Archive for janeiro \23\UTC 2015

FELIZ ANO VELHO

janeiro 23, 2015

Guiado por meu incorrigível otimismo, planejava retornar a esta impoluta tribuna de modo glorioso, proferindo boas e novas prosopopéias para a nação. Até a moça do shortinho Gerasamba ficou toda assanhada já pensando nos desfrutes. Porém, a diretoria do Vitória teima em não deixar que a felicidade desabe sobre este esperançoso locutor.

E, assim, uma vez mais, sou obrigado a ocupar o microfone para velhacas sessões de choro, ranger de dentes e falsas erudições. Então, de prima, saco logo do coldre uma quase citação do menino Friedrich Nietzsche – e constato: há anos que já nascem póstumos. E este traquino 2015, que nem bem começou, parece que vai percorrer esta sina triste. Mesmo ainda estando no prelúdio, já podemos sentir o seu sufocante cheiro de mofo, pelo menos na parte ligada ao latifúndio improdutivo do Ludopédio Rubro-Negro.

PUTAQUEPARIU O DESENCANTO!!!

Os mais apressados podem até achar, não sem razão, que tanto e tamanho desalento é por causa da perda do primeiro torneio do ano, após o vexame, na noite de ontem, também conhecida como quinta-feira, diante do fraco time do Náutico. Porém, em verdade vos digo: não é apenas um tropeço na insossa Copa Maranhão, um destes reles caça-níqueis de início de temporada, que iria abalar a fé deste peregrino que tem o couro curtido em seculares dissabores.

Sim, é fato que uma derrota é sempre uma derrota, especialmente uma assim, já sob o signo do simbolismo da estreia, uma partida que deveria marcar um recomeço após um 2014 de incontáveis desmantelos. Porém, como diria os comunistas de antanho, o fulcro da questão é outro, muito mais grave.

O que efetivamente me atormenta e creio que também perturba os mais de numseiquantomillhões de torcedores é a falta de perspectiva, é a total inexistência de quaisquer sinalizações de mudanças. Esta é a verdadeira e mais cruel derrota neste começo de 2015. Continuamos sob o (des) governo de uma diretoria sem nenhum compromisso com a democracia, transparência e, consequentemente, sem respeito ao torcedor. Triste.

E o pior (sim, amigos de infortúnios, anda tem coisa pior) é que uma parte da (mal) dita oposição consegue ser ainda mais perversa (se é que isto é possível) do que os atuais gestores. Sob o comando de ex-presidentes e ex-diretores, esta galera tem a petulância de propor retrocesso ao já engessado Regimento Interno. Para que não diga que este meu pessimismo é consequência deste gosto de bota de sargento no canto da boca, provocado por esta ancestral ressaca de canjebrina ruim, mando logo umas aspas sobre a proposta dos referidos oposicionistas em relação à democratização. Ouçam a infâmia em negrito.

Curto prazo – Torcida elege representantes, que elege conselho deliberativo, que por sua vez elege conselho diretor;

A médio prazo – Torcida elege conselhos deliberativo e diretor”.

Traduzindo. Os caras que já comandaram o Clube e agora aparecem como salvadores da pátria, propondo-se a melhorar as coisas, querem, pasmem, colocar ainda mais obstáculos na participação do torcedor. E pior. Desconhecem que hoje o sócio já pode votar diretamente para o conselho.

PUTAQUEPARIU A DESINFORMAÇÃO!!!

Pois muito bem, digo, pois muito mal. Caso me restasse um tantinho assim de juízo e amor (im) próprio, continuaria no meu obsequioso e longo silêncio que já dura exatos quatro meses. Mas sou teimoso. Por isso, estou aqui, mais uma vez, para conclamar os sócios-torcedores que não joguem a toalha. Mais do que nunca, é o momento do torcedor  tomar o destino do Clube em suas mãos. Por isso, e para não iniciar este ano sombrio sem uma centelha de esperança, solicito  uma vez mais que todos, que todos colem na corda do vitoria_livre@googlegroups.com (basta mandar um e-mail para este endereço  para participar do grupo de debates), movimento que tem lutado firmemente em prol da convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária com o simples e fundamental objetivo de democratizar nosso Clube e, assim, impedir que tenhamos mais um feliz ano velho.

Vamos nessa, rebain de incréus.

Anúncios