É hora de fazer diferente

A culta e pacata população do Norte e Nordeste de Amaralina sabe que os números não mentem, mas, quando torturados, confessam.

Então, de prima, sem deixar a criança quicar, recebam uma análise abalizada nos mamilos.

Seguinte. Desde o ano da graça de 2006, quando o campeonato de pontos corridos passou a ter o formato atual, com 20 clubes, o Vitória participou de três edições, sem contarmos esta que está em andamento, é óbvio.

Na estreia, em 2008, o time comandado por Vagner Mancini oscilou bastante. Em meados de julho, depois de seis jogos invictos, habitávamos o G-4 – e a Libertadores estava na ordem do dia. Depois de novos abalos, chegamos à 30ª rodada exatamente com os mesmos 44 pontos que temos atualmente. Porém, na ocasião estávamos na 10ª posição, distantes 9 pontos do São Paulo, que até então era o 4 º, mas que se sagrou campeão. Nós permanecemos em 10º, terminando a competição com 52 pontos.

No ano seguinte, em 2009, novamente tínhamos 44 pontos na 30ª rodada. Na ocasião, estávamos a 5 pontos do G-4. E mais. Tínhamos apenas 4 pontos de desvantagem para o Flamengo, que era o 5º e acabou levantando a taça. Nós ficamos sem querosene e terminamos a competição em 13º, com 48 pontos, apenas três acima do rebaixado Coritiba.

O ano da (des) graça de 2010 foi atípico. Como não tínhamos elenco, voltamos nossas energias para a Copa do Brasil e deixamos o Brasileirão em segundo plano. Assim, na 30ª rodada estávamos destoando dos dois anos anteriores, com 10 pontos a menos, 34, na 15ª posição. NO final, aliás, é melhor nem comentar aquilo…

Bom, mas o que estes números demonstram? Que estes 44 pontos atuais na 30ª rodada estão dentro de nossa média histórica nos pontos corridos com 20 times, excetuando-se, repito, 2010 porque priorizamos a Copa do Brasil.

Então, diante da frieza destes números, o conformado leitor pode argumentar que novamente nos está reservado o insosso meio da tabela. Porém, ele esquece a tal tortura numérica.

Vamos a ela.

Em 2008, nos 11 jogos iniciais do returno, o Vitória marcou apenas 12 pontos. Já em 2009, cravou 19. Desta vez, estamos com 21 e somos detentores da terceira melhor campanha do 2º turno. E mais. Se pensarmos nas 10 últimas rodadas, o retrospecto é ainda melhor. Estamos em primeiro, junto com o Goiás, perdendo apenas no saldo de gols, com uma excelente média de 66,67% de aproveitamento. (Estes últimos dados referentes a 2013, podem ser checados aqui http://www.mat.ufmg.br/futebol/dados/classif2oTurno_serieA.html e aqui, ó http://www.mat.ufmg.br/futebol/dados/classif10_serieA.html ).

Traduzindo.

Apesar de, em termos meramente numéricos, estarmos em uma situação desfavorável em relação a 2008, quando, a esta altura do campeonato, estávamos a apenas 5 pontos do G-4, agora, pela primeira vez, estamos chegando na reta final de forma ascendente.

Portanto, chegou a hora de torturamos os números e trilharmos um caminho diferente.

P.S A participação da torcida na construção deste novo momento será fundamental. Exatamente por isso, este rouco e humilde locutor comprou 18 litros de cepacol e uma passagem para o Rio de Janeiro para orientar in loco o Brioso nesta arrancada rumo ao impossível.  

Anúncios

9 Respostas to “É hora de fazer diferente”

  1. Fabio Lemos Says:

    Ai Seu Fraçuel. Estarei no Maraca tambem, com minha esposa e filha que nem gostam de futebol, mas tem voz para gritar: Vi-TÓ-RIA…. Os caras estão com medo. Vamo invadir o Maraca.

  2. J Mocota Says:

    Belo texto e boa viagem.

    Traga os 03 pontos na bagagem Franciel!

    Plac, Plac, Plac…

    —————————-

    Fran, Mocota acha que em 2010 a Copa do Brasil não prejudicou o Vitória, não. Depois do intervalo da Copa do Mundo o Vitória só poupou o time titular contra o Botafogo.

    O que Mocota acha que prejudicou o time foi a falta de um matador (até Roger serviria) + apoio da torcida + a permanência de Ricardo Silva no comando.

    Veja que treinadores como Ederson Moreira e Marcelo Oliveira que surgiram praticamente na mesma época de Ricardo Silva, fizerem bons trabalhos nos BR’s seguintes.

    Mocota acredita que se em 2012 a direção não tivesse tirado Ricardo para colocar Carpegiani, quando RS vinha fazendo mais um belo trabalho na CB, talvez, hoje quem tivesse no Cruzeiro seria Ricardo Silva e não Marcelo Oliveira. Como dizem por aí: A força do efeito borboleta.

    Mocota lembra que em 2010 o Grêmio de Renato Gaúcho jogando no 3-7-0 o Vitória em cima para empatar e a maior parte da torcida?

    Vaiando… o Vitória.

    PS I – Ainda bem que a maior parte da torcida mudou a postura.

    Será por que?

    PS II – Mocota disfarçando, olhando para cima e assobiando…

    fiu, fiu, fiu…

    —————-
    Diga não a Fonte Nova. Diga $im ao Novo Barradão na Paralela em 2016.

    Avante Leão!!!

    • Geraldo Says:

      Provavelmente Mocota, a maior parte da torcida mudou porque o Ricardo entregador de camisa Silva não esta mais no VITÓRIA, simples assim, rsrsrsrsrs.

      • J Mocota Says:

        Errado irmão Gera!!!

        Em 2012, Ricardo Silva foi interino, treinador, interino-treinador e a torcida incentivou o time a temporada toda.

        Esqueceu que mesmo perdendo o baiano para as sardinhas o elenco Rubro-Negro saiu aplaudido de campo.

        Advinha quem era o técnico?

    • Antonio Sergio Says:

      O velho Mocota o “ACHA” – “SE””, tipico dele, tem solução para tudo, rsrsrsrsrrsrsrs, aplausos plac, plac plac.

  3. moises sales Says:

    fluminense 2 x 3 vitória: sêo frança, v.exa. broca!

  4. Mr. Peter Says:

    Sêo Françuel virou global… apareceu no PFC e tudo.
    Quanto à viúva do Entregador de Coletes, pergunte o que a torcida da briosa Associação Sportiva Arapiraquense acha do mesmo…

    • J Mocota Says:

      Se existe viúva Mocota não sabe dizer. O que Mocota pode comprovar é que existia uma parte da torcida que perseguia profissional produtivo. E na lista não tem só Ricardo Silva, não. Achamos profissionais da qualidade de Bebeto, Alex Alves, Vampeta… Elkeson.

      PS – Mr. Peter, quando existir um outro técnico que seja Rei da Copa do Brasil, apareça. Nesse período vá limpando o veneno da sua língua.

      O futuro do Vitória agradece.

      Parabéns Ney Franco! Se classificar o Vitória para a Libertadores vai ultrapassar Ricardo Silva no quesito “temporada brilhante”.

      PS II – Na humilde Mocoavaliação, mais vale uma classificação para Libertadores que uma quase Tríplice Coroa.

      ————-
      Diga não a Fonte Nova. Diga $im ao Novo Barradão na Paralela em 2016.

      Avante Leão!!!

  5. Carlos Augusto de Araújo Says:

    Que maravilha, seu Françuel, não é que o Leão resolveu ajudar aos sardinhas? Mas, não há de ser nada! Sejamos generosos. A generosidade é uma qualidade que devemos exercitar, não achas? Entretanto, parece que nossa atitude de nada valeu, já que o jahia empatou dentro de casa, quase perdendo, ficando quase na portaria da zona. Mas, como falei anteriormente, a generosidade é uma grande virtude, portanto, exercitemo-la. No mais, seu texto tem muita qualidade, como sempre. Por fim, depois dos 47 pts, vamos seguir ganhado, algo me diz que esse ano participaremos da “Libertadores da América”! Vamos que vamos nêêêgo!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: