QUEDA PARA O ALTO

Tem-se a convicção de que uma competição está condenada à infâmia quando seu time empata em casa com uma injúria do porte do Macaé e, ainda assim, você é obrigado a ouvir amigos e outras raças de gente ruim afirmarem que existem motivos para comemorar.

É graça uma porra desta?

Antes que algum apressado venha dizer que se deve ir além dos números frios que são estampados pelo o placar, aviso logo que também sou adepto da análise mais ampla. Inclusive, o Norte, o Nordeste de Amaralina e uma banda do Vale das Pedrinhas são testemunhas de que nunca fui destes idiotas da objetividade que olham apenas para o resultado final.

O problema é que nem mesmo colocando os óculos de Dr. Pangloss (Num sabe quem é? Ora, o novo pai dos burros, o google, taí pra isso) ou guiado pelo espírito da mais cândida poliana foi-me possível ver ao menos uma partida razoável ontem, que compensasse a tristeza do 0 x 0. Com muito boa vontade, diria que o Vitória fez uma exibição MEDONHA.

O time todo, ou quase todo (Escudero é sempre uma honrosa exceção) parecia que havia voltado à adolescência, passando a noite anterior batendo punheta sem parar. Sim, só isso para explicar aquele cansaço desmesurado. E nem adianta Mancini aparecer nas rádios da vida com a desculpa de que o Macaé descansou uma semana e o Vitória jogou no sábado. Nero ar. Se fosse assim, nosso lateral direito, que tem sido uma grata surpresa, deveria correr como um pedreiro para cima do prato de feijão. Afinal, estava de folga durante uma semana por conta da suspensão. Porém, mesmo assim, corria (corria é modo de dizer) como se estivesse com um saco de cimento nas costas. Repito. Só pode ter sido uma noitada de punheta. Já fui adolescente e sei como é isso.

Por falar em cansaço, este é um campeonato que nem chegou no meio e as equipes já estão exaustas. A impressão que se tem é que nenhuma equipe quer subir, quanto mais ganhar o campeonato. Aliás, diante da falta de nível técnico, tático e, principalmente, físico, se a CBF fosse uma entidade minimamente decente, mandaria encerrar a chibança antes mesmo da 20ª rodada.

Ah, sim, como se não bastassem tantas desgraças, ainda temos um dos piores níveis de arbitragem da história do futebol nos 18 continentes. Ontem mesmo, ao ver a ação do larápio assoprador de apito, pensei até em chamar a polícia, mas aí me lembrei que o desinfeliz era branco. E os meganhas baianos só descem a borracha no povo pobre e negro.

É isso, amigos de infortúnios, desculpem-me o pessimismo, mas nem com a Moça do Shortinho Gerasamba mexendo mais do que Ferry Boat em dia de maré vazante é possível suportar tantas e tamanhas ruindades. É muita queda para o alto.

Anúncios

5 Respostas to “QUEDA PARA O ALTO”

  1. marciomelo Says:

    Concordo em gênio, numbus e cal com o sinhô Franciel. Com uma dose cavalar de boa vontade, foi uma exibição medonha e um resultado medíocre.

    A “sorte” é que essa série B está tão desgraçada, que empatar sem gols com o Macaé em casa, levou a gente duas posições acima do que estávamos.

    Acho que deveria subir ninguém e rebaixar 18 times pra série C ano que vem hehehe

  2. Oscar Says:

    Franciel, posso estar cansado, estressado, chateado, mas depois que leio suas crônicas não tem como ficar triste, não tem como não voltar a sorrir. Velho, só você mesmo para ser coerente e cômico ao mesmo tempo. Como diria Pedro Canísio: “a noitada de punheta vai pro DVD”. KKKKKKKKKKKKKKK. Sensacional, man!

  3. Lucas Rêgo Says:

    O time descansou no primeiro tempo juntamente com o goleiro opositor que não fez uma defesa.

    Mancine tem essa nigrinhagem de ver o time sem jogar bem e esperar só porque treinou estes 11 na semana.

    No primeiro tempo recuava Flavio (que deve ter o acesso aos xvideos cancelado) e adiantava o japaKem pra uma trama mais tranquila com Escumito. sem gastar uma substituição já melhorava muito.

  4. Dantas de BH Says:

    Essas duas divisões de base do ECV, é que realmente têm nos dado orgulho de ainda vestir a camisa do clube, pois, os marmanjos ditos “profissionais”, parecem não terem o menor respeito pelo Vitória, pelo menos é que temos visto nos últimos anos.
    Existem várias situações no Vitória que são inexplicáveis, uma delas, só mesmo recorrendo à Moça do Shortinho Gerasamba para buscar uma resposta, seguinte:
    Pelé, Diego, Robinho, Neymar, saíram da base para o time principal do Santos, mas, no Vitória isso não acontece, enquanto que outros times do RJ, SP, MG, RS também valorizam suas bases.

    E aêê, Franciel, explique isso.

    Grande abraço e parabéns pelos seus textos.

  5. Pedro Jorge Says:

    Seu Franciel concordo em número gênero e grau os caras pareciam que tinha acabado de assistir o filme das brasileirinhas.
    PS: O Franci muito obrigado pela foto lá no Barradas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: