Presidente, procure solução – e não sarna

Além da queda, o violento coice. Depois de perder vergonhosamente de 1 x 1 para o ex-rival (sim, empatar com um time fraco daquele é derrota pra se lastimar ad aeternum), o Vitória, segundo matérias publicadas em diversos sites, pode trazer o atacante Souza para vestir a 9 que já foi de Ricky e André Catimba e que atualmente está entregue aos cuidados de Dinei.

A bem da verdade, a história surgiu já faz alguns dias. Ato contínuo, porém, a torcida mostrou logo a desaprovação. Aliás, mais do que isso: expressou nas redes sociais um autêntico repúdio diante da possibilidade do referido jogador vestir o manto Rubro-Negro.

Porém, na quinta-feira, dia 20, o presidente do Vitória, Carlos Falcão, ao perceber o descontentamento da torcida, deu a seguinte e complicada declaração. “Desconheço essa informação. Não sentamos ainda e digo que acho difícil isso acontecer. Precisamos muito de mais um atacante, mas acho difícil a diretoria do Vitória chegar a um consenso para essa contratação”.

Percebam a forma oblíqua como ele tenta dissimular. Primeiro, garante desconhecer a informação para, logo em seguida, dizer que “não sentamos AINDA” e encerrar afirmando que acha “difícil a diretoria chegar a um consenso”.

Então, eu digo, oxente, presidente: num entendi. Vossência desconhece a informação, mas já intui que é difícil se chegar a um consenso na diretoria? Como assim? Aí, eu fiquei confuso. E a confusão aumentou ainda mais com a titubeante entrevista de Ney Franco após o fatídico jogo contra o nosso antigo rival. Primeiro, tentou fazer um malabarismo, se esquivando mais inocentemente do que Anderson Silva na frente de Chris Weidman. Depois, apertado, confessou: “Se depender do treinador, a contratação está aprovada”.

O problema, Ney & Falcão, ou melhor, a solução é que tal contratação não depende somente do treinador e da diretoria. É preciso, é urgente, é fundamental que neste e em outros, muitos outros casos, seja levada em consideração a voz daquele que é a razão de ser e de existir de um clube: o seu torcedor.

E é exatamente isso que vocês parecem não perceber. Estas declarações dúbias já deixam claro uma coisa: a total falta de transparência (poder-se-ia até dizer de honestidade) da diretoria na relação com a torcida. Ouçam um bom conselho. Caso não se busque construir um relacionamento pautado na confiança, depois não se pode reclamar que o torcedor fez isso, aquilo outro e etc e coisa e tals. Já foi o tempo que a torcida servia apenas para ser massa de manobra. Quem não compreender isso, poderá pagar um preço caro. Aliás, já estão pagando. Não é à toa que o número de associados ao clube é extremamente reduzido. É um sintoma de que atitudes deste tipo afastam as pessoas. Para usar uma expressão típica da roça, ninguém pega passarinho gritando xô.

Mas, voltemos a Souza.

Antes de tudo e de mais nada, é preciso deixar claro que a ojeriza da torcida, pelo menos de boa parte com quem conversei, não se resume às, digamos assim,  questões etílicas. Nero ar. Boa parte da nação Rubro-negra conhece muito bem aquele velho axioma de João Saldanha. “Quero ele pra jogar em meu time, não para meu genro”.

A propósito, basta lembrar de dois apreciadores da canjebrina que tiveram o respeito da torcida vestindo a camisa Vermelha e Preta: Allan Delon e Joãozinho. O primeiro, um dos maiores artilheiros da história do Barradão. O outro, um dos principais responsáveis pela conquista do acesso em 2007. Portanto, a questão não se resume a este moralismo de bodega. É um tantinho assim mais complicada.

O problema de Souza é que, entre outras coisas, ele vem de uma sequência de contusões (sejam elas verdadeiras ou fictícias, não nos cabe julgar), custa muito caro e tem um comportamento recente extra campo que o levou a ser encostado em seu clube atual, ao se envolver em panelas e disputas políticas, dando apoio ao ex-presidente marcelo guimarães filho. Se todo o problema dele fosse a canjebrina, não haveria problema.

E, ademais, é como bem disse o menino Elton Serra: o Vitória, neste momento, precisa de um novo Escudero, não de um velho Souza.

Por fim, encerro com mais um conselho, muito repetido pelo meu finado pai. “Quem não ouve aquieta, ouve coitado”.  Portanto, presidente,  procure solução – e não sarna.

P.S. Caso continuem com esta ignomínia, a faixa vai ser a  seguinte: “SE CONTRATAR SOUZA, UCRÂNIA VAI SER FICHINHA!”

Anúncios

12 Respostas to “Presidente, procure solução – e não sarna”

  1. Elmo Says:

    Moral da historia, tem muito a perder, e pouco a ganhar!

    Fique esperta torcida leonina, a disgrama da imprensa ta fazendo campanha pelo felaputista.

    SRN

  2. Marcio Melo (@marciosmelo) Says:

    Começam com um desconheço seguido de não conversamos ainda e, atualmente, já estamos por mim traz e “se for um contrato de risco x produtividade” pode ser.

    Semana que vem, ele já está beijando nosso escudo.

    E o torcedor continua sem vez e sem voz

  3. Robertinho Says:

    Fraciel

    Por que Souza? Já temos Alan Pinheiro.
    Vocês citou André Catimba e Rick. Não vi nenhum dos dois. Entretanto várias pessoas me disseram que Alan Pinheiro tem um futebol parecido com o de André Catimba no início da carreira. Pode evoluir ainda mais.

    O que acha?

    SRN!

    • Franciel Says:

      Num reparei ainda, mas pelo que você falou lá no jogo contra o ex-rival, parece-me que Alan Pinheiro tem mais movimentação do que André catimba. Olhe, me deixe, viu, valera!

  4. jbassu Says:

    A que ponto chegou o futebol atual.
    Primeiro, um time que se diz querer chegar na ponta da tabela “insinuar” a contratacao de Souza…tem que ser piada ou alguem ta querendo comer por traz (la ele).
    Segundo, colocar o nome de Andre Catimba na mesma sentenca com Alan Pinheiro…
    Para o mundo que eu quero descer!!!
    Um abraco.

    P.S. O disgrama, como estao os planos para gringolandia?

  5. J Mocota Says:

    Como é que Franciel tem a ousadia de citar André Catimba, Ricky e Dinei e propositadamente (o que já se caracteriza como um crime) esquecer do MAIOR ARTILHEIRO DO BARRADÃO?

    Será que as férias prolongada não serviu para nada?

    Pode ir acrescentando o nome de Neto Baiano no novo texto se não a “UCRÂNIA VAI SER FICHINHA!”

    Ta ligado?

    É cada uma…

    ———–

    No mais Franciel mandou muito bem nessa nova obra de arte.

    Parabéns!

    Plac, Plac, Plac…

    ——————-

    Eleições Diretas em 2016.

    Avante Leão!

  6. Fábio Monteiro Says:

    Belo texto Franciel, fiz um texto bem parecido com este teu (em termos de assunto e tipo de crítica), mas a sua forma lúdica de narrar é única!

  7. Uilian Sales Says:

    Na verdade Falcão está deixando bem claro que que não teremos grandes contratações, ouvi um entrevista dele na rádio metrópole antes do jogo contra as sardinhas, onde ele questionava a quantidade de torcedores no estádio e dizia que se o torcedor não se associasse nem aumentasse a média de público ele não conseguiria investir mais no time, ou seja teremos que aceitar Souza e Hugo pelos peitos. Belas palavras Franciel, só não entendo o motivo de você passar tanto tempo longe do teclado, já estava com abstinência, rs,rs, um grande abraço.

  8. ANONIMO Says:

    a soluçao esta em souzaluçao

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: