O que nos resta na caixa*

Eu já ensinei aqui, mas repito: Convição é um bicho traiçoeiro. Basta um descuido e já estamos do outro lado da rua defendendo a tese que há pouco tempo abominávamos. Porém, nem pensem que não é sadio. Ao contrário. Afinal, como já disse outro Francis (o Bacon): “Triste não é mudar de idéia. Triste é não ter idéia para mudar”.

Pois bem.

Durante muitos séculos, sempre associei o otimismo à alienação. Havia, inclusive, uma frase do personagem principal de A Bricadeira, um dos poucos bons livros de Milan KJundera, que eu gostava muito de citar. “O otimismo é o ópio do gênero humano”.

E eu falava e repetia esta sentença com um misto de arrogãncia e  superioridade, pois os pessismistas têm esta mania horrível de achar que são mais inteligentes só pelo fato de serem assim.

O tempo passou, voou, a poupança bamerindus se fudeu toda e eu abondonei esta postura cômoda e covarde. Sim, cômoda e covarde, porque é sempre fácil apostar no erro, na tragédia e depois ficar sentado na cadeira de balanço apontando o dedo: “Eu não falei?”.

E quem me fez mudar de idéia, por mais contraditório que possa parecer, foi o poeta Ferreira Gullar, alguém que hoje não nutro a mínima simpatia – até porque o mesmo é um defensor ferrenho de José Sarney, uma espécie de ACM do Maranhão.

Porém, há pouco mais de 10 anos, o referido intelectual me fez mudar de idéia  quando  deu uma entrevista no Roda Viva e  largou as seguintes prosopópeias.

“ Eu costumo dizer que a coisa mais fácil do mundo é ser pessimista. O cara vai ficar velho, brochar e morrer, de modo que tem que ser pessimista [risos]. Então, ser otimista diante desta situação [é] que é difícil. Então, eu acho… porque a minha visão é que o mundo é feito por nós. O homem é uma invenção dele, se ele for pessimista, ele entrega os pontos. Porque não tem quem faça, é ele quem ter que fazer, não pode ser pessimista, tem que encarar a realidade e ir em frente. O pessimismo só desarma o cara, entendeu? Não conduz a nada”.

Pois muito bem.

Exatamente agora, faltando pouco mais de 10 minutos para começar as pelejas decisivas para o destino do Rubro-Negro, eu me lembrei disso e decidi postar aqui rapidamente para não ser acusado de engenheiro de obras prontas ou profeta do acontecido.

Vocês podem debochar de mim, fazer cara de desprezo, mas eu lhes asseguro: Vou agora para a frente da TV com a certeza de que é possível.

Amém.

* Depois explico os porquês do título. Agora não dá porque a bola já vai rolar.

Anúncios

5 Respostas to “O que nos resta na caixa*”

  1. Lionel Leal Says:

    Palavras da salvação.

    Só espero que tenha um leão vivo dentro da caixa.

  2. Tricolor Solidário Says:

    Sou um otimista inveterado! Quando, em 2003, o Bahia levava 4 x 0 daquele Cruzeiro fantástico, eu, ouvindo pelo rádio no interior, acreditava que o Bahia ia virar! Admiro o seu otimismo, mas só posso lhe dizer, agora, uma coisa: Vai chorar é?

  3. Ivo Menezes Says:

    Não sou daqueles que acreditam em bruxas, mas…

    1) Disputamos com o Atlético de Goiás a permanencia na Série A/2010, no Barradão. Perdemos!

    2) Disputamos com o Santos a Copa do Brasil, no Barradão. Ganhamos, mas… Perdemos.

    3) Disputamos com o Botafogo/Pb a permanencia na Copa do Brasil deste ano, no Barradão. Perdemos!

    4) Disputamos com o Bahia de Feira a final do Baianão/2011, quando jogávamos pelo empate, vencíamos, no Barradão. Perdemos!

    5) Disputamos a vaga no Séríe A/2011, vencíamos o jogo até os 43/44 min do segundo tempo, no Barradão. Perdemos!

    6) Disputamos a partida final do acesso da Série A, contra o ASA. Vencemos, mas Perdemos!

    … está claro que, no Vitória, elas existem sim ( as bruxas)!

  4. moises sales Says:

    de fato, seu “françuel gullar”, foi possível. ganhamos do asa mas… perdemos como realçou o leonino ivan, acima.

    na realidade nem perdemos quando marquinhos se machucou, nem mesmo quando perdemos semana passada, vexatoriamente, em nossa casa.

    perdemos quando, na virada do baianinho para a série b, vimos um time inteiro ser desmontado e despido também de seus ídolos como nós outros tantos já citamos em mensagens também outras.

    mas antes assim.

    desde que os pontos corridos vieram para ficar, para o bem do próprio futebol (que vençam os melhores, os mais competentes – diferente do que ocorre no mundo dos pobres mortais) sou partidário de que melhor do que “subir” pura e simplesmente, o melhor é “como se sobe”.

    quero dizer, se o vitória não fizer por merecer, que fique e se reinvente, não apenas para subir se rastejando entre a quinta e quarta colocações, mas para ser campeão daquele torneio de várzea, cáspita!

    para isso, que a diretoria tenha aprendido a lição (será??) e saia de seu marasmo para se antecipar, dispensar essa renca de jogares descompromissados e montar um time de responsa para 2012.

    feliz natal.

  5. Saulo Daniel Says:

    E esse márquetin com sua publicidade profética!!! Eu botei fé e o Leão subiu!!! Parabéns ao eSPORTe CLUBe DO RECIFE!!! Parabéns ao Franciel pela sua fé inaudita e à nação(?) rubro-negra por mais uma oportunidade de calçar as sandálias da humildade! Diz um jargão neopentecostal (seja lá o que isso for) que “é no vale que vêm as maiores vitórias”. Feliz vale, feliz 2012 para o brioso leão baiano!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: