Apoiar, sim. Acomodar, jamais

Por Rogério Silveira*

Finalmente, depois de uma razoável pausa (desde o ridículo jogo contra o Grêmio), consegui reunir algum ânimo para escrever sobre o Vitória. A razão pela qual não encontrava estímulo não seria apenas a vexatória posição que o Vice-Campeão do Brasil em 2010 se encontra na tabela de classificação do Brasileirão, tampouco a (falta de) atitude dos jogadores em campo, com direito a zagueiro nos mostrando o dedo médio e tudo o mais. Tudo isso, obviamente nos incomoda bastante, mas não tanto quando a falta de perspectivas melhores para os anos vindouros com esse modelo de gestão que temos.

Mas deixemos para explorar esses aspectos ao final do ano. Por agora, apenas duas coisas importam. A primeira, é claro, é mais uma vez apoiarmos os jogadores em campo. Nesse domingo, o Vitória finalmente parece estar indo a campo com o espírito de quem está indo a uma guerra. Já deveríamos ter apresentado tal espírito no jogo contra o Goiás, concorrente direto na triste e inadmissível luta contra o rebaixamento. Infelizmente, não mostramos a gana de quem quer permanecer no seu lugar de direito e perdemos um importante “jogo de seis pontos”. Agora, Senhor Letargia parece ter tomado um choque e se mexeu a fim de sacudir o elenco e trazer a torcida para o nosso santuário, o Barradão.

Se chamar, essa torcida apaixonada vai, mas, tecla sempre repetida por mim, que vá apenas aquele que estiver disposto a apoiar de verdade o Vitória. É lamentável o sujeito que se dispõe a sair de seu domicílio para vaiar seu time de coração com 15 minutos de jogo e se presta a reclamar de tudo o tempo inteiro. Vá, torcedor, mas vá com o peito aberto e cheio de alegria. Vá com as lembranças doces na cabeça, de grandes viradas Rubro-Negras mesmo na história recente. Como em 2008 quando o rival de Itinga já dava o Campeonato Baiano como ganho com 3 rodadas de antecedência mas sentaram na menta vermelha e preta em Feira de Santana, tomando um sacode de 3×0, deixando o título em nossas mãos no final. Vá, lembrando de nossa grande arrancada na fase final da Série C de 2006, começando novamente num grande Vi-ba em Feira de Santana, quando muitos já nos davam como mortos. O Vitória não está morto, “ser Vitória é ter fé até o fim”, como diz a música e temos totais condições de sair dessa situação.

Lá atrás, dizia que apenas duas coisas importavam nesse momento. Se a primeira é apoiar, a segunda é definitivamente voltar-se contra a perpetuação desse estado de coisas em que o Vitória se encontra. Há 20 anos, por diversos erros administrativos, fomos parar na Segunda Divisão. O dirigente que havia assumido e caiu junto com o Vitória pintou para ser o “salvador da pátria”. Organizou o clube, elevou o Vitória a um patamar antes jamais sonhado e depois se entronou no cargo, para após uma série de erros nos jogar na Terceira Divisão.

Saiu esse dirigente e veio o atual, o novo “salvador da pátria”. No menor tempo possível (apenas dois anos) nos tirou da Série C para nos reconduzir à Elite e, parecendo ter gostado do modelo anterior, vai aos pouquinhos se entronando no cargo também. Agora, tantos foram os erros, tantos foram as trapalhadas, o Vitória corre novo risco de rebaixamento.

O que queremos agora? Um outro “salvador da pátria”? Vamos passar a vida toda, de tempos em tempos, precisando de um? A torcida do Vitória é muito, muitíssimo ambiciosa. Ela sabe da grandeza desse clube, enxerga ele melhor que qualquer dirigente, pois o vê do melhor ângulo possível, das arquibancadas. Ela sabe exatamente aonde o Vitória pode chegar e quer isso. Chega de salvadores da pátria! Está mais do que na hora da visão do torcedor, da ambição do torcedor, chegar às ações do clube. Junte-se a essa luta por um Vitória mais democrático, junte-se a essa luta por um Vitória de pensamento grande. WWW.SOMOSMAISVITORIA.COM.BR

* Texto originalmente publicado no Site Leão da Barra.

Anúncios

7 Respostas to “Apoiar, sim. Acomodar, jamais”

  1. Victornyo Says:

    Texto muito bom… Como a muito não via.

  2. Jeremias Cerqueira Says:

    Franciel, artista de uma arte quase barroca, com letras bem dedilhadas e estrategicamente colocadas.

    É admirável perceber que a grande muquequinha que costuma se reunir lá pelas bandas do mundo esquecido, o grande aterro municipal de salvador, canabrava, hoje começa a ter o discernimento da gestão equivocada do seu projeto de clube.

    Torço pra que o futebol da Bahia se torne mais democrático, aberto e limpo.

    Assim como a enorme torcida do único clube do Nordeste Bi Campeão Brasileiro, sócio fundador do clube dos 13 vem lutando para a abertura do clube que tanto ama.

    Parabéns!

    Mas, gostaria de lembrar que qualquer clube de menor expressão como, por exemplo, o clube que reside la pelas bandas de 7 abril e Canabrava pode chegar as finais do copa do Brasil, afinal, um campeonato de mata mata alguns clubes sempre se beneficiam com o sorteio dos jogos.

    Contudo, tal proeza não significa que o projeto de clube em questão tenha se qualificado para disputar um campeonato extenso como o campeonato brasileiro.

    Ao que parece, você voltaram para o seu lugar de direito a série B do campeonato brasileiro.

    • Rogério Silveira Says:

      Engraçado. E a tal Taça Brasil não é era um torneio tipo mata-mata. Em outras palavras, vc acaba de confirmar o que sempre soubemos: vcs ganharam um torneio de merda e vivem arrotando caviar.

      Já sei, já sei. vc agora vai dizer a velha falácia: “ganhe do Santos de Pelé”. Sim , o que vc e o resto dos ignorantes q sofrem pelo seu time de Segunda Divisão não sabem é que Pelé não jogou a última e decisiva partida. E mais(e principalmente) nessa última e decisiva partida, não bastasse Pelé não ter jogado o Santos teve 4(eu disse 4) jogadores expulsos… Daí, logo se vê.

      A prova dos 9 ocorreu em duas outras oportunidades em que Santos e Jahia chegaram às finais(como se vê a fama de VICE de vcs veio primeiro) e o Santos venceu as duas, em ambas as ocasiões dando goleadas vexatórias em vcs(5×1 em 1961 e em 63 ganhou as duas 6×0 e 2×0 na Fonte Nova). Não preciso dizer q nessas duas ocasiões Pelé jogou e, não, o Santos não teve 4 jogadores expulsos…

      Ou seja além de ter vencido um torneio merda(as palavras foram suas) ainda ganhou na cagada, como só poderia ter sido.

      • Jeremias Cerqueira Says:

        Discutir titútlos com um atitúlo é o mesmo que querer ensinar um banguelo a mastigar, contudo preciso apontar que o primeiro jogo da final o Pelé jogou, mas, não importa o titúlo veio parar onde mesmo?

        O títúlo nacional de 88 veio parar onde mesmo? Não quero discutir titúlos pq mesmo passando uma 1 década sem ganhar os estaduais(o que não é verdade) ainda assim somos imensamentes superior.

        E assim como você mesmo fez questão de frizar ilustre testemunha, não me venha com a falácia que todos os nossos titúlos são comprados. Que piada.

        Só queria te dizer que você não deveria falar tanto mal da segunda divisão, pq será lá que vocês irão residir o ano de 2011 inteiro com grandes chances de nunca mais sair.

        Coloquem as barbas de molho.

        ST

      • Rogério Silveira Says:

        Digo o seguinte. O Guarani ganhou em 1978 o título que vcs cegamente veneram. Em hipótese alguma isso faz do Guarani um clube maior do que o Vitória. Muito pelo contrário. O Guarani ganhou o seu único e escasso título e depois disso teve uma única boa aparição nacional em 1994 num bom time que contava com Amoroso e chegou às semifinais do Brasileirão.

        Pronto, um parágrafo de menos de dez linhas resume a história do Guarani. Uma honra ganhar um Brasileirão, sem dúvida, mas que adianta ganhar um único título pra depois ficar a vida inteira falando só disso e permanecer no ostracismo?

        Não é por causa de um lampejo que vc chama qualquer coisa de astro. É preciso brilhar com mais constância. No caso do Vitória, estamos falando de uma centenária história de feitos e glórias. O Vitória foi o primeiro time a representar o futebol Brasileiro numa partida contra estrangeiros, lá pelo início do século passado. Quando vc vir aquela camisa amarelinha jogando, saiba que o vitorioso pontapé inicial contra um combinado estrangeiro foi dado pelo Esporte Clube Vitória.

        Que adianta ganhar um único título e morrer nisso? Se o pedaço mais vencedor de nossa história teve início a partir dos anos 90, antes disso já tinha o Vitória conquistado outros títulos e dado alegrias a sua torcida, como o Campeonato Norte-Nordeste de 1976.

        E por fim, a melhor parte é saber que se o passado pavimenta uma história, o presente é sempre o que nos importa mais. E o nosso presente é dos clubes que mais conquistou títulos(disse títulos, no plural) no Brasil nos últimos 20 anos. “Regionais, estaduais”, você vai berrar histericamente como uma hiena no cio, querendo dar o rabo. É, regionais e estaduais, eu sei. Mas diga, aí, se é que vc entende alguma coisa da história de seu time, de onde é que vc acha que o Jahia tirou a legião de fãs que (ainda) tem hoje em dia. De dois únicos títulos conquistados num infinito intervalo de 25 anos? Ou será que foi numa constância de títulos estaduais que construiu ao longo 40 anos( entre as décadas de 50 e 80)? O que vc acha?

        O passado de vcs foi bom, mas já foi, já era, meu velho, e é esse nosso presente vencedor que tem massacrado vcs. E não são apenas os estaduais. Desde 93, o Vitória tem angariado boas colocações em competições nacionais e, ao contrário dos guaranis e jahias da vida, que passam uma eternidade entre um título e outro e veneram aquilo como um santo, temos feito grande campanhas num intervalo regular de não mais que 6 anos. Pode conferir: 93, 97, 99, 2004, 2010. Temos batido na trave, para alívio de uma patética geração de perdedores que, sabendo que a possibilidade de seu ex-time chegar lá novamente é remotíssima, torce desesperadamente para o rival não lhe tirar o único e escasso argumento que o livra do ridículo completo. Porém, não tenha dúvida, uma hora a trave não vai salvar vcs. E aí vai ser engraçado. Vai ser aí que vcs vão despirocar de vez, soltar a franga geral e se apegarão com ainda maior desespero ao passado.

  3. Jeremias Cerqueira Says:

    ** Ao que parece, vocês voltarão para o seu lugar de direito, a série B do campeonato brasileiro.

    • Logan Says:

      Hehehehe Engraçado que as incolores só aparecem por aqui quando acham que o time delas está bem (porque bem não pode estar enquanto continuar ruminando na lama).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: