Os mondragons que atrapalham nosso caminho

Desde o ano da graça de 2003, quando foi instituído o sistema de pontos corridos, as chances que os times da periferia do Ludopédio têm de levantar a taça da principal competição de Pindorama são semelhantes às que um projeto liderado por marqueteiro têm de democratizar o futebol num clube qualquer. Ou seja: podem até fazer uma zuada aqui e ali, mas, na hora JOTA, sempre falará mais alto a força do vil metal dos poderosos.

A situação de exclusão no futebol brasileiro chegou a um nível tal que, nestes últimos 10 anos, apenas o Atlético do Paraná, em 2004, e o Goiás,  no ano seguinte, conseguiram romper o cordão de isolamento e terminar a competição entre os quatro primeiros. Porém, de 2005 até agora todos os outros clubes fora do eixo SP/RJ/MG/RS foram barrados no baile. E mais. Excetuando-se o primeiro ano deste novo sistema, quando o Cruzeiro botou a mão no caneco, os outros noves troféus foram levantados apenas por equipes da ponte aérea Rio-São Paulo.

Portanto, está claro que, diante da impossibilidade de batalharmos de igual pra igual pela conquista do Brasileirão, deveríamos gastar nossas energias na luta pela democrática Copa do Brasil.

Isto é óbvio ululante, certo? Não para os dirigentes de nossas maltratadas agremiações.  Eles fingem não enxergar o que é evidente e insistem em contrariar a lógica.

Em todo o decorrer destes tempos temerários, nenhuma vez o Esporte Clube Vitória priorizou a referida competição. Ao contrário. Sempre deixou para armar o time no crepúsculo do primeiro semestre quando deveria formá-lo no início do ano. E até mesmo a chegada à final de 2010 pode ser creditada muito mais a um acidente de percurso do que a algo programado, planejado.

Contudo, neste ano da graça de 2013, parecia que a diretoria havia acordado. (Sim, não é por causa do fracasso diante do Salgueiro que vou achar que o atual time é uma ruína. Não, não é. Precisa de reforços pontuais, mas tem uma base razoável).  Então, onde está o erro fundamental? Exatamente na falta de prioridade da Copa do Brasil, quando deveria ser exatamente o oposto.

Sim, amigos de infortúnios, o Leão foi eliminado pelo Salgueiro não apenas porque mondregon (ou coisa que o valha) estava numa noite inspirada. Nero ar. A derrocada começou quando o técnico, com o aval da diretoria, mandou um time reserva para o sertão de Pernambuco, esnobando o adversário e sem dar a devida importância a esta competição que deve ser nossa prioridade absoluta. É fato que o Vitória poderia ter perdido lá e cá jogando com os titulares, é do jogo. O que o Vitória não poderia de forma alguma era menosprezar a Copa em detrimento de um campeonato baiano que já estava decidido.

Isto é estupidamente inadmissível.

Fica parecendo aquele Zé Ruela que passa o tempo todo sonhando em passear com Scarlett Johansson em Veneza e deixa de correr atrás da Moça do Shortinho Gerasamba aqui no aprazível e pacato Nordeste de Amaralina. No final, morre donzelo e bota em culpa nos fantasmas mondragons da vida, que outrora já foi Cícero Ramalho, uma espécie de Cabanãs do Ageste, atacante com muitos anos e quilos acima do recomendável…

Mas, derivo. E volto logo para encerrar dizendo que os verdadeiros  mondragons que atravancam nosso caminho não são goleiros nem atacantes de times periféricos, mas sim os cartolas Rubro-negros – tanto os de antanho, da época em que tomamos chapuletada do Baraúnas dentro de Casa, quanto os atuais- , que insistem em zombar do óbvio.

Depois, ainda vão para as rádios da vida com os peitos moles dizendo que são virgens e que São Antônio lhes enganou.  Hômi, quá; sinhô, me deixe, viu!!!

P.S Para não dizer que não falei do mordomo, furto o filósofo Fábio Jr. e pergunto ao técnico  Caio Jr. “O que há que há? O que é que está se passando com esta cabeça para, com menos de 10 minutos, gastar uma substituição num jogo decisivo colocando um lateral (?) como Marcos que, além de ser fraco tecnicamente, estava de molho fazia num sei quantos dias?”.    

Anúncios

15 Respostas to “Os mondragons que atrapalham nosso caminho”

  1. anonimo Says:

    E ISSO AI OS MONDRAGONS E OS SAL EXISTEM PARA ISSO MOSTRAR AO BRASIL QUE OS TIMES QUE ELE#SD ENFRENTAM SÃO INCAPACITADOS PARA DISPUTAR UM TORNEIO DA ENVERGADURA DA COPA DO BRASIL> DISPUTAR UM CAMPEONATO COM TIMES AMADORES E SEM PRTENÇOES NENHUMA E FACIL< DEPOIS FICAM SE AUTO DENOMINANDO R%EAIS MANDRACKE< MAS QUANDO ENFRENTAM TIMES TOTALMENTE DESCONHECIDOS SEM NA PELE O QUER E VER A MANGUEIRA ENTRAR< EXISTEM MUITOS GRUPOS DO ONZE SE AUTO DENOMINANDOS TIMES DE FUTEBOL< TEMOS EXEMPLO AOS MONTE#S CRACS (NOME NHORRE#NDO) BOA SAQL LURVE CENE CASCAVEL LASGARTENSE( ISSO E TIME DE$ FUTEBOL OU E UM JARDIM ZOOLOGICO?) SÃO ESTES HORRIPILANTES NOMES QUE FAZEM A FESTA EM CIMA DOS BARCELONA E REAIS GENERICOS) ACORDA POVÃO E TRATE DE RECOLHER OS CACOS QUIE SOBRARAM,

  2. Vinícius Magalhães Says:

    O nobre NINO estava machucado e por isso foi substituído pelo seu reserva imediato.

    • Franciel Says:

      Vinícius, meu velho,

      Nino deu declarações dizendo que “ainda aguentava mais”.
      Porém, vamos imaginar que ele realmente estivesse machucado, você, precisando de ganhar o jogo, queimaria uma substituição, a segunda, com menos de 10 minutos do segundo tempo para colocar um jogador maizomenos e que ainda vinha de uma contusão?

      Ademais, este substituto é tão imediato que nem relacionado foi para o próximo jogo.

      • Vinícius Magalhães Says:

        Melhor poupar, Nino tem um histórico gigantesco de lesões, é um atleta de vidro. Caio quis manter o esquema que estava jogando, acreditou que manteria a pressão e o gol sairia naturalmente, infelizemnte, o Marcos fez uma péssima partida, mas, paciência, se não me engano ele entrou em uma partida recentemente, não lembro qual, acho que no Ba-Vi. Já mostrou que é fraco e por isso não foi relacionado. Eu não tenho muitas criticas ao trabalho de Caio Jr, só não gostei da tirada de Maxi (apesar de normalmente entender o motivo), o jogo era importante e deveria ser mantido o nosso atacante mais contundente, deveria ter tirado Cáceres. Mas aí ficaremos no se, se, se.

        Vamos fazer nossas continhas agora e torcer por um lugarzinho na Sula.

      • Franciel Says:

        Vinícius, francamente, não entendi.

        Como assim, melhor poupar Nino?

        Primeiro você disse que Nino estava machucado. Eu lhe digo que o próprio jogador não estava reclamando, icnluisve deu declarações neste sentido.

        Aí, você diz que é melhro poupar Nino num jogo decisivo e colocar um cara totalmente sem condições? Não entendo.

        Marcos, para nossa glória, não jogou nenhum ba x VI. Ele foi contratado em janeiro e só jogou um pedaço do jogo contra o Juazeiro, em 21 de abril, jogo que o Vitória perdeu no Barradão e ele se machucou numa jogada toalmente imprudente.

        Quanto a Caio Jr, que gannhou seu primeiro título no Brasil agora com o Vitória neste horripilante campeoanto baiano, não sou tão toletrante assim. Afinal, como ser tolerante com um técnico que usou de expedientes, no mínimo, covardes, em relação a um jogador, como ele fez com Bob? (Sim, sei que Bob é uma carniça, mas existe algo chamado ética).

        Aliás, este mesmo treinador esculhambou Lúcio Maranhão numa entrevista e na sequ~encia relacionou o referido para o próximo jogo. Total falta de critério.

        Por falar em critério, o próprio Maxi saiu de campo virado nos 600 DEMÔNHOS.

        Mas, enfim. Chega de abanar carvão molhado. Como você mesmo disse, agora, depois dos vacilos de Caio Jr e da complacente diretoria, resta-nos correr atras de nossos pontos para nos garantir no ano que vem ou quem sabe beliscarmos o improvável.

      • Vinícius Magalhães Says:

        Confesso ter visto outras declarações, inclusive o jogador começou o tratamento com gelo já no banco de reservas na própria quarta-feira. E, segundo o médico rubro-negro: “O Nino teve apenas um trauma na coxa e o colocamos de repouso, mas ele não preocupa e vai jogar normalmente””.
        Ou seja, ele saiu do campo machucado, forçar ainda mais poderia ser um problema dado o grande histórico de lesões.
        Confesso que agora estou em dúvida se o Marcos já não havia entrado em algum dos últimos jogos no DECORRER da partida.
        Acho que isso de ganhar títulos é bem relativo, principalmente por ser um técnico com uma carreira mas curta do que a maioria.
        Ele errou ali, tanto que assumiu publicamente que o fez, entretanto, o vejo com o grupo na mão, sempre destacam a união e amizade de todos. Já Lúcio Maranhão não o agradou nos treinos, a culpa é do jogo que não tem qualidade suficiente, ou não? O mesmo já vai voltar para o ASA e teremos parte do nosso problema resolvido.
        Quanta a Maxi, verdade, ele saiu, não entendeu, é um jogador muito voluntarioso e quer jogar os 90 minutos, normalmente a substituição dele é para recompor o meio de campo e botar mais velocidade no jogo, infelizmente, dessa vez, não houve sucesso.

      • Franciel Says:

        Bom, meu velho, apenas para não ficarmos num interminável debate, encerro fazendo as seguintes observações.

        Marcos só jogou de titular contra o Juazeiro e foi uma lástima. Pode consultar todas as súmulas. Tínhamos a opção de Dimas, que nem é um jogador expecional, mas é menos desgraçado do que este Marcos, mas Caio Jr, eis outro defeito, praticamente escanteou nossa base Campeã da Copa do Brasil.

        Caio Jr. ao contrário do que você disse, não tem tão pouco tempo asism de técnico, não. Já é treinador há mais de dez anos, mais precisamente desde o ano da graça de 2000. Acho que é um tempo mais do que razoável para ganhar ao menos um titulizinho regional.

        Em relação a Lúcio Maranhão, o problema não é da (péssima) qualidade do jogador. A questão foi que ele fez com Lúcio o que já havia feito com Fernando Bob. E se tivesse realmente se arrependido, não repetiria o mesmo com o atacante. E pior. Depois de execrar o cara publicamente numa entrevista, ainda o relacionou para a partida seguinte.

        Enfim. É isso, mas, como ele é o técnico do Vitória, torcerei para que dê certo.

      • Vinícius Magalhães Says:

        Vamos terminar com a declaração completa de Caio JR que, ao meu ver, deve ser entendia em um contexto, creio que o jornalista o perguntou o porquê da não utilização do mesmo.

        “- Claro que sim. Se eu não coloco ele é porque não tem o meu aval em cima do que eu vejo. Estou aqui há três meses e meio e tenho que analisar treinamento, tenho que analisar jogo-treino. Ele já teve algumas oportunidades. Nicácio esteve na frente dele e agora o Dinei está na frente dele. Não tinha motivo para tirar Dinei – afirmou o treinador.”

        Confesso não ter visto qualquer absurdo na declaração de Caio Jr. Mas, fiquemos por aqui. E Bora, Vitória!

  3. robson leão Says:

    Concordo com o comentário sobre a colocação de Marcos.

    O que é que há mesmo ?

    E absurda a eliminação da Copa do Brasil e questionável o time misto.

    Mas discordo que a Copa do Brasil seja a principal competição.

    Observem o que ocorre na Província de Pernambuco.

    Naútico foi o pernambucano que disputou a série a nos últimos 10 anos.

    Mas ganhou um estadual.

    O Santa é tri e venceu em 2005.

    O Sport já ganhou os outros 5.

    Por isso, a torcida do Naútico mingua a cada dia.

    Para a sobrevivência do clube e fidelização de sua torcida, o principal é vencer.

    Neste contexto, a prioridade do Vitória é o estadual e o nordestão.

    Depois disso, a luta é pela sobrevivência na série a.

    Com o ingresso dos riquinhos na copa do brasil, as chances dos times fora do eixo não atingem 0,1%.

    Seria melhor lutar por uma vaga na sul americana.

  4. Val Santos Says:

    Como alegria de pobre dura pouco,.. na segunda-feira, tudo era alegria para os bichanos da barra por terem humilhado o convalescente Bahia na final do campeonato Baiano de futebol de Varzea, ( ” e digo isso, não menospresando o potencial que o campeonato Baiano tem, e sim afrontando a incompetencia da FBF de organizar um campeonato digno de nossas crenças”) bastaram 3 dias para toda a alegria da torcida mais vice do Brasil, se converter em choro sem vela.
    Zombam do Esquadrão dizendo que o mesmo é um time que vive de passado, que as duas Estrelas no peito não valem nada e blá, blá, blá… mas a agonia dos bichanos da Barra em busca de pelo menos uma Estrela dessas, é uma coisa absurda e a cada nova frustrção, o sofrimento Estóico imbutido na alma felina dos bichanos, é uma coisa de dar dó…

  5. guilherme Says:

    lugar de chorar e no pau do caboclo ou melhor na manqueira do caboclo e o que voces sem titulos gostam bichas do lixo

  6. robson leão Says:

    Françuel,

    Não sei qto. a você, mas fico satisfeito em observar o ódio dos tricolores pelo Vitória.

    Qto. ao menosprezo pelo lixo, digno do preconceito da torcida dos riquinhos de ssa.

    Você esta certo Guilherme.

    Só somos maioria no subúrbio ferroviário, canabrava e no bairro valéria.

  7. J Mocota Says:

    Prezado Franciel,

    Até que provem o contrario Mocota acredita na Base e técnico que não inventa demais.

    Com relação a 2010 Mocota não acredita que o Vitória tenha chegado na final por “acidente de percurso.”

    O Leão tinha um elenco qualificado do goleiro ao meio campo. Faltava só um matador diferenciado.

    Repare o currículo e a visibilidade nacional dessa turma:

    Viáfara, Nino, Wallace, Anderson Martins, Egídio; Vanderson, Ueliton, Bida, Ramon Menezes e Elkeson.

    Sem contar que em 2012 Ricardo Silva ia no mesmo embalo e a direção trocou ele por Carpegiani.

    No mais, foi mais um belíssimo texto seu por valorizar a Copa do Brasil e chamar atenção para os vacilos de Caio Jr.

    ————

    Franciel, Mocota gostaria de saber sua opinião sobre o assunto a seguir, se possível:

    Por que uma parte da torcida do Vitória tem uma paciência da zorra com medalhão improdutivo e persegue entregador de camisa que traz destaque nacional para o clube?

    ————————-

    Diga não a Fonte Nova. Diga $im ao Novo Barradão na Paralela em 2016.

    Avante Leão!!!

  8. Anrafel Says:

    Prioridades: Nordestão, Copa do Brasil e uma vaga na Sulamita.

    O Baianinho não é prioridade, é obrigação, posto ser competição de um time só.

    Por que a cartolagem não enxerga isso? Ora, de onde menos se espera é que não sai absolutamente nada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: