says:

        Meu amigo, nem um pedacinho e nem um tantão. Eu sou insumível. O problema é que você está de novo com a mania de prender os cabelos e eu so te acho na arquibancada pela vasta cabeleira ao balanço do vento.

  3. Caíque Lima Says:

    Respeitem minha base!

    Franciel meu caro, vc tem que expandir essas tuas maravilhosas escrituras!

    É uma pena que a grande parte da torcida esquece do grito “Diretas Já”.

    Até o próximo jogo, meu nobre guerreiro rubro negro.

  4. Ricardo Says:

    que tal thiago 1 real?

  5. Eu Says:

    real é um nome perfeito pra ele, não vale nada essa misera.

  6. J Mocota Says:

    Prezado Franciel!

    Na antiga Mocotópolis as torcidas que queriam construir um clube candidato a título nacional, clamavam por Democracia na mesma intensidade.

    Poderia o clube ta fugindo da zona maldita ou lutando por alguma glória nacional.

    Franciel, você acha que ta faltando o que para a torcida Rubro-Negra seguir a mesma filosofia do povo mocotês?

    ——————-

    Eleições Diretas em 2016.

    Avante Leão!

  7. Marcelo Burgos Leal Says:

    isso da torcida do vitória é uma merda, os jogadores da base sofrem com a intolerância da torcida, melhor exemplo pra mim é arthur maia que só no vitória não presta, quando ele sai daqui ele se destaca, ai eu me pergunto o cara é ruim mesmo? Povo chato da zorra maior besteira do ano do vitória foi emprestar arthur maia (pra um concorrente direto) e renovar com noberto que sempre foi e sempre será no meu entendimento um jogador inexpressivo.

    • Diogo Says:

      Esse empréstimo de Arthur Maia, realmente, foi de doer o coração! Tá comendo a bola na Chapê… ACORDA, TORCIDA!!!! MAIS PACIÊNCIA COM A MENINADA!

  8. Dantas de BH Says:

    Caro Franciel,
    É tudo isso aí que vc disse. Eu não consigo entender essa falta de paciência do torcedor para com os caras da base.
    Cada clube e jogador, têm as suas particularidades mas, fico daqui imaginando, em outros clubes, pelo menos nos lados de cá, não vejo essa intolerância com os “guris”.
    Grande parte da torcida adota aquela história de que santo de casa não faz milagres. Já imaginou essa turma torcendo prá alguns times por aí? Certamente, jamais iríamos ver atletas como Dirceu Lopes, Tostão, Reinaldo, Piazza, Zico, Romario, Robinho, Neymar e tantos outros que começaram na base e vingaram em seus clubes de origem.
    O torcedor também precisa ter visão crítica pessoal e não ficar naquela: Ahh… o carinha da emissora tal falou, maltratou, esperneou, excomungou o jogador fulano de tal é por que eles “conhecem e sabem do que estão falando”, sabe nada, pura balela ou jogo de interesses.
    Vamos acordar, gente: A nossa grama é tão verde quanto a do vizinho, é só regar.
    Grande abraço.

    • J Mocota Says:

      Belo comentário prezado irmão Rubro-Negro, Dantas de BH!

      Você ta manjando tudo e mais um pouco.

      Parabéns!

      Plac, Plac, Palc…

      ————————-
      Eleições Diretas em 2016.

      Avante Leão!

  9. Dantas de BH Says:

    Obrigado, Mocota!
    Tava sumido, “seo minino”, some não, vc sim, têm belas idéias sobre o ECV que sempre renderam bons debates.
    Forte abraço, companheiro.

    • J Mocota Says:

      Bondade sua irmão Dantas!

      Só por curiosidade. Na transmissão, no gol de empate, aparece Rubro-Negros comemorando o gol. Por uma acaso você tava no meio daquela galera massa?

      ————————-
      Eleições Diretas em 2016.

      Avante Leão!

  10. Dantas de BH Says:

    Não, companheiro. Nesse domingo recebemos em casa a visita de um casal muito estimado, que é da bela VITÓRIA da Conquista e preferimos ficar “cumendo água” na minha toca, mas, como moro próximo ao Mineirão certamente de lá a galera ouviu o meu grito NÊÊÊGOOOO.
    .

    • J Mocota Says:

      kkkkkkkkkkkk

      Só no Mineirão, não, irmão Dantas. O seu grito de gol foi escutado até pela linda torcida Rubro-Negra de Paulo Afonso na Bahia.

      E a propósito, Mocota nasceu na bela VITÓRIA da Conquista!

      ————————-
      Eleições Diretas em 2016.

      Avante Leão!

      • Dantas de BH Says:

        Rapaaz…então vc é gente da melhor qualidade, também sou de lá e muito me orgulho das minhas raízes e de muitos conterrâneos como, Elomar, Glauber, Xangai mesmo não sendo conquistense de nascimento foi adotado pela nossa terrinha e tantos outros.
        Pelo visto você deve morar em Paulo Afonso, não conheço, mas, dizem ser uma bela cidade.
        Um bom jogo prá todos nós amanhã. Já estou grudado na telinha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: