As hipérboles radiofônicas finalmente fizeram sentido

Avaliar uma partida guiando-se apenas pelas sandices das ondas do rádio é tarefa mais desgastante do que o pior trabalho de Hércules. Os locutores têm uma estranha e perversa mania de interpretar tudo pelo avesso e criar situações absurdamente irreais, com uma retórica de causar inveja ao mais criativo dos escritores do realismo fantástico.

O ritual é sempre o mesmo. O juiz nem bem apita o início da partida e já começa uma gritaria dos seiscentos DEMÔNHOS . A zuada é tanta e tamanha que você não sabe se seu time está no ataque, se está sofrendo um terrível bombardeio do adversário ou se tudo é apenas mais uma propaganda de loja de móveis. Os fatos se misturam numa velocidade de fazer inveja a um Ben Johnson dopado.

Puaquepariu a balbúrdia!!!

Porém, justiça seja feita. Esta algazarra num é privilégio dos narradores de futebol da Bahia. É uma praga nacional,  mundial, interplanetária. E acomete, indistintamente, todos os esportes. Lembro-me que, na longínqua década de 70, era uma agonia insuportável acompanhar pelo rádio os jogos do mundial de basquete. (Sim, confesso, sempre fui desta espécie de tarado que acompanha até jogo de basquete pelo rádio).

Pois bem.

Antes de gritar chuááááaa, esta quase onomatopeia que libertava  e salvava, o narrador fazia um salseiro do cão. A cada ataque, uma síncope. E os jogadores brasileiros pareciam que estavam enfrentando monstros extraterrestres – tamanha era a dificuldade que o locutor tentava incutir em nossas mentis juvenis. E eu, óbvio, comia a pilha e morria de pena de Marcel, Oscar Schimdt, Gílson Trindade, Marquinhos Abdalla e Carioquinha, principalmente este último, que sempre dava (lá ele) entrevistas ofegantes, contribuindo ainda mais para criar um clima de epopeia heroica e dramática.

Derivo, derivo, mas chego aos dias atuais. Hoje, apesar de algumas décadas no lombo, continuo com a mesma apreensão juvenil de outrora quando ouço as malditas transmissões. Ontem mesmo tive a convicção de que o camisa 10 do ABC, um tal de Raul, que já defendeu equipe do quilate do poderoso ASA de Arapiraca, era uma mistura de Butragueño e Rocheteau. É que, para nos amedrontar e garantir a audiência, os locutores transformam  os cabeças de bagre do outro time em craques injustiçados, mas perigosos . Talvez seja por isso que a diretoria do Vitória, que normalmente se guia por radialistas escrotos (desculpe-me a  redundância) sempre acaba contratando estas injúrias.

Porém, nem tudo é subjetividade. As alterações promovidas pelo entregador de camisa de plantão, por exemplo, delatam o medo e a incompetência. Sudesb informa:  Sai Geovanni entra Lúcio Flávio; Romário cede a vaga Léo e Pedro Ken é substituído por Rodrigo Mancha. Enquanto isso, Neto Baiano prossegue em campo, desfilando sua fama de maior artilheiro do Brasil que só faz gols no provinciano Valerão.

Menos mal que, ao contrário de Cerezo, o interino Ricardo Severino Quebra-galho Silva não implica com Marquinhos e deixa-o livre para jogar.  Assim, podemos, ao menos, apreciar mais uma obra de arte do sacaninha,  que voltou a  brocar e comemorar com gosto de querosene. E o golaço foi tão bonito e corajoso (sim, corajoso, pois o zagueiro já estava com os birros à mostra) que proporcionou uma proeza histórica: fez  com que até as hipérboles dos locutores tivessem sentido.

E que Marquinhos deixe de chibança e incorpore novamente o espírito de Gênio Franzino per secula seculorum, amém.

P.S.1 Porém, nem tudo foi beleza ontem. Em Belém ocorreu um fato que foi  uma verdadeira VERGONHA NACIONAL. As sardinhas estavam doidas para ver o Mangueirão entrar de cum força (em lá eles) e o Remo só meteu (lá ele) dois naquelas injúrias.

Ainda bem que o Paysandisky (vá fazer rima na casa da porra) honrou o Pará.

P.S.2 Mais relatos sobre as ondas do rádio AQUI, ALI E ACOLÁ

Anúncios

53 Respostas to “As hipérboles radiofônicas finalmente fizeram sentido”

  1. Itajaí Santiago Says:

    Quem quiser que se deixe levar pelas ondas do rádio!kkkkk
    Parece que o sacaninha do Marquinhos tomou uma dose de tatuzinho e foi pro jogo com gosto de querosene. O raça e a vontade do gol foi de fazer inveja a Neto!

  2. Mateus Borba Says:

    Ri demais com os PS’s.

    Ademais (receba!), sofri deste mal ontem. Odeio acompanhar os jogos do Brioso pelas rádias, mas fui incumbido por Gerson Cabeça-de-nós-Todos Souza de atualizar o leaodabarra.com e o twitta do referido blog em tempo real.

    Bati o recorde, acompanhei por 2 sites e 5 rádias. Modéstia às favas, fiz uma boa transmissão.

    PS. Fiquei com a impressão de que aquele Real Madrid dos galáticos poderia ter tranquilamente o tal Raul com Zidane na meia cancha.

  3. Dalmo Carrera Says:

    Ouvir basquete pelo rádio é uma revelação que vou guardar no livro das grandes novidades da atualidade. Eu já ouvir a F-1 pelo telefone. Faltou luz, liguei para um amigo, pedi que colocasse o fone próximo ao televisor e sentado feito um abestalhado sentei, enquanto a vitima do pedido, se encaminhava provavelmente resmungando para a praia com a família. Ouvir, não vi o titulo mundial conquistado Jacques Villeneuve em 1997, acho.

    No Futebol, achava curioso que em apenas 3 minutos de jogo, o Ivan Pedro na sua primeira intervenção, já dizia que o time B estava melhor, que fulano estava caindo para esquerda, abrindo espaço para beltrano para a direita, enquanto cicrano penetrava pelo meio levando perigo para aquele que estava no centro do gol com aquelas camisas de mangas longas. A cada partida que ouço, especialmente pelo rádio, tenho a certeza que não entendendo nada de futebol. Do mesmo modo, não entendo como aquele que um dia foi eleito por Franciel Cruz como a salvação do Vitoria, hoje se transformou em um simples entregador de camisa, e o pior, de plantão!

    Abraços Franciel Cruz!

  4. Silas Lopes Says:

    Salve salve os verdadeiros arquitetos da crônica popular brasileira…
    Façamos justiça antes de piada! O Mistério da pesca e aquicultura já passou da hora de parar com as vistas grossas e perceber a prática de certos esportes aquáticos como a canoagem e o caiaque deviam ser proibidas em zona em que se prolifera a fauna marinha microbiótica. Duas remadas praqui e prali e um monte de sardinha zonza morre de paulada na cuca! Um absurdo!
    Quanto à galera de itinga, tem mais é que se orgulhar! O ex-quadrão caiu no mangueirão, mas fê-lo diante de um time fora de série! Não está na série A, B, C e nem mesmo D…
    Sobre o Leão barreiro, o que vale é o que importa! Ninguem negue o poder que os gritos apaixonados de Silvio Mendes já exerceram, mundo a fora, pra que determinados lances fossem bem mais apoteóticos e gloriosos do que, de fato, o eram, mas, de outro lado, o pequeno moço que, sozinho, é um plural de coisas marcantes (marcos), é o que de melhor o Vitória tem produzido nos últimos e próximos três anos. Deus queira que ele aprenda a amar o time, e vice-versa…

    Abraços,
    Silas Lopes.

  5. Paulo (@PFigueiredo1957) Says:

    Aê seo Franciel !!!
    E o seu vicetóra da Bahia não aprendeu o ABC direito !!!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Aguarde os próximos acontecimentos !
    Abraços !

    • diego Says:

      o ECV não só aprendeu o ABC como pode ensiná-lo ao Jahia.segundo o ABC da Copa do Brasil,empatar com gols fora de casa é um bom resultado.mas,como a maioria da torcida,o Jahia é analfabeto e tem sérias dificuldades de apredizagem.vide a porradinha que levou ontem.
      VV!

  6. Lionel Leal Says:

    No aguardo das considerações desse louco rocutor acerca dos candidatos a técnico rubronegro.

    • Silas Lopes Says:

      Ratifico a solicitação. O assunto é de premente relevância e o cronista é de consciente responsabilidade!
      E é bom que ele me fale a coisa certa, porque se vier com papo de história de negócio de coisa de invencionista paulista tipo seu Waldemar ou seu Jorge ou seu dedinho, hélio dos anjos ou coisa assim, eu sou capaz de um ai meu Deus… rs.

      Abraços,
      Silas Lopes.

  7. Anderson Nunes Says:

    Após ler as notícias do jornais de hoje com manchete de página “JAHIA CAI NO MANGUEIRÃO”

    Tenho que comentar um fato que ouvi ontem durante a peleja do homem contra o rádio. No momento do gol da injúria citada por Sêo Françuel, os caras berraram para todos ouvirem.
    “Fraaanngooo, perruuuuuu de nataallllll”.

    Eu cá comigo pensei rpz pra um sacana destes está gritando uma miséria destas já vi que Renan comeu um “Frango a la Gelson”. E para surpresa minha após o final do jogo assisto ao gol e vejo que apesar da falha do goleiro, o mesmo na minha modesta opinião não foi um frangasso mas sim uma falha normal do goleiro.

    Porém acho que seria melhor fazermos uma vaquinha e pedir para nosso amigo Manoel Novaes fazer a transmissão e seu filho Dan(calma, não tenha calafrios,Duílio) comentar os jogos do glorioso fora de SSA.

    • Duilio Camardelli Says:

      Comentarista ainda não sou, mas em breve quem sabe.
      Agora rapaz divulgue Banda de Tito que é JOAO NINGUEM E FEZ MUSICA PARA Neto brocador.
      Divulga o cara, RSSSSSSSSS

      • Anderson Nunes Says:

        Rpz divulguei o vídeo no Facebook pois Tito é gente boa e rubro negro fanático igual a mim e o som tá massa. Mas o futebol do cidadão continuo com o mesmo pensamento.

        Viva a categoria e a classe no futebol!!!!

        E para delírio das netetes ta aí o vídeo

  8. JSantys Says:

    As historias radiofonicas fora legais, pois como apreciador das ondas do radio me empolgo com o brocou(la ele) do João Andrade e os nasceu do Silvio Mendes.
    Mas referindo-se ao Tricolor de aço. tenha mais respeito e lava essa boca pra falar do Esquadrão Bi campeão Brasileiro.
    Lembre-se, voce aqui é jornalista, mesmo deixando claro sua preferencia burro negra.
    Saudação Tricolores!!!!

  9. André Dantas Says:

    Já está mais do que na hora de Ricardo Silva acabar com o revezamento no gol. Tem dia que joga Renan, tem dia que não joga ninguém. Ontem mesmo o ABC só percebeu uma vez que não tinha ninguém no gol…

  10. André Dantas Says:

    Pelo visto, seu Francis, Vossa Senhoria preferia que Ricardo Silva tirasse “Neto Artilheiro do Brasil, inclusive do Nordeste de Amaralina” Baiano que só faz gol no Varelão e colocasse Dinei que não faz gol nem no Varelão. Só de perna direita Neto Baiano tem mais gols na carreira que Dinei.
    Aproveito que a galera está curiosa pra saber qual entregador de camisa o Senhor prefere que o Vitória contrate para apitar os treinamentos no Barradão, eu pergunto qual o atacante o Senhor acha melhor que Neto e que o Vitória possa trazer para fazer mais gols, porque Dinei tem menos gols no Varelão do que Brasão…
    P.S. Pelo menos domingo se Dinei fize um gol já vai dobrar sua artilharia esse ano…
    Abraços.

    • Anderson Nunes Says:

      Dinei jogou quanto tempo???? E quanto tempo este outro cidadão está em campo(se for contar com o ano passado então…)???

    • Franciel Says:

      André, meu ídolo, seguinte é este.

      Sobre o atual camisa 9 já disse tudo o que me era possível dizer aqui, ó
      https://victoriaquaeseratamen.wordpress.com/2012/03/23/friedenreich-lambuzado-de-dende/

      Agora, seguinte é este. Não entendo, não sinto, nem analiso futebol (apenas) por números. Neto já fez mais de 100 gols, mas me deu poucas , muito poucas alegrias, pois suas glórias não servem ao coletivo.

      Já Telmário, o jogador operário, apesar de não ser o centroavante de meus sonhos, pensa mais no jogo coletivo e foi responsável por muitas alegrias minhas, jogando FUTEBOL ao lado deste mesmo menino Marquinhos no ano da graça de 2008.

      Tente perdoar este mercurial locutor, mas é que, no Ludopédio, guio-me muito mais vezes pelas, como direi, subjetividades afetivas de um futebol belo do que pela exatidão da ciência.

      • Silas Lopes Says:

        E o que seria a douta ciência da astronomia se as estrelas não dançassem ao redor da vida ? Se devendo o Vieri de Ituaçu, não é pela pujante força de sua perna esquerda, nem pelo acurado tiro de seu ocipital. Futebol, de fato, não é o forte do garoto.
        O que agrada no NEto, certamente, é a tal da beleza do futebol marrento; do cara que faz gol e piada; do ‘boleiro’. Isso tudo, não deixa de ser belo, meu velho. O que é preciso que se resolva na toca, é o entrevero de vaidades que parece haver entre o Grandson da Bahia e o marcante e franzino ponta esquerda. A saída de Cerezzo, que dava a aquele o que tirava deste, penso eu, há de amenizar a quizila, e, com fé em Jah, a coisa anda solidariamente e no bom futebol de grupo que o seu Ricardo sabe fazer.
        Pra não perder a chance, insisto: o Vitória não precisa de um treinador nem de um centrovante; precisa de um auxiliar técnico e um meia, sendo que pra segunda função, Mádson é o nome certo.

        Abraços,
        Silas Lopes.

      • André Dantas Says:

        Está perdoado, Seu Francis, até porque no futebol, assim como na vida, a beleza está nos olhos de quem vê. Se o Senhor viu beleza no futebol (?) de Dinei quem sou eu para contradizê-lo.
        Infeliz sou eu que não vejo beleza em nada praticado por nenhum dos dois e pela esmagadora maioria daqueles que já vestiram a 9 do Vitória.
        Assim sobram-me apenas a exatidão dos gols e os títulos (que no fim das contas é o que serve ao coletivo). E ambos só tive com Neto.
        Abraços.

      • Franciel Says:

        Epa, olhe o plural. Títulos com o matador de ituacivisky (estou sem interrogação aqui). Acho que há uma imprecisão aí, pois o próprio só ganhou um em toda a sua carreira.

      • J Mocota Says:

        Depois do 03 pontos garantidos, futebol bonito é a cereja do bolo.

        Então um viva a exatidão da ciência!!!

        Com o futebol força que impera no futebol atual, Mocota procura sorrir com apresentação coletiva bonita é…

        No teatro.

        Avante Leão!!!

      • Silas Lopes Says:

        O sr. vai me desculpar seu moço do blog, mas, segundo consta dos anais da história (lá eles), o inenarrável matador cujo número de gols nesse ano supera o número de mortes violentas em fazenda coutos e no calabar, juntos, já arrebanhou, pelo menos, o gaúcho de 2004, pelo colorado, e o baianão de 2009, do qual foi, também contemplado com o título de artilheiro.
        Na minha conta, deu 2,5, que, segundo pró adaíldes, da 2 série, é plural.
        E o sinhô deixe de suas perseguições infundadas!! Rs.
        Abraços,
        Silas Lopes.

      • Franciel Says:

        O de 2004, eu mesmo citei no texto sobre o referido por benevolência, mas ele nem saiu na foto, em nenhuma foto.

        E a admoestação em meu amigo André está valendo pois ele falou em alegria por títulos. E não sabia que ganhar título (mesmo sem nenhuma participação, repito), pelo Internacional deve ser comemorado por torcedor do Vitória.

      • Silas Lopes Says:

        E além do mais, seu Franciel, pra quem fala de poesia, o sr. tá muito apegado a essa bobagem que é o título. Zico e Careca não foram campeões mundiais, mas Kleberson e Luizao foram. O sr prefere que dupla ?
        O Zneton Ibraianovich é mediano, debochado, tem estilo, veste a camisa e se esforça. Me acorde quando aparecer algo melhor que isso.
        Seu Dinei já foi rápido, solícito e modesto, dentro de campo, mas isso foi antes da passagem pro futuro, quando eu ainda era puro e não temia a trovoada. Em 2008, ninguém esperava surpresa daquele trio, e, mais especificamente, do centro dele, de modo que lhes era mais fácil surpreender.. Hoje, como se espera algo dele, não vem é nada.
        Abraços,
        Silas Lopes.

  11. J Mocota Says:

    O paizão ninando os calunduzeiros. O feijão com arroz que da sustança.

    Queridos irmãos!!!

    O que define o sucesso no Leão não é nome e nem é fama.

    Muito menos o cheiro recente de sardinha e pouco importa se teve um acerto a cada 500 tentativas.

    O verdadeiro líder sabe motivar o seu grupo.

    Se os técnicos Toninho Cecílio, Antonio Lopes, Geninho, Benazzi, Cerezo não aplicaram estrategias e táticas eficientes?

    Coloca as camisas nas mãos de Ricardo Silva que ele sabe a quem entregar.

    Obrigado meu bom Deus.

    A sorte procura os que trabalham com amor e dedicação.

    Avante Leão!!!

    • Joseval Says:

      Rapaz, esta daí só freud explica.
      mocota vanélio, que é sempre um dos primeiros a comentar aqui, esperou o comentário de número 24 para expressar sua paixão por ricardo silva.

      • J Mocota Says:

        Zorra, Joseval!!!

        Mocota nem tinha reparado. A culpa é de Franciel.

        Franciel sem saber o que iria escrever após os sucessos de Ricardo Silva jogando fora, coisa que Cerezo não conseguiu, só foi lançar o texto hoje tarde.

        Agora Mocota teve que pagar um mico desse.

        Mocota tá é muito puto!!!

        Avante Leão!!!

  12. Duilio Camardelli Says:

    Alô Franciel, me diga aê vc ja falou da Banda de Tito que é JOAO NINGUEM E FEZ MUSICA PARA Neto brocador.
    Divulga o cara, RSSSSSSSSS

  13. edgar tolentino rodrigues Says:

    alô, silas lopes se quiser uma aula sobre futebol e só me procuar. aqui vai a primeira pergunta para voce que diz ser torcedor do vicertoria osni, andré catimba e mario sergio. esste ataque do vicetoria foi campeão bahiano; se voce e inteligente me responda.

  14. felipeventin Says:

    Grande crônica Franciel! Agora, achei que você ia comentar justamente acerca da injustiça que os locutores fizeram em relação ao goleiro Renan. Embora o branquelinho seja bem fraco para a meta do leão, ele não falhou absurda e bizarramente tal e qual alegaram os narradores bradaram no momento. O jogador abecedista queria cruzar, mas contou com a sorte daquele vento Minuano que sopra lá pelas bandas do Rio Grande (do Norte) e a bola fez um desvio incrível, enganando o guarda-redes ingênuo. Ele é fraco, mas daí a dizer que deu leite e entregou o ouro é demais da conta.

    • oxaguiam Says:

      Oxe! E ele estava em campo? Na hora do gol ele nem apareceu na imagem… Goleiro bom é assim, na hora que entra água não aparece nem na foto pra não se comprometer…

  15. André Dantas Says:

    Voltando a Neto “artilheiro todo ano” Baiano é verdade que ele só tem um título. Um a mais que Dinei.
    Abraços.

    • Viriato Jr. Says:

      uahuhahuahuahuahuauhauha…
      xeque mate!!!

    • Franciel Says:

      Opa, alto lá!
      Mas, não há disputa em relação à quantidade de títulos entre os dois, pelo menos eu não a coloquei. Quem falou em títulos aqui, e no plural, foi vossência. O que falei foi que um, no caso Dinei, já me deu alegrias por praticar Futebol junto com Marquinhos. Somente isso. , .

  16. diego Says:

    acredito que o exagero faz parte da mística do rádio.os narradores são,a meu entender,verdadeiros artistas.
    seria muito monótono ouvir uma transmissão que fosse fria no relatar dos acontecimentos.
    a verdade fica comprometida mas..
    ..faz parte!rsrs!
    VV!

  17. Anrafel Says:

    São os ossos, as artes e as manhas do ofício. Se na televisão, Prieto, Galvão, Luiz Roberto e quejandos fazem o diabo para despertar e manter o interesse do telespectador em relação às majoritariamente modorrentas partidas de futebol, o que não deveriam fazer os locutores do rádio? Isso, claro, nos parcos intervalos que os porrilhões de patrocinadores e recados permitem aos malabaristas do gogó (gostaram?).

    Agora, acompanhar basquete e fórmula 1 pelas ondas do rádio é efetivamente de lascar, sem dúvida, mas o que dizer do pervertido que passa duas horas em frente à TV assistindo a partidas de vôlei de praia?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: