Caneladas certeiras

Não que eu queira tirar onda de profeta, até porque num é de meu feitio, mas, conforme previ na semana passada, o Vitória brocou. Bom, é claro que não sou Mãe Diná, porém de vez em quando dou minhas cacetadas. E, de vez em sempre, dou minhas caneladas também. Portanto, ei-las:

Nos momentos decisivos é que se conhece um grande goleiro. Deola descansou durante todo o primeiro tempo (foi exigido apenas numa cabeçada, já no finalzinho), mas mostrou tudo o que sabe na segunda etapa. Só faltou fazer chover. Com as mãos e com os pés, fez uma partida simplesmente impecável e garantiu o resultado.

Pelas laterais, Nino esteve apagado durante quase a totalidade do jogo, só melhorando um pouco no segundo tempo. Bem marcado, o Paraíba errou bastante e não apoiou como de costume. Pelo potencial que tem, ficou devendo. Do outro lado, Gilson esteve melhor, foi à frente e conseguiu boas triangulações, inclusive com participação em dois dos nossos gols.

No miolo de zaga, Victor Ramos vacilou no lance do pênalti, numa jogada manjada de atacante que faz a parede e gira dentro da área. Ainda no primeiro tempo também errou em bolas aéreas. Na segunda etapa conseguiu se firmar, subindo de produção junto com o restante da equipe. Gabriel manteve um maior equilíbrio durante os 90 minutos, jogando sério e cometendo menos erros que seu companheiro de zaga. Também conseguiu assustar bastante os adversários com aquele moicano bizarro.

Muito bom o futebol apresentado por Uélliton. Quando o camisa 5 quer jogar sério, não tem pra ninguém. Defendeu com vontade e mostrou qualidade no passe em diversos momentos, bateu falta com perigo, jogou pra frente, reclamou, tomou cartão, em suma, foi o nosso capitão. Na segunda etapa deu lugar a Rodrigo Mancha, que, se não mostrou a mesma qualidade, também não comprometeu na marcação. Michel também manteve a regularidade durante todo o jogo e foi fundamental no povoamento do meio-de-campo, evitando com sucesso as penetrações (lá elas) do time cearense.

A grande vantagem de Pedro Ken é que ele dificilmente erra passes. Assim, consegue transformar a lucidez do seu pensamento em boas jogadas. Na metade da competição, já dá pra dizer que ele é o “maestro” do time. E ainda concluiu com frieza uma jogada tramada e executada com velocidade desde a defesa rubro-negra. Assim como ele, Willie também esteve mais preso na marcação na primeira etapa, porém, com o desespero da equipe cearense, o garoto conseguiu aproveitar os espaços e deu um calor danado na defesa adversária. E principalmente porque, a partir dos 15 minutos, jogou como atacante, posição onde mais rende e de onde saiu bela jogada pro gol da virada rubro-negra. Rodrigo Costa entrou em seu lugar apenas pra reforçar a defesa e garantir o placar favorável.

Nosso ataque no primeiro tempo foi quase inoperante, a não ser pela boa jogada de Elton, que recebeu de Gilson e cruzou rasteiro, no lance do gol de empate. Na segunda etapa, foi a vez do camisa 11 receber assistência e completar para as redes, após bela jogada de Willie. Saiu faltando 15 minutos. Em seu lugar entrou Tartá, com uma incrível fome de bola (tanto que foi fominha demais em alguns lances e recebeu bronca de Carpegiani). Particularmente, prefiro Tartá ao lado de Pedro Ken no meio-de-campo. Mesmo com pouco tempo, ele foi bastante efetivo nas jogadas de contra-ataque. William, mais uma vez, brocou quando teve oportunidade. E mandou outra na trave. Centroavante é isso. E com 4 gols em 4 jogos, não há o que contestar.

Carpegiani colocou pra jogar o time que já está na ponta da língua do torcedor. Como frisei, prefiro Tartá no lugar de Willie (que tem jogado melhor como atacante). Mas prefiro mais ainda ficar aqui só dando pitaco. O técnico acertou nas substituições e jogou (como sempre joga) pra cima do adversário, dentro ou fora de casa, o que, sem dúvida, nos enche de orgulho.

A partida foi tecnicamente muito fraca no primeiro tempo, mas, ao final, prevaleceu nosso melhor futebol. Soubemos aproveitar as deficiências do Ceará e “matamos o jogo” no momento oportuno. Fim do tal “primeiro turno”, e sabem vocês o que isso significa? Rigorosamente nada. Afinal, título de “campeão moral” só serve pra jornal sem-moral e pra torcedor iludido (porque iludido é pior que doido). O Vitória luta para ser CAMPEÃO DA SÉRIE B e, até dezembro, há um longo caminho a ser percorrido. Agora é hora de equilíbrio emocional, humildade e, principalmente, dedicação total dentro de campo.

Terça-feira teremos pela frente o lanterna Barueri. Mas é bom que ninguém se engane com a sopa de tamanco que encontraremos. Preparem seus saca-rolhas, pés-de-cabra e demais apetrechos para mais um ferrolho que se avizinha. A vantagem é que, a julgar pelos baxVi’s de 2012, não vai ter pra ninguém. Continuaremos atropelando!

Vamos que vamos! Rumo ao título!

Anúncios

7 Respostas to “Caneladas certeiras”

  1. Marcio Melo (@marciosmelo) Says:

    Vamos atropelando rumo ao título.

    Próximo jogo no Barradão 2 bilhões de pessoas lá!

  2. Teresa Says:

    Rumbora Vitoria, carajo!!!

    Saudades desta tribuna!

    Terê

  3. Elmo Says:

    O leão ta passando o rodo, não ta liberando nada.

  4. Antonio Luís Castro Araújo Says:

    EXTRA, EXTRA, : VITÓRIA RASGA ESTATUTO DO IDOSO, INVADE CASA DO VOVÔ E O AGRIDE COM 3 CACETADAS……KKKKKKKKKKKK…….

  5. Mirne Says:

    Blogue do jiló.

  6. Davi Mota Says:

    O VITORIA acertou a defesa, Deola tá acabando com o jogo, tá dando segurança pro time que tá indo pro ataque com muita qualidade!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: