Um aperitivo para a liderança

Retorno, ainda com o gostinho de liderança no canto da boca, pra sapecar mais uma sequência de vilipêndios aos sérios futebolistas da Nação. Ei-los:
Douglas fez o que se espera de um goleiro reserva: entrou e não comprometeu. A rigor, quase não trabalhou. Apenas apareceu pra defender um ou dois chutes de fora da área. Nada mais. No próximo jogo, o titular (e a nossa tranquilidade) retornam sem problemas.
Gostei de ambos os laterais: o futebol de Nino todos já conhecem e, com a fragilidade da defesa adversária, o Paraíba deitou e rolou (foi dele o cruzamento para o primeiro gol rubro-negro). E o mesmo se diga para o outro lado do campo: Gilson reeditou a boa estreia da semana passada e apareceu bastante no jogo, foi voluntarioso, sempre chegando no apoio ao ataque. Se mantiver o mesmo nível contra as equipes mais qualificadas, acabará com a incômoda maldição daquele setor.
No entanto, o grande destaque defensivo ficou por conta da dupla de zaga, Victor Ramos e Gabriel, que jogaram 90 minutos em alto nível. Desta feita, ambos evitaram os chutões, procurando antecipar jogadas e sair com a bola no chão, o que facilitou sobremaneira a vida dos jogadores de frente. O namorido da Nicole até tentou brocar de cabeça, mas estava impedido (o coitado deve estar subindo pelas paredes, pois está sem brocar há um tempão…). Em campo, sinceramente, não consegui lembrar uma falha relevante da dupla, durante todo o jogo.
Indiscutível também o crescimento da equipe com o retorno de Uélliton. Ele e Michel protegeram tão bem a área que as (poucas) chances do adversário foram em chutes da intermediária ou em bolas paradas. No segundo tempo, Fernando Bob fez sua estreia, entrando no lugar de Uélliton, porém, como o jogo já estava na fase de “administração do resultado” não foi possível colocar em prática o seu potencial.
O destaque da meiúca (e de todo o jogo), mais uma vez, ficou com Pedro Ken. Está numa excelente fase e, mesmo quando não faz gol, é capaz de criar diversas oportunidades para si (meteu uma tijolada na trave) e para os companheiros. Poupado na segunda etapa, deu lugar a Marquinhos que, infelizmente, não teve sucesso nas jogadas que tentou. Leilson teve boa atuação até sofrer um pênalti (que o soprador não marcou), numa metida de bola (lá nele!) sensacional de Pedro Ken. Se machucou no lance, e logo depois, ainda no primeiro tempo, cedeu o lugar pra Tartá. Este, entrou com vontade de garantir a titularidade, se movimentando bastante. Inclusive colocou Willie na cara do gol, mas o atacante desperdiçou.
Por falar em Willie, o garoto esteve bem, incomodou a zaga do Guará, tabelou pela direita, mas precisa ter mais tranquilidade. Foi precipitado em alguns momentos e errou a finalização de duas grandes jogadas. Em partidas mais difíceis isto pode ser decisivo para o sucesso do time. Precisa abrir o olho, pois, com a chegada de atacantes mais experientes no elenco, pode acabar perdendo a posição. Seu companheiro de ataque, William, “estreou”, brocando 2 vezes, o que, por si só, já estaria de excelente tamanho. Porém, o centroavante novamente demonstrou qualidade técnica e disposição durante todo o jogo.
Carpegiani não inventou. Escalou os melhores e conseguir organizar o time de maneira compacta, tanto no sistema defensivo quanto no ofensivo. Também parece ter o controle do grupo, pois, titulares e reservas têm demonstrado uma vontade incomum e, acima de tudo, muita garra e disposição dentro de campo.

O Vitória dominou amplamente a partida. Descontada a fragilidade do adversário, foi bem mais organizado e objetivo, fazendo valer não só mando de campo, mas também o futebol, de qualidade muito superior. Uma pena que, na segunda etapa, o time decidiu “puxar o freio de mão”, pois era jogo pra fazer um bom saldo de gols. Continuamos em segundo na tabela, mas já deu pra sentir o gostinho da liderança, durante uns 15 minutos. Confesso que gostei deste aperitivo.

Que sigamos adiante, com a mesma determinação. O Criciúma não perde por esperar (o que não acontece com os patéticos criciumenses descoloridos, que só fazem perder…). Só sei que sexta-feira, após o jogo contra o Joinville, será caco de catarinense (legítimos e de ocasião) espalhados por toda Soterópolis.

Para o alto! E além!

Anúncios

8 Respostas to “Um aperitivo para a liderança”

  1. Cleiton Alves Says:

    esse cara é fera…fico viajando qndo vejo um cara ki alem do dominio tem o poder da palavra…sou seu fã avante pra cima deles meu leão!!!!

  2. J Mocota Says:

    Belíssima analise.

    Plac, Plac, Plac…

    PS – Minha gente, esse tal de caneleiro manja “comuquê”!!!

    Rumo a Liderança.

    Avante Leão!!!

    ——————

    NAÇÃO!!!

    Mocota tem acompanhado com muita tristeza a enquête no ecvitorianoticias. O site Rubro-Negro quer saber se os internautas aprovam o Vitória mandando seus jogos na Arena Fonte Nova. Infelizmente a disputa está voto a voto.

    Diante desta situação, que é de suma importância para o futuro do Vitória, Mocota solicita que os afiliados do MSMV, blogueiros Rubro-Negro e comentaristas façam uma avaliação detalhada o mais rápido possível.

    Mocota acredita que montaram um grande teatro e o Vitória poderá terminar no final fazendo uma comedia.

    IRMÃOS!!!

    Olhem Brasil afora e percebam que o efeito “Copa” está fazendo com que a maioria dos clubes estruturados corram para construir a sua própria arena.

    Por que cargas d’água só na Bahia vai ser vantagem um time deixar de mandar seus jogos no seu estadio para jogar no estadio do Governo?

    Será que só na Bahia existe uma formula mágica?

    Ou será que isso está ocorrendo por que na Bahia existe um baixo nível de interesse do governo estadual pela educação e por isso é mais fácil conduzir a situação?

    Sim! Mocota vive na divisa entre Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia e nos últimos anos ficou constatado que o nível educacional em Pernambuco está a frente da Bahia.

    O reflexo disso observamos quando a torcida do Sport, há muito tempo atrás, discutiu se era melhor construir uma Arena com recursos próprios ou com ajuda de parcerias.

    Em Pernambuco, o Sport e o Santa Cruz, não trocaram arrecadação e soberania por pirraça e proximidade do estádio do centro da cidade.

    Qualquer torcedor que tenha o mínimo de noção em marketing esportivo saberá que o principal fator para o crescimento de um clube é praticar os 04 “Ás”:

    São eles:

    – Autonomia
    – Arrecadação;
    – Acesso ao clube.
    – Acolhimento

    E foi justamente por tentar seguir esta linha que um clube deixou de ser um “clube saco de pancada” para ser considerado o “Manchester do Nordeste” devido a possuir no seu plantel, durante anos, um grande artilheiro…

    O ARTILHEIRO BARRADÃO!!!

    Mocota lamenta profundamente por a mídia Rubro-Negra não fazer um estudo aprofundado sobre esta situação. Desta forma facilita a vida daqueles que querem tirar o Vitória do seu próprio estadio.

    Pior que isso é ver conselheiros do clube, solicitando ao presidente, que o Leão adote a Arena Fonte Nova.

    Deve ter existido alguma$ vantagen$ ou interesse político para que o conselheiro tenha feito uma solicitação tão infeliz.

    Mocota faz uma solicitação, a você irmão Rubro-Negro, que avalie estes FATOS a seguir e depois tire as suas próprias conclusões:

    > Foi com estádio próprio que o Vitória mudou para melhor.

    > O Vitória com estádio particular não depende de autorizações nem da Sudesb e nem das Sardinhas;

    > Possuindo um estádio particular o Vitória contratou Bebeto.

    > Nenhum clube riquinho no Brasil vai trocar seu estádio particular, por “estádio da copa”.

    > Todo torcedor das sardinhas (que Mocota conhece) quer que o Vitória saia do Barradão.

    > Já a possibilidade do Vitória fechar uma parceira com a iniciativa privada e construir a própria arena multi-uso na Paralela é visto como uma coisa “absurda”. As sardinhas camaradas defendem que o “certo” é o Vitória dividir o estádio com eles.

    Agora Mocota pergunta:

    Há um tempo atrás as sardinhas foram mandar seus jogos em Feira de Santana, porque a torcida do Vitória não quis elas no Barradão.

    Por que agora eles esquecem este acontecimento histórico e fazem questão que a Arena Fonte Nova tenha a presença da torcida do Leão?

    Mocota pergunta novamente:

    Quem conhece algum torcedor das sardinhas que quer a Arena Fonte Nova só para eles, levante a mão!!!

    Oxente!!!

    Ninguém levantou a mão, por quê?

    Que isso minha gente? As sardinhas, a imprensa e o governo jahiano já fizeram tanto pelo Vitória e vocês não tem o mínimo de sensibilidade?

    Não esqueçam que quando rolou banquete de R$ 80 milhões para reformar Pituaçu o Vitória não comeu nenhuma fatia do bolo.

    Atualmente já tá rolando até café da manhã…

    ——————————————————————

    Clube soberano constrói a própria arena.

    Avante Leão!!!

  3. Fábio Monteiro Says:

    Belo texto Franciel. De fato a liderança ainda não veio, mas acredito que virá na hora certa. Este ano é o do título nacional!

    • Haroldo Mattos Says:

      Fabão, acho que não deveriamos mirar esta tal liderança agora… está muito cedo. deixa os caras lá. Acho que correr “atrás” deles, seja um fator motivador. Se ultrapassamos, viramos vidraça. Caso este ano não dê para chegar em primeiro (toc… toc… toc…), é melhor subir em terceiro ou em quarto. Vice, já chega!

  4. Haroldo Mattos Says:

    Franciel… Seu pai andou pelas bandas da Argentina? Pois eu acho que Barcos é seu irmão e ainda não se descobriu por culpa da Nina, que foi no país vizinho chantagear a mãe do cara, para só revelar tudo no último capitulo…. 😀

    • banditnunes Says:

      Andei fazendo uma pesquisa pelas bandas da Argentina amigo Haroldo e há fortes indícios que o patriarca do Butragueno deixou pegadas pelas bandas de lá. Sendo o único diferencial entre os dois O futebol que destoa bastante e a escrita do jogador suíno que deixa muito a desejar .

      • Haroldo Mattos Says:

        Verdade velho… Mas nosso caneleiro tem uma vantagem… Diferente do irmão, nasceu por aqui, mora pelas bandas do Norte-Nordeste de Amaralina e torce para o Vitória.
        Ah! E com certeza não é pirata!!!!!!!!!!!! 😀

  5. Victor Says:

    Vou colar aqui um comentário que deixei lá no blog do Fábio:
    “Concordo. E principalmente Pedro Ken. Ele vem sentindo bastante o desgaste. Defendo inclusive que no próximo jogo, contra o Ceará, que ele nem viaje. Bota Eduardo Ramos no lugar, ou Arthur Maia, e poupa o cara. Claro que é um jogo importante, mas acho que Eduardo Ramos ta precisando jogar mais, pra ganhar ritmo, e ser um reserva imediato de Pedro Ken. Como ele tá jogando muuuita bola, ele desperta a atenção dos clubes da serie A, e dos marcadores, que caçam e batem mais nele. A comissão técnica tem que pensar numa alternativa, pra o caso dele se contundir ou de ser negociado (bate na madeira), e acho que essa alternativa é Eduardo Ramos, ou Arthur Maia.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: