Sobre o MSMV: Sonhos não pedem divórcio

Com a sagacidade ancestral de velha raposa que teve o lombo curtido em anos de labutas traiçoeiras,  o intrépido Leonel Brizola identificava logo quando algum partidário estava na iminência de mudar de posição, prestes a dar aquela conhecida e inescrupulosa pulada de cerca. Nestas ocasiões, para denunciar o sujeito, ele sacava do coldre o seguinte jargão: “Fulano está costeando o alambrado”.

Pois bem.

Apesar de sempre dar boas risadas das boutades do caudilho, nunca tive afinidades ideológicas com o referido. Muito menos possuo seu faro para perceber quando as pessoas começam a costear o alambrado.

(Estes prolegômenos foram apenas descontrair, pois as cenas dos próximos parágrafos serão marcadas por certa gravidade e tensão).

Motô, volta a fita aí para cerca de dois meses atrás. Pronto.  Vamos lá.

Nesta época, um amigo*, destes que estão sempre atentos às artimanhas do jogo político,  fez-me o seguinte alerta sobre os rumos do Movimento Somos Mais Vitória .  Às aspas. “França, percebo uma articulação em setores do MSMV que tem me preocupado. Alguns membros parecem que estão esquecendo a possibilidade de construção a partir de uma perspectiva coletiva e estão embarcando num jogo personalista. Isto irá estraçalhar o Movimento”.

Mesmo sabendo que este cidadão merecia crédito, até mesmo por conta de sua vivência, preferi não trilhar os caminhos indicados por sua sábia desconfiança.  E esqueci o importante aviso que ele me passara.

Porém, apareceu um segundo (e péssimo) sinal. Pouco tempo depois, veio à baila algo que me deixou extremamente injuriado.

Seguinte foi este.

Na nossa lista geral de debates, um integrante do Movimento informou que a atual direção do MSMV havia criado uma lista particular, escanteando os antigos coordenadores.  Mais uma vez, não dei a devida importância à (grave) questão, pois naquele período estava empenhado em ajudar na retomada das atividades do Movimento que andava meio parado (alô, oximoro). E mais. Apesar de ter sofrido esta sacanagem, que na época classifiquei apenas como deselegância da atual coordenação, ainda gastei energias tentando acalmar os ânimos dos antigos coordenadores que se sentiram sacaneados. (Novamente, por uma questão ética, não citarei nomes, mas eles estão aí para testemunhar, se assim desejarem).

Pois muito bem. A partir de então, neste processo de retomada, colaborei na consecução de algumas tarefas, dentro de minhas possibilidades, seja escrevendo textos ou fazendo panfletagem. E, modéstia às favas, creio que contribui para que o Movimento saísse de um processo meio letárgico e voltasse a ser protagonista nas coisas relacionadas ao Vitória.  

Pois muito bem.

Logo depois de retornar de uma viagem, com ânimo renovado por ver que o Movimento estava novamente pulsando, duas pessoas que admiro e respeito me convidaram para tratar de eleições no Esporte Clube Vitória. Como estava focado neste processo interno de reavivamento do MSMV, não acompanhei o desenvolvimento de nenhuma articulação eleitoral.

E, assim, com o espírito livre, fui-me encontrar com estes dois amigos. Apesar de eles acharem que não, que eu já estava informado, recebi com certo espanto a notícia de suas candidaturas. Um deles eu já sabia do desejo. A outra pessoa eu nem cogitava que fosse entrar nesta empreitada. Portanto, não tinha uma opinião formada sobre a questão, contudo possuía uma inabalável convicção. Eu jamais iria (nem irei) participar de um projeto que envolva o ex-presidente Paulo Carneiro e seu lugar-tenente Walter Seijo – e  não por problemas pessoais, mas sim pelo que eles representavam e representam. A questão não é somente de nomes, mas de métodos.  Até porque, como é de conhecimento de todos, o projeto do MSMV é uma proposta de construção coletiva, não personalista 

(E deixei isso claro num e-mail que enviei a ambos posteriormente).

Ato contínuo, os debates na lista do MSMV ficaram extremamente acirrados. Acusações, insinuações, negações, um panavueiro dos 600 DEMÔNHOS. Como já havia ligado os fios, deixei claro de qual lado estaria. Ou melhor, de qual lado NÃO SAIRIA. Do lado das idéias e ideais que me mobilizaram para lançar a chama do MSMV há algum tempo: luta por democracia, transparência, profissionalismo e respeito ao torcedor. Isto é: na trincheira oposta à que sempre estiveram o ex-presidente e seus asseclas. E estava travando o bom (e às vezes áspero) combate no referido espaço.

Porém, no dia 23 de dezembro, a coordenação lançou um desalentador comunicado, indicando que, em vez de travar batalhas pela consolidação de nosso  projeto coletivo (luta pela constituição de uma chapa própria e busca de apoio de outros segmentos democráticos), estava começando a prevalecer vontades individuais.   Às aspas e reticências.

“A Coordenação do Movimento Somos Mais Vitória vem esclarecer que dois de seus membros, (…), participam das reuniões da Chapa Vitória Século XXI. Embora os referidos associados ocupem também os cargos de Coordenador (….), a posição individual de cada um não representa a posição institucional do Movimento Somos Mais Vitória e de sua coordenação”.

Diante de tal fato (quase consumado), e com o objetivo de não causar problemas mais graves com pessoas a quem respeito, preferi me afastar do MSMV. Quando idealizei o Movimento sabia que ele seria formado de divergências por conta de sua pluralidade (e sei também que é do atrito -sadio – que se faz luz). Porém, como disse, não entrei neste projeto para criar inimizades. Assim, mesmo vendo que a posição e os princípios que defendia eram amplamente majoritários, decidi me afastar. E lancei apenas uma nota interna de agradecimento**, que reproduzo no final. Nesta ocasião, um outro filiado, por motivos diversos, também mostrou o desejo de sair do Movimento.

Pois bem.

Apesar de insistentes solicitações de inúmeros amigos filiados ao MSMV para que eu não me calasse diante da gravidade dos fatos e falasse sobre os motivos de minha saída para não deixar o (falso) sentimento de abandono – preferi o obsequioso silêncio. E fiz isso mesmo tendo a consciência de que poderia ser mal interpretado, de estar dando a impressão de que fugia da luta ou coisa que o valha. Ainda assim, decidi pagar este preço em nome da coesão interna e por saber que a continuidade do Movimento era muito importante, algo que deveria ser preservado. 

Porém, ato contínuo, excluíram-me da lista de debates com a rapidez de um Ben Jonhson dopado. Até aí, tudo bem. Afinal, fui eu mesmo que informei que estava me afastando. Só que, eis a facada final. A agilidade na exclusão da lista foi seletiva, a navalha estava afiada somente para me atingir. O outro integrante que, na mesma mensagem também havia comunicado o afastamento, continuou na referida lista de debates.

É graça uma porra desta?

Aí, ao juntar todos estes perversos pontos, percebi que não havia mais como continuar calado. E, apesar de ser cabeludo, não tenho vocação para Jesus Cristo. Por isso, decidi tornar pública esta situação (depois falarei de outras) e informar que não solicitei divórcio dos meus sonhos. Não, isso não.

Continuarei na trincheira defendendo o que acredito e denunciando os que agem desta forma, costeando o alambrado para, depois, pular e espezinhar sobre os princípios. Afinal, o ano e a dignidade de alguns podem estar nos seus estertores, mas a minha luta e a de muitos que acreditaram e ainda acreditam neste belo projeto DEMOCRÁTICO E COLETIVO de transformação do Vitória não se acaba – até porque já sabemos que com tiranos não combinam Rubro-Negros corações. 

Saudações Democráticas.

*  Não coloquei nomes aqui para preservar as pessoas, mas todos que quiserem se identificar fiquem à vontade.
 
** AGRADECIMENTO
 
Olá, amigos Rubro-Negros, ao contrário do que normalmente faço, serei rápido. 
 
Estas breves linhas servem para agradecer a todos vocês que acreditaram na construção do projeto Somos Mais Vitória, movimento que contribuiu para que os temas da democracia, transparência, profissionalismo e, principalmente, respeito ao torcedor entrassem definitivamente na pauta de NOSSO Clube. Vocês mostraram que com tiranos não combinam corações rubro-negros. 
 
Além do agradecimento mais profundo e sincero a todos e a cada um, e em respeito a vocês, venho comunicar que estou me afastando, de modo definitivo e irrevogável, de toda e qualquer atividade ligada ao MSMV. 
 
Muito obrigado a todos e sigam na luta.
 
Saudações Rubro-Negras e Democráticas“.  
 
 
Anúncios

47 Respostas to “Sobre o MSMV: Sonhos não pedem divórcio”

  1. Marcio Melo (@marciosmelo) Says:

    França, ‘cansei’ do movimento um pouco antes de você por diversos motivos e, como você (lá ele), também prefiro me afastar das coisas do que criar balbúrdias desnecessárias. Não estou de acordo, falo, comunico, se vejo que vai contra meus princípios, ajo da mesma forma.

    Fico triste pelo MSMV, o que ele parecia representar naquele dia que sentamos uns gatos pingados pra discutir o início de tudo, de quando a gente, junto com outro grande amigo nosso (também não citarei nomes) colocamos o embrião do site no ar, tava tudo caminhando muito bem.

    Agora essa questão levantada por você me deixa extremamente triste.

    Mas vamos pra frente, nós torcedores encontraremos outro meio para defender os nosso direitos e interesses

    Grande abraço.

  2. Tito Araujo Says:

    Seu Françuel, como você já sabe, fui um dos antigos coordenadores que foi excluído da lista. Realmente, naquele momento, fiquei puto e acirrei mesmo os ânimos dentro do debate, como você já citou.

    Achei estranho o comportamento de algumas pessoas da atual coordenação e achei também que os ideais pareciam bem diferente daqueles que a gente pregava nas mesas de bar do imbuí (aliás, bons momentos que nunca esquecerei).

    A partir desse momento, não me sentia mais parte de uma equipe. Pra mim tinha perdido totalmente o sentido, então me retirei.

    Bem, é isso. Mas como diz Márcio, vamos pra frente, caminhando que a estrada ainda é longa.

    Abraços
    Tito

  3. Duilio Camardelli Says:

    Franciel, por favor, preciso conversar com vc, sei que o espaço não é para isso,mas se faz necessário.

  4. Elmo Campos Says:

    Por morar no interior e ter tido um ano pra la de agitado no trabalho, não acompanhei o movimento de perto como gostaria, lendo esse texto me entristeceu muito saber que o principio democrático anda sendo ferido no MSMV, sei do movimento do ex presidente que vive na espreita querendo voltar, levantando a voz quando o time fraqueja e se calando nas conquistas, sinceramente não acho que é disso que o Vitoria precisa, nem tão pouco da atual gestão, não era esse o sonho da maioria.

    SRN

  5. Reinaldo Says:

    Triste isso.

    Conte comigo para continuar a luta por um movimento livre.

    #ForaAP #PCjamais #MSMVfree

  6. Chico Nunes Says:

    Prezado Franciel, solidarizo-me de maneira “ampla, geral e irrestrita” e estarei presente na AGE para apoiar aqueles que defendem o espírito democrático e de transparência de um projeto COLETIVO.

  7. geno Says:

    Caro Franciel, na qualidade de filiado de primeira hora deste movimento, embora não atuante, venho solidarizar-me com a sua posição e dizer que temos que reagir a este verdadeiro golpe aos ideais de quando e porque foi criado o MSMV.

    Bem que vi alguma movimentação estranha nos sites do torcedores do Vitória e um engajamento ¨ voluntário¨ divulgando uma entrevista do referido cidadão PC como se fora um lançamento de sua candidatura.

    Que fique a lição, inclusive para voce, como eu mesmo já aprendi em outras situações da vida, que não se deve dar espaço a aventureiros que eles se aproveitarão para fazer o que mais sabem que é trair e coçar.

    Tenho certeza que como eu, aqueles que filiaram-se ao movimento para democratizar o ECV não embarcarãonesta canoa furada.

  8. Alisson Says:

    Tristeza.

  9. joão Says:

    Do jeito que foi construído o texto e o motivo dele, se faz parecer que toda decisão tomada pelo movimento é feita unicamente pela coordenação.

    • Franciel Says:

      Não entendi, meu caro João?

      Fiz o texto expondo os porquês de minha saída.

      Poderia explicar melhor seu comentário?

      SRND

      • Duilio Camardelli Says:

        tou precisando conversar com vc

      • joão Says:

        entendi dessa forma, sua saída do movimento foi por causa da posição tomada pela coordenação(por algumas pessoas que fazem parte dela), como se um apoio a uma eventual chapa já tivesse sido consolidada, como já não houvesse a possibilidade do movimento trilhar um outro caminho. Eu não sei se há algo à mais por traz deste afastamento, mas pelo que está no texto, entendi que seu afastamento poderia ser evitado até pelo menos a proxima AGE, aonde sua presença seria fundamental para o esclarecimento de muitas coisas. Hoje o que há é muitas criticas ao movimento de forma injusta em algumas redes sociais, pessoas que desde o começo optaram por não fazerem parte do movimento dizendo, “por isso que eu nunca participei”, “muito politicamente correto pra dá certo” … Eu sinceramente ainda acredito no MSMV, mas fico apreensivo com os rumos que as coisas estão tomando, eu acredito(não sei se estou sendo ingenuo) que uma decisão ainda não foi tomada.

      • Franciel Says:

        João, meu querido,
        apesar de sua pouca idade, admiro sua maturidade e seu senso coletivo. Atitudes como as que você teve ao longo de minha participação do MSMV deram-me força pra prosseguir nos momentos mais complicados.
        Francamente, não tenho mais energias para polemizar ou dizer nada para não causar ainda mais maus entendidos. O que tinha para dizer no moemtno, taí. Alguns interpretam de um jeito outros de outros.
        Por consideração que tenho a você, caso queira saber mais podemos marcar para conversar pessoalmente.

        Abraços.

        P.S Quanto aos vermes que pululam nas redes sociais, dizendo isso ou aquilo, que não entrou, não participou ou tal, não passam de vermes.

  10. edgar tolentino rodrigues Says:

    ate que enfim o esporte clube vitorinha que e da bahia libertou-se das dores de nunca ser campeao nacional , e arrumou um titulo nas divisoes de base, ja que no time principal nao tem competencia para isso. mas uma pergunta o esporte clube vitorinha que e da bahia parece mais um time de pedreiros, eles nunca saem da base.

    • Márcio Reis Says:

      Meu caro Edgar,
      Se não percebeu, cabe-me lhe explicar.
      Aqui neste espaço rubro-negro se busca a discussão inteligente e não a gozação mal feita ou gratuita. Para isto você pode procurar outros espaços que, assim como você, utilizam-se de um dialeto parecido com o português. Lá você encontrará com quem se comunicar.

    • Carlão Says:

      Tolete,
      se você não namora mais aquele jumento que pasta no Fazendão, procure um jegue solteiro. Vá chupar uns dois hectares de cavalo antes de vir aqui procurar flerte.

  11. Márcio Reis Says:

    Franciel,
    Mais uma vez, parabéns! Pelo texto e pelas posições tomadas.
    Sou torcedor do Vitória desde sempre, não moro em Salvador há alguns anos e enquanto por aqui pela Bahia estive sempre tive a oportunidade de saber das coisas internas do Vitória através de um grande amigo do meu pai. E elas nunca foram muito animadoras, desde a época de Paulo Carneiro e cia.
    Mas, de um tempo pra cá, não mais tive notícias sobre estes assuntos, primeiro porque não quis mais me inteirar a respeito das coisas sujas do Vitória. Segundo porque, como disse anteriormente, nao mais resido em Salvador.
    E lhe confesso que sempre tive a certeza de que, o que você hoje relata, mais cedo ou mais tarde, aconteceria. Não pelas pessoas, pois não as conheço. Mas pela situação de oportunidade que se cria neste tipo de movimento quando, de um lado, uns percebem a possibilidade de projeção pessoal e, do outro, pessoas do perfil de Paulo Carneiro e seus asseclas usam este canal aberto para destilar seus venenos e ideais. E a respeito disto já tinha escutado rumores há mais ou menos uma semana.
    Confesso que me entristeço muito quando me deparo com situações como esta. Nosso Vitória é muito maior que qualquer movimento ou pessoas.
    Sua posição me mostra que ainda teremos que conviver com este fantasma chamado Paulo Carneiro por alguns anos ainda. E também que ainda temos pessoas que, assim como eu, querem e torcem apenas pelo bem do Vitória. Querem apenas a certeza de que os que lá estão ou aqueles lá desejam estar, estejam imbuídos do melhor propósito para algo que, inexplicavelmente, tem uma gigantesca importância em nossas vidas.
    O que desejo é poder sentir emoções como a de ver nosso clube se impor e se mostrar para todo o Brasil como nas finais da Copa do Brasil sub-20. Foi bonito de se ver! O que quero é que quem dirige o ECV respeite o nosso manto, a nossa camisa. Camisa esta que visto neste momento em que escrevo e em que, por mais uma vez, sinto uma sensação de desgosto momentâneo.
    Mas não tem problema não. Amanhã, ao acordar, empunharei outra camisa rubro-negra com a certeza de que dias melhores virão, aproveitando este espirito de ano novo.
    Grande abraço!

    Márcio Reis

  12. Felipe Ventin Says:

    Franciel, vou adaptar o que escrevi na lista de debates do Movimento.

    Noto que a sua saída se pautou na ideia de não querer criar inimizades (“Diante de tal fato (quase consumado), e com o objetivo de não causar problemas mais graves com pessoas a quem respeito, preferi me afastar do MSMV. […] Porém, como disse, não entrei neste projeto para criar inimizades”.)

    Embora respeite o seu afastamento, eu discordo dele e da maneira com que foi feito. Vou justificar.

    Acho que o processo de transformação do Movimento é salutar, embora doloroso até o momento. Ele começou como um grupo de amigos, com ideias semelhantes. Porém, na medida em que esse grupo se expande, cresce e passa a ser integrado por mais associados, de diversas linhas de pensamento, as discordâncias aparecem e são naturais, como você bem frisou.

    Não acredito que na primeira divergência ou bate-boca a melhor ideia seja se retirar. Até entendo os mais sensíveis. É difícil ter paciência para dedicar tanto tempo a uma coisa que deveria ser apenas entretenimento: o futebol. As vezes o debate é duro e pela internet é difícil se defender, arrumar as ideias. Infelizmente alguns assuntos que seriam mais facilmente debatidos na Assembleia foram antecipados e a ideia central se perdeu.

    Podemos endurecer, mas sem perder a ternura, companheiro. Um Movimento que busca ser um pilar do Vitória, interferindo no destino do clube e colocando o torcedor como protagonista não pode ser uma mera lista de e-mails para celebrar a amizade e o amor pelo rubro-negro. Um Movimento que busca constituir-se enquanto associação deve ser plural. Acredito que haja diversos associados das mais diversas correntes filosóficas: comunistas, neoliberais, socialistas, anarquistas, favoráveis a PC, AP, Lula, FHC, Dilma, ou quem seja.

    Reafirmo: o debate deve nos engrandecer e não nos afastar, sob pena de sermos apenas um grupo de amigos com uma mesmice de ideias, sem nada de novo para oferecer ao clube.

    Por isso, acho que você deve reconsiderar a sua saída e voltar para a batalha, mostrar suas divergências e discordâncias para os associados. Ao menos aguardar até uma Assembleia Geral, poder expor verbalmente suas opiniões, antes de se afastar. Não concordo com sua saída no plano virtual, ela deve ser presencial. Acredito mais no olho-no-lho do que no teclado.

    • Franciel Says:

      Felipe, meu querido, apesar das divergências, você sabe o apreço que teho por você. Porém, já entrei nos enta, onde não tem mais volta, e não tenho um inimigo sequer. Não cultivo ódio.

      E a questão é que divergência, discordância, é completamnte diferente de deslealdade. E eset é o passo para inimizades. Como não quero isso para minha vida, retiro-me, tranquilamente, sem problema algum.

      Abraços.

      SRND

      • Terê Says:

        França,

        Também estou muito triste com a sua saída, torço para que vc escute o velho Raulzito e mude de idéia. Mas caso seja impossível, proponho a fundação de outro movimento. ( sei que não é simples, mas a maioria te acompanha, penso e acredito)

        Eu também acho que sou ingênua, mas imagino que nada está fechado quanto a volta do câncer do Vitória, sou totalmente contra e conheço muitos sócios que comungam com este mesmo pensamento.

        Sou sua admiradora, sempre enalteço sua postura, iniciativa, engajamento, posições.

        Saudações DEMOCRÁTICAS sempre.

        Ps: deslealdade é foda mesmo! Mas repense!
        ,

  13. Anônimo Says:

    É, Seu Françuel…. Você criou uma bomba atômica… Lembre-se disso…

  14. J Mocota Says:

    Que novidade…

    O movimento democrático assumiu que virou um movimento partidário?

    Mas Mocota já num tinha antecipado isso há muito tempo?

    ————————————————-

    Desista não, Franciel. Volte, chute o pau da barraca e não permita que desvirtuem os propósitos do MSMV: Democratização e transparência.

    Quem quiser fazer campanha que saia do movimento.

    É cada uma…

    —————————

    ATENÇÃO!

    Enquanto esse (M)ovimento (S)em (M)oral do (V)itória for cabo eleitoral de qualquer que seja o candidato não deverá ter o respeito e crédito junto a Nação Rubro-Negra.

    Mocota vai jogar uma pragazinha de leve:

    Caso PC ganhe as eleições que o MSMV tenha o mesmo poder de decisão que Joel Zanata possuía como gerente de futebol, ou seja…

    NENHUM!!!

    Motivo?

    Quem trai a causa não merece honrarias.

    PS – Sacanagem, brother. Estão tentando destruir a essência do verdadeiro MSMV que Franciel e coligados construíram com tanto brilhantismo.

    UM ABSURDO!!!

    ———————————- / / ——————————

    Diga não a Fonte Nova. Diga sim ao Novo Barradão.

    Avante Leão!!!

    • Juvenal Says:

      Quando você antecipou?

      • J Mocota Says:

        Graaaaande Juvenal!!!

        Como foi de réveillon?

        Qual sua expectativa com relação o Vitória para 2013?

        Você vai apoiar a situação ou a oposição?

        —————— / / ————

        Juvena, aqui, ó:

        “Franciel, Mocota mais uma vez vai mandar esta mocodica.

        Coloque o MSMV como parceira da diretoria e não como oposição.

        Tanto o clube quanto o movimento só tem a ganhar.”

        https://victoriaquaeseratamen.wordpress.com/2012/03/22/um-freio-no-otimismo-insano/

        PS – Juve, tem outros textos, mas Mocota acha que esse já tá bom para o nosso amigo Françiel não ficar mais chateado do que já deixaram ele.

        UM ABSURDO!!!

        Diga não a Fonte Nova. Diga sim ao Novoa Barradão.

        Avante Leão!!!

  15. Geraldo Says:

    Sêu, Franciel não era preciso ser nenhuma madame Beatriz pra perceber que este tipo de negociata iria acontecer, as vezes ficava pensando em voltar ao movimento mas agora vejo que foi a melhor coisa que fiz, foi ter saído antes deste desrespeito ao objetivo do verdadeiro MSMV.

  16. Camilo Says:

    Parabéns Franciel!!! Você fez um grande serviço ao Vitória. Pena os diversos posts que escrevi nos sites futebolbahiano.com e ecvitorianoticias sobre o seu texto não terem sido publicados. Isto mostra a dimensão que o tal “movimento” chegou. A mordaça está aí… Não consigo postar um comentário contra o movimento nestes sites. É esta a democracia que eles querem no Vitória?
    Ps.: espero que aqui minha opinião seja publicada.

    • Márcio Reis Says:

      Camilo, penso que todos os torcedores doVitória deveriam deixar de acessar e tecer comentários no futebolbahiano.com pois o lá o DONO do blog não sabe respeitar as diferentes opiniões principalmente se rubro-negras.

      Márcio Reis

  17. jbassu Says:

    A CREDIBILIDADE DO MOVIMENTO NAO EXISTE MAIS.

    Queiram ou nao, HOJE demos um enorme passo para traz em termos de participacao do TORCEDOR na vida do clube.

    Para aqueles aos quais eu incentivei a participar do Movimento, minhas desculpas, fui enganado assim como voces.
    Minha “ingenuidade” me traiu mais uma vez.

    Estranhei quando eu vi a entrevista do ex presidente em dois blogs rubro negros. De novo, puta que pariu a ingenuidade.

    Seu menino, louvo sua atitude. Atitude essa que so vem a confirmar o que penso da sua pessoa, pois apesar de poucos contatos, sempre te considerei uma pessoa do BEM.
    Voce eh melhor do que tudo isso.

    Um abraco.

  18. Juvenal Says:

    Esse Werther é um belo de um gordo filho da puta que batia boquete pra Chileno lá na ZCR.

    Chega aí, seu gordo, pra a gente ver da colé.

  19. Juvenal Says:

    Franciel, ingenuidade sua não saber que o futebol é o meio mais sujo que há. As pessoas mais podres costumam se aproximar do futebol. Não que não hajam pessoas boas, mas são minoria. Pode observar isso na saída do estádio, nas comunidades virtuais, listas de discussão, na “imprensa” e etc.
    Todo aquele papo apaixonado de vínculo organicista e comunitário, e de atividade tribal pode até existir quando você tem uma relação não tão próxima com o dito cujo, Quando você se aproxima demais, isso tudo vai para o espaço.

    Pessoas legais estão montando bandas de música, participando de cafés filosóficos (ou brejas filosofais), debatendo outros assuntos mais gerais e buscando contribuir para a sociedade de outra forma. Você possui um nível intelectual avançadíssimo, portanto dedicar seu tempo, trabalho e esforço em benefício de um clube de futebol não deve ser a sua única opção de “deixar o seu” marcado na história. Só busque evitar pessoas burras e escrotas, pois estas são maioria.

  20. Manoel Novaes Says:

    Rapaz… quanta invenção, foi marcada uma reunião para apresentar proposta e não foi definido nada, a AGE marcada para o dia 12.01.13 que vai definir tudo, antes terá reunião dos coordenadores e vou propor que todos renuncie e lhe entregue o que vc inventou. Agora, vc foi frouxo, nos largou ( a ideia era todos seguirem até 2013, ou quase todos, e um dos componentes que jamais era pra sair, era vc, não que vc seja o “banbanban”, mais nosso ciclo não estava completo e vc sabia disso, mais não guentou né? pensava que seria facin), toda quarta tem reunião, as vezes passa de meia noite e o pessoal debatendo, pra agora ficar ouvindo um monte de baboseira a nosso respeito, ainda mais vindo de vc, que nos conhece e poderia ta nos apoiando “numa hora dessa”. Ninguem que participar efetivamente, pra achar um pra segurar faixa no estádio é um sacrificio, pra panfletagem, some todo mundo, agora nas redes sociais, são os porretões: “eu não disse !”, “eu já sabia!”. Agora pra linha de batalha não aparece UM!!

    Boa noite !!

    Manoel Novaes

    • Franciel Says:

      Manoel, meu querido, menos. relaxe, respire e leia.

      à moda do velho Jack, vamos por partes, ok?

      1- Onde há alguma invenção, diga. Se você me mostrar alguma no texto, pode ter a certeza que terei a hombridade de retirá-la. E ainda me desculpar por isso.

      2- SE vocês quiserem renunciar, não posso fazer nada. Renúncia é um ato de foro íntimo.

      3- Quanto a me “devolver” o MSMV, esqueça. Ele não me pertence nem nunca me pertenceu. E eu não o inventei, posso ter IDEALIZADO-O.

      4- Qual foi a baboseira que falei, meu caro? Apenas relatei um processo de clara perseguição, com a criação d e uma nova lista de coordenadores, sem a mínima delicadeza de avisar-me ou aos outros coordenadores. Não que sejamos o banbanban, mas era uma questão de, ao menos, gentileza. Na ocasião, gastei bastante energia, pedindo às pessoas que estavam injuriadas que se acalmassem, que o mais importante era fortalecer o MSMV. Talvez você não tenha visto ou lido pq perde mais tempo nos blogs da vida do que na nossa lista de debates. Sem problemas. E mais. Se você desejar, posso lhe mandar todas as mensagens sobre o tema e minhas atitudes na ocasião. OK?

      5- Quanto à participação das pessoas nas atividades do MSMV, concordo em parte. Ninguém é obrigado a segurar faixas em estádio, não. Eu segurava pq achava que valia a pena. Outros, demonstram apoio de outras formas.

      6- Quanto à sua participação na construção do MSMV, posso dar um testemunho público: Foi excelente. Você, Manoel Novaes, sempre trabalhou de modo sério e com notável depreendimento.

      7 relaxe, respire e (re) leia tudo. Creio que você escreveu sem pensar ou foi influenciado por um clima criado entre o pessoal da coordenação. Compreendo, mas não concordo. Se me mostrar fatos, não tenha dúvida que mudo de opinião.

      Feliz ano novo.

      • Manoel Novaes Says:

        Seu Franci, não vou ficar de bate-boca com você, só desabafei sobre tudo isso que ta acontecendo, tenho certeza que não infringimos nada. Lista de debates, sempre fui ausente mesmo, desde o inicio não participo, vc bem sabe disso, não é meu “forte”, ajudo do jeito que posso. “baboseira” foi direcionado a alguns de seus “seguidores” e o ser frouxo foi direcionado exclusivamente a você, kkkkkkkkkkkkkkkkk
        Não mim queira mal, acho que nesse momento (que foi tão esperado pela gente, lembra???) deveriamos unir forças e não como esta acontecendo as coisas.

        Feliz Ano Novo a todos.

        Manoel Novaes

  21. Duilio Camardelli Says:

    Franciel, Bom dia!!!!!!!!!!!
    Desejo a todos mais uma sequencia de dias, com PAZ, SAUDE e PROSPERIDADE, sempre na frente de nossos caminhos aquele que FOI, É e SERÁ SEMPRE o TODO PODEROSO, ”DEUS”.
    FELIZ CHEGADA DE NOVOS DIAS.
    ABRAÇOS

    *Insisto preciso conversar com vc.*.

  22. renandiego Says:

    É UMA PENA QUE O MOVIMENTO ESTEJA FERINDO SEUS PRINCIPIOS E TOMANDO ESSE RUMO, POIS APESAR DE NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DO MOVIMENTO EU TINHA MUITA ESPERANÇA QUE O MOVIMENTO REALMENTE CONSEGUISSE FAZER VALER A VOZ DO TORCEDOR, MAS PELO QUE TA PARECENDO TÃO USANDO O MESMO COMO MERO TRAMPOLIM POLITICO.

  23. edgar tolentino rodrigues Says:

    marcio reis, sabe o que siginfica a palavra ,s msmv? se não sabe vou lhe explicar. minha sina meu vicio vice,ou vitoria um time sem historia . bora bahea

  24. robson Says:

    Prezado Franciel,

    Nunca tive a oportunidade de participar ativamento do movimento em virtude de residir no sudoeste do Estado.

    Por outro lado, recebi com alegria a notícia de que os torcedores do Vitória iniciariam um movimento destinado a lutar pela implantação de um novo modelo de gestão para o clube.

    Apesar de lamentar a sua saída do movimento, acredito que foi importante para ressaltar a não concordância com a partidarização do movimento.

    Propostas mirabolantes como a construção de novas arenas seduzem grande parte da torcida (especialmente aqueles que não vivenciaram a política de ingressos impagáveis mediante a justificativa de que futebol era caro).

  25. Silas Says:

    Prezado, não é de hoje que admiro sua consciência e dedicação à causa nobre da democratização leonina, de maneira que leio essas palavras com meio quilo de consternação, mas só cento e vinte gramas de surpresa.

    Não vou fazer o coro dos que cantaram essa pedra, até porque eu acredito tanto no movimento que me filiei e me engajei. Arrefeci mais por umas contingências pessoais do que em razão do que acredito.

    Mas, por falar no que acredito, já falei e repito: há um vício na origem que causaria, naturalmente, outros tantos na execução, como o que ora se vê. Nós superestimamos o poder do voto.

    Parece-me que o movimento reduz a ideia de democratizar o Vitória à ideia de podermos escolher o presidente do time, de modo que tenhamos um presidente que nos represente. Democratizar o clube seria abrir as suas portas à participação do sócio; seria mais do que poder escolher quem governa, seria governar conjunta e ativamente.

    As Diretas Já foram um marco na democratização do país, mas era só o primeiro passo e a juventude progressista achou que já tinha ganho a corrida.

    Eu não acredito na democratização do Vitória se ela não for precedida de uma republicanização do time, isto é, se o time não deixar de ser um feudo de quem o presida, passando a uma gestão cooperativa de quem o ama e que com ele deva ter a liberdade e o espaço para contribuir, escolher esse senhor feudal é muito pouco pra mim e a consequencia natural de um movimento que tivesse quase como único desiderato a conquista desse poder de voto teria como consequencia natural um racha em torno de um nome presidenciável.

    E aí, meu amigo, dizem que a política é a segunda profissão mais velha do mundo e há nela muito de semelhança com a primeira. Se as pessoas se convencem que um nome é o melhor a ser eleito, elas matam mães e pais por isso, que dirá o Sr., seu Françoise.

    De paulo carneiro a Jesus, qualquer que seja o presidente, escolhido ou não pelo povo, não será o que eu quero pro time, se não me der o direito de governar com ele, através de vias institucionalizadas pelas quais eu tenha acesso deliberativo direto.

    É como penso, s.m.j.

    E como não diria o seu Ernesto, a luta continua, pelo menos hasta siempre.

    Abraços,
    Silas Lopes.

    • Felipe Ventin Says:

      Grande Silas! É assim que também penso e como continuamos pensando no MSMV. Você faz falta ao Movimento. Assim que organizar melhor seu tempo, estamos te esperando na coordenação jurídica.

  26. Silas Says:

    troquem o “teria como consequencia natural” por um ‘seria’; escrevi com pressa…

  27. Juvenal Says:

    Parece que limaram Paulo Carneiro da jogada, procede?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: