Os incríveis brancaleones Rubro-Negros

Autoritário e narcísico, como todo bom pai deve ser, eu tinha um sonho: impor ao meu filho, quando ele desembarcasse neste vale de lágrimas, minhas concepções ético-filosóficas e culturais. Traduzindo: fazia-se mister (recebam, hereges, um mister pelos mamilos e distribuam) torná-lo torcedor do Esporte Clube Vitória.

Otimista e abestalhado, como todo bom pai deve ser, achei que esta seria uma tarefa fácil. No caso específico, principalmente, porque quando meu rebento chegou, no início da década de 90, o brioso Rubro-Negro abandonava um histórico de choro e ranger de dentes e começava a se impor de forma hegemônica (chupa, Gramsci!) no futebol baiano.

Porém, ai porém, (alô, Paulinho da Viola), em verdade lhes informo: hodiernamente, os guris de dois, três anos, não têm mais a menor noção do que realmente importa. E afirmo isso não como uma teoria solta ao vento, mas baseado em fatos. Vocês, céticos, podem até duvidar, mas a realidade é que, em 1993, o menino Sandro (eis o nome do santo) não vibrou com aquela máquina assassina que encantou o país e sagrou-se vice-campeã, enfrentando o poderio da multinacional parmalat.

Persistente e crédulo, como todo bom pai deve ser, mesmo depois desta falha, deste pecado original, continuei acreditando que ainda era possível convertê-lo para o caminho da salvação. E lhe falei sobre as maravilhas que o menino Petkovic fazia, em 1997, e do carrossel montado, em 1999, por Toninho Cerezo.

Em vão.

Assim, derrotado e humilhado nas quatro linhas, restou-me apelar: já que o sacaninha não queria saber de bola, teria que impingi-lo com minha falsa erudição. Vocês podem achar isso démodé, mas sou do Tempo do Carrancismo, quando tínhamos a obrigação moral de deixar marcas indeléveis em nossos herdeiros.

Por isso, tal e qual um vaqueiro perverso, com a ferradura em punho, distribuí gracilianos e guimarães, bandeiras e drummonds, além de outros maizomenos cotados. No entanto, mais teimoso do que mula ruim, ele empacou em aleivosias do tipo de harry potter.

Então, vendo que literatura não dava camisa a ninguém, ou melhor, não vestia camisa em ninguém, fui para outra trincheira: cinema. Na época, uma febre nipônica adentrava o imaginário dos guris. Com o mesmo senso de oportunidade de um Índio da Costa, sugeri Akira Kurosawa e Yasujiro Ozu. O menino, percebendo que a vida não é filme (japonês), saiu debaixo e disse que gostava de lutas. E lá vou eu com o velho o bom Spartacus, de Kubrick. E ele disse nécaras e nada.

Violento e impiedoso, como todo bom pai deve ser, pensei em abandonar estas frescuras da educação moderna e aplicar o método tradicional: madeira no lombo do desinfeliz até que ele ficasse parecido comigo. Porém, na hora que já ia pegar o cansanção, o improvável aconteceu: os olhos dele brilharam para a obra de Mário Monicelli. Minha honra e o lombo do guri foram salvos pelo Incrível Exército de Brancaleone. E rimos juntos. E, ao perceber que de alguma forma estávamos mais próximos, eu quase chorei.

Maestro, corta o melodrama e volte novamente para o futebol.

Mutatis mutandis, o atual elenco do Rubro-Negro pode ser comparado aos personagens da referida comédia. E tal analogia reforça-se quando lembramos os protagonistas do Leão. A eles. A armada Rubro-Negra é defendida por um goleiro colombiano que estava no ostracismo no Atlético (PR). Na lateral-direita (ala é a puta que o pariu) um cidadão que carrega as dores e esperanças de seu estado natal, a Paraíba. A zaga é composta de dois garotos da divisão de base. Na lateral-esquerda (ala vocês já sabem quem é) um renegado do futebol carioca. Na cabeça de área, um cara que em 2005 abandonou a primeira divisão para jogar na Terceirona pela Leão. Ainda no meio, tem um jogador que, aos 38, insiste em lutar contra o tempo. O craque da equipe, Elkesson, teve que fraudar a própria identidade para poder jogar bola. Na frente, outro que, por questões, digamos, documentais acabou no xilindró recentemente. Não bastasse, ainda são comandados por um técnico que nunca foi técnico.

Por tudo isso, mesmo chegando à final da Copa do Brasil, preferi não fazer pressão sobre meu filho. Afinal, se os timaços de 1993, 1997 e 1999 não entusiasmaram o referido, não seria este que faria o milagre. Assim, contentei-me que estivéssemos juntos, ao menos, no apreço cinematográfico.

Na madrugada de hoje, porém, ao chegar em casa completamente grogue, cheirando a álcool e fumando sem cessar – como todo bom pai deve fazer quando seu time perde uma final – ouvi as seguintes palavras do guri. “Meu pai, o Vitória jogou muito”.

Tal frase, que aos ouvidos de muitos soaria como uma mera platitude, me deixou desnorteado emocionalmente, com os olhos rasos d’água – de verdade. E agradeci a estes incríveis (limitados e desajeitados) gladiadores Rubro-Negros. Afinal, eles me deram algo muito mais importante do que o título que não veio, mas ainda virá. Eles fizeram com que MEU filho, pela primeira vez, tivesse orgulho de MEU time.

Obrigado, rebain de sacanas.

Anúncios

56 Respostas to “Os incríveis brancaleones Rubro-Negros”

  1. MarcosVP Says:

    As famílias se unem na derrota. Nas vitórias (no pun intended) o povo fica tudo berbo e se esquece até que tem pai, mãe e cachorro…:-)

  2. Lucas Rochas Says:

    Franciel, sempre impecável nas palavras. ótimo texto! não me prolongarei muito, e deixarei aqui uma frase dos titãs e uma recordação.
    “É CAMINHANDO QUE SE FAZ O CAMINHO.”
    Em 2006, exatos quatro anos e alguns pentelhos de sapo, estavámos no porão do futebol brasileiro, a última série, o inferno: A série C.
    Surpreendentemente chegamos a uma final nacional em menos de 5 anos…Infelizmente não foi a nossa vez, ainda não foi a nossa hora.Mas acredite, estamos no caminho certo. Contra tudo e contra todos e sempre pelo Leão! Umbora Vitória carajoooooooo!! SRN

  3. Anderson Abreu Says:

    Sêo Francuel

    Muito bom seu texto! Parabéns mais uma vez!
    Vamos em frente!

    Abraços

  4. TetraVice Nacional Says:

    Inter: Campeão de tudo!

    Vicetória: VICE DE TUDO!

  5. Fabrício Says:

    Rapaz, o melhor texto que li seu, prezado.

    O Vitória jogou muito mesmo, dominou o primeiro tempo e jogou muito bem no segundo. Encarou de igual pra igual uma seleção, melhor: jogou mais do que a seleção. Pena que ontem não foi o dia da bola entrar mais vezes.

    (Ontem, constatei tardiamente que Ramon não tem mais condições de disputar uma partida de alto nível. Respeito a história dele e as alegrias que nos deu, mas não dá mais, infelizmente)

  6. johny Says:

    Parabéns a você e a todos nós verdadeiros rubro-negros!

  7. Marcus Says:

    Seu Françuel: o senhor usa como desculpa a bola para pedalar, dar umas canetas na vida e ainda marcar gols de placa como este texto.

  8. Quiva Says:

    De lenhar, Franciel.
    O time se superou e devemos reconher os méritos. Que a diretoria aprenda que a copa do brasil é um bom campeonato para se conquistar e contrate melhores jogadores para mesclar com a base. E um parabéns especial a galera da base (walace, neto, anderson e gabriel merecem um texto especial da sua pena), pois os caras deram todo o gás ontem.
    Que venha vasco, palmeiras e a porra toda. VUMBORA VITÓRIA

  9. Viana Says:

    A escalação do time é indefectivel…
    Parabéns pelo texto.
    Vamos em frente.

  10. Bala 12 Says:

    Seu filho e o Brasil inteiro ontem aprenderam a respeitar e admirar o Vitória.
    Tenho certeza de que, se o título ainda não veio, está muito próximo de vir. Se vai vir logo ou vai demorar, não importa. O que importa é que os gols de Wallace e Júnior, as defesas de Viáfara, as roubadas de bola de Neto Coruja e os ataques de Egídio na noite de ontem ficarão eternizados em nossas memórias e sempre nos encherão de orgulho.
    Os rivais? Deixem falar o que quiserem. Tudo que querem é ser do mesmo tamanho que nós. Como não conseguem, ficam tentando nos diminuir, para que a gente fique do tamanho deles.
    Continuamos cada vez maiores e mais respeitados por todos.
    SRN

  11. Jorge Bassu Says:

    Mania desgracada essa que voce tem de marejar os olhos de corno veio.
    Um abraco

  12. TRITÓRIA Says:

    Parabéns pelo texto Franciel!

  13. felipe Nogueira Says:

    seu dotô,
    Com o coração machucado após a batalha, ter sobrevivido e continuar parece difícil. Acho que foi justamente por ter tantos fatores contra que a mãe das batalhas seria vencida, um detalhe nos fez perecer; uma expulsão. Caso isto tivesse ocorrido os contornos épicos do dia fatídico estariam completos e assim estaríamos exauridos e banhados em acool.
    SRN

  14. João Says:

    “Psicopatia, loucura e caos”.
    Você é uma figura, velho! Abraços. hehehehehe

  15. Geraldo Says:

    Porra Franciel também quando cheguei em casa por volta das 02:00 o meu filho também me falou a mesma coisa e ainda falou que ficou ouvindo os lances e comentários após o jogo, isso é que é gostar de sofrer mas nada melhor para um pai depois de ver seu time ganhar e não levar é saber que seu primogenito não precissa vestir a camisa alhei pra torcer e ser feliz porque nada pior do que ver o vizinho comendo uma mulher gostosa e na hora de gozar pensar que sou eu que estou gozando.

  16. maoguima Says:

    Linda crônica! Uma das mas belas, seo Francis!

  17. Logan Says:

    Essa marejou meu olhar.

  18. diego Says:

    franciel,você BROCA!PQP,que texto da porra!
    ps saudacoes respeitosas a moça do shortinho gera samba,rsrsrsrs!
    abs!
    Vumbora Vitoria!

  19. carvalho Says:

    Franciel, nesta madrugada, ao chegar com minha filha do Barradão ouvi a mesma frase de minha outra filha, chorei cara, chorei no final do jogo e em casa na madruga. Foi demais, mais estamos e vamos continuar no caminho certo, mais cedo do que muitos acham, chegaremos lá.
    Abraços a todos os guerreiros rubronegros, vamos continuar a luta.

  20. valmerson Says:

    que texto é este seu Francis?

    Muito bom, a tragedia digna de Shakespeare ontem no Barradas, não conseguiu tirar uma lagrima de meus olhos, mas este texto fez derreter este coração rubro negro.

    http://valmerson.wordpress.com/

  21. Frem Says:

    Essa vai pegar.

    tutata tututarara eu ganhei do santos de pelé e você perdeu do santos de neymar

    tutata tututarara minha estrela esta no peito e a sua esta no ar

    • Franciel Cruz Says:

      tutata tututarara quem vive só do que ganhou atrás é travesti ou marajá.
      tutata tututarara…

      • Sanches Says:

        huahuahuhua. Um dos seu melhoes textos e uma de suas melhoes respostas a um tircolete. Parabens Seu Françuel, uma banda de alagoas acompanha esse seu blog.

      • Deivid Says:

        HuahUhauHauhUHauHUahuHuahuHAUhuHauHUahuHauHAuhUhauH

        tutata tututarara ainda bem que não preciso de estrela pra ter orgulho do meu time!!!

        Massa seu Françuel!!! Rachei o bico.

  22. José Fernando Says:

    Porra Franciel, sempre leio seus textos, mas nunca comentei por aqui, mas hoje esse texto me arrepiou. Eu tenho 21 anos, sou Vitória e meu pai torce praquele time lá. No fim do jogo ele me ligou e disse: filho, você torce pra um time grande, que tem garra, parabéns!

  23. Brando Says:

    Seo Françuel,

    Acompanho seus belos textos há muito tempo. Esse foi especial, pois meu primogênito nasceu no dia 28/07. Estava em Salvador e tive que ir correndo para BH. E a única “certeza” que tenho é que esse baiano que nasceu em Minas terá que ser Vitória. Seja na base do amor ou do cansanção.
    Ave, gladiadores rubro-negros.

  24. Uraí Guerreiro Says:

    Botou pra fudê.

  25. Sanegirl Says:

    Quase choro! Foi “cinemástico”, como diria Riachão rsrsrsrs

  26. carlos da caixa Says:

    Brabo seu texto, seu francue! Aliás, não me surpreendo, pelo que tenho acompanhado lendo seus escritos ao longo do tempo. Já o nosso RNegro, também foi perfeito, pecando em detalhes. Mas, seguramente, nosso título está amadurecendo, estou cerrto.

  27. Luiza Meira Says:

    É, Francis, conhecendo a sinceridade de Sandro Cruz e o tanto que ele gosta de futebol, me resta acreditar que o seu time brocou.Mas, em verdade, em verdade, te digo: esse texto teu me emocionou foi muito!!!!!!!!

  28. Henrique - ITABUNA Says:

    Chefia,

    Ontem aquilo que seria tristeza foi suplantado por um sentimento diferente.
    ORGULHO! Foi isto que senti. ORGULHO DE TORCER PARA O VITÓRIA!
    Orgulho de ter um “monstro” guardando a nossa meta.
    Orgulho de ver o badalado Santos passar 20 minutos sem conseguir passar do meio de campo pois os nossos gladiadores derramavam sangue, tinham alma, eram movidos por uma torcida maravilhosa.
    No segundo tempo observei alguns dos nossos guerreiros extenuados, mas ainda assim disputavam, e ganhavam, as jogadas.
    Viáfara, Nino, Gabriel, Wallace (concorrente de Franciel com aquela declaração de amor por ele escrita), Anderson Martins, Egídio, Neto Coruja, Bida, Ramon, Ellkesson, Schwenk, Júnior, Vanderson, Adailton, Renato, Ricardo Silva…
    Nossos gladiadores, guerreiros, jogadores, nossos irmãos, pois o nosso sangue é rubronegro.
    OBRIGADO VITÓRIA! Ser vice campeão assim também é maravilhoso.

  29. Neph Says:

    Não pude ir para o Barradão (estou em Conquista há 05 anos), gostaria de estar ao lado dos meus irmãos rubro-negros para, mesmo chorando, apludir esse time de guerreiros. Ao findar o jogo, levanteii, bati no peito e com muito orgulho disse:
    EU TENHO A INFINITA HONRA, O INFINITO PRAZER DE TORCER PARA O MEU VITÓRIA, O MEU LEÃO!
    Tenho certeza que, se o meu pai, aqule que teve a sabedoria de me conduzir a torcer por tão amdo time, estivesse vivo, muito se allegraria pelo seu time. Mas tenho a minha mão que nutre grande amor pelo LEÃO, a minha esposa que aprendeu a torcer pelo Vitória e ao meu amado filho (03 anos) que está aprendendo a amar e torcer pelo LEÃO DA BARRA (e lele já chama o jahia de “caniça”!!!).
    VIVA O VITÓRIA, O MAIOR TIME QUE ESSE MUNDO JÁ VIU!!!!!

  30. Silvia Says:

    Vixe! Me arrupiei todinha!! hahaha

  31. Deivid Says:

    Rapaz, estou com inveja de você… Meu filho tem apenas 3 anos… já torce pro Vitória, mas não vejo a hora de meu ‘bebezinho’ crescer e saber a diferença entre um time de gladiadores e um rebanho de nigrinhas afrescalhadas…

    Avante Leão!

  32. Dr. dedão Says:

    é por isso que me ufano de meus amigos.

  33. Para o dia dos pais « [orbis tertius] v.2.30 Says:

    […] Os incríveis brancaleones Rubro-Negros […]

  34. Thales Valença Says:

    Saudações Franciel e torcida do Vitória. Gosto de escrever e geralmente sei o que dizer, mas é muito difícil vir aqui depois do que aconteceu. Eu sabia, sempre soube, que futebol resulta invariavelmente em 3 fins distintos. Vitória, empate ou derrota. E também sempre soube que nem sempre o melhor vence. Mas como disse, foi muito difícil vir aqui depois de quarta.

    Nunca torci para outro clube que não o Sport antes. Simpatizei sim, e até desejei resultados de outros clubes, mas nunca torci como fiz na maldita quarta. Vendo o Vitória no campo era como se estivesse vendo meu Sport. Ainda mais com aquela faixa lá, no centro do gramado… E quando vocês caíram, se vencer por 2×1 é cair, eu caí também. Senti como se uma faca entrasse no coração, um vazio na alma…

    Se voces tivessem vencido eu chegaria aqui e escreveria:”Parabéns,vocês conseguiram!” Mas me sinto tão mal, tão triste. Sinto que deveria ter feito mais, algo mais, só mais um pouquinho…faltou tão pouco. Sinto que perdi também, ou pior, que perdi sozinho. Vocês fizeram tudo o que tinham ao seu alcance. Sei que não tem lógica mas me sinto culpado e não sei o porquê. Não sei… deveria ter feito mais. Algo mais. Me desculpem.

    Nao aceito derrotas. Não a derrota por fraqueza. Não foi o Santos que venceu quarta, como não foi o Palmeiras que venceu em 97. Quem venceu foi a Parmalat, foi a Globo, foi a idissincrasia que crassa neste país de merda. E ainda ter que aguentar o imbecil da rede Globo dizer : ” A vitória de um time que lutou contra a discriminação!” Que discriminação seu filho de uma puta ???

    Me desculpem pelo palavreado gente mas é a dor da injustiça que me corrói as entranhas. Cansei de ver essas injustiças no futebol. Quantos campeonatos não foram marcados por elas? O próprio Santos não já foi garfado pelo Botafogo? O Corinthians não roubou o Inter em 2005 e na Copa do Brasil ano passado? Aliás será que o Flamengo merecia ser campeão ano passado? Ou melhor, será que o Flamengo já mereceu conquistar um campeonatozinho sequer em toda sua existência?

    Alguns de vocês podem dizer: ” Esse cara tá maluco,onde houve injustiça quarta?” Aí eu pergunto: ” Onde estavam os fogos e sinalizadores ? Porque proibiram os sinalizadores ontem? Porque pro Santos foi permitido e pro Vitória não? Não quero saber se isso influiria no resultado ( eu acredito que sim ) ,quero saber que se foi permitido para um e proibido para outro houve INJUSTIÇA. E não há campeonato que eles vençam sem essas coisas. ELES SÓ VENCEM DESSA MANEIRA. SEMPRE EXISTE UM FATO EXTRACAMPO QUE PESA NO RESULTADO FINAL DAS PARTIDAS. TODOS SEUS TÍTULOS SÃO MACULADOS E UM SÓ NÃO SE SALVA. FATO.

    Depois se perguntam porque os times argentinos vencem as Libertadores e nós não… Simples. Porque na maioria das vezes os campeões no Brasil são fabricados. Ponto final. Sabe quando esse time de moleques do Santos vai ser campeão da Libertadores? NUNCA! Porque não mereceram ser campeões, ficaram com o título porque tem mais dinheiro e são os queridinhos da Rede Globo, essa desgraça,essa miséria , essa doença chamada Rede Globo. E quando eles perderem e forem desmoralizados, como o foi o Flamengo na Libertadores, eu vou rir, e MUITO !!!

    Não estou criando desculpas, porque faria? Se nem meu time estava lá? Denuncio isto porque o que o Vitória sofre hoje, o Sport sofreu ontem e sofrerá fatalmente amanhã. E isso acontece porque eles SABEM, SABEM que se deixasse sozinhos o Vitória e o Santos o resultado seria diferente. SABEM que sem essas interferências clubes como o Santos,o Flamengo e o Corinthians não teriam chance alguma contra nós. E isso ocorrerá até que O DIA chegue, e esse meu amigo, cedo ou tarde vai chegar. É preciso que corra sangue para que eles aprendam. Então veremos sua hipocrisia transformar-se em lamentações…

    Podem arrancar nossos corações mesmo assim nunca nos vencerão, porque sabemos a verdadeira natureza do heroísmo. Pois não é de fatos assim que surgem os mártires? Podem se vangloriar e festejar mas sabemos que, no fundo dos corações, no cerne dos espíritos, ELES SABEM que verdadeiramente não podem competir conosco. Pois somos superiores. Sem mais amigos. PST!

    • Ed Nezer Says:

      Quéisso, rapaz ? Um texto lindo, eu aqui até com certo arrependimento da vitória do Santos – também tenho um filho que quero que assista o Brancaleone comigo – e você vem vociferar contra tudo e contra todos ? As finais foram decididas pelo placar na Vila Belmiro, onde por milagre o Vitória escapou de tomar uns 6 – o “queridinho da Globo” criou trocentas chances. Assim é o futebol. No segundo jogo o Vitória foi melhor, fez jus ao resultado. Opinião cada um tem a sua. Estupidez é outra coisa. fique com a sua.

      • Thales Says:

        Então me responda por que o que foi permitido na Vila Belmiro foi proibido no Barradão? Porque o Vitória jogou desfalcado nos 2 jogos e o Santos não? Agora tu vens aqui posar de bonitinho? Seja homem uma vez na vida e reconheça… PST!!!

        PS: Nunca vi ladrão se arrepender de roubar o que quer que seja.

  35. Rodrigo Falcão Says:

    Franciel,

    Ontem preferi não escrever nada, a ninguém, a respeito do que vimos no Maior do Estado, aquele campeonato escapando pelos dedos.

    Ainda hoje, estou somente com “meias palavras”.

    Mas, é isso: “o título não veio, mas ainda virá.”

    Um forte abraço,

    Rodrigo Falcão.

  36. joana Says:

    Ai Sêo Françuel, esse seu texto emociona a gente. Grande Sandrinho, menino sensível, que tem mais as suas marcas do que você consegue enxergar. Só podem ser belas marcas pelo tamanho do amor e carinho que você sempre demonstrou dedicar ao filhote. Bjs pros dois.

    PS: Aproveitando, Feliz Dia dos Pais.

  37. GUSTAVO Says:

    Não sou torcedor do Vitória, mas gostaria de parabenizar o autor do texto…quem é pai sabe o que isso significa…pequenas coisas, poucas palavras…um olhar lindo…vindo de nossos filhos nos transmitem a força para tudo conquistar. Felicidades. Deus abençoe você e seu filho.

  38. DanCaribé Says:

    Seu França, lindo texto! Minha primeira lembrança feliz foi o título de 85, na já demolida Fonte, comemorado nos ombros de meu pai. Nosso time era muito pequeno ali, menor do que eu era com apenas 3 anos. Você vai ter essa alegria também, em breve, porque quem viu aquele time na quarta-feira em campo não tem como não ter orgulho, não tem como não querer vestir aquele camisa. Felizmente nosso time cresceu mais rápido do que eu e hoje, com toda certeza, ele é imenso. Foi o nosso último dia de Brancaleones…

  39. TetraVice Nacional Says:

    O Itaú entrará com uma ação por danos morais contra o Vicetória. Seus torcedores, inconformados com a perda do titulo, estão quebrando as placas publicitárias para arrancar as estrelas!

  40. O sonho acabou, só tem Pastel Says:

    rir é o melhor remédio!

    http://www.bbmp.com.br/?p=2640

  41. DanCaribé Says:

    Seu França, lindo texto! Minha primeira lembrança feliz foi o título de 85, na já demolida Fonte, comemorado nos ombros do meu pai. Nosso time era muito pequeno ali, menor do que eu era com apenas 3 anos. Você vai ter esta alegria também, em breve, porque quem viu aquele time na quarta-feira em campo não tem como não ter orgulho, não tem como não querer vestir aquela camisa. Felizmente nosso time cresceu mais rápido do que eu e hoje, com toda certeza, ele é imenso. Foi o nosso último dia de Brancaleones…

  42. Anrafel Says:

    Textaço!

    Eu sei um pouco dessas coisas. Meu filho dormia embalado por Bach, almoçava com o Disco da Vaca, tinha Saltimbancos, Arca de Noé e quejandos. Debalde. O sacaninha não perde um show de fuleiragem-music.

    As leituras recomendadas em casa serviram para despertar-lhe o gosto, que hoje vai pouco além do material da faculdade e da página de esportes (talvez as leituras recomendadas/impostas pela escola tenham travado o pleno desenvolvimento, sei lá).

    Mas, numa coisa fui bem sucedido: gosta, e muito, de futebol. Noutro quesito também puxou ao pai: entorna uma cerveja na maior competência – calma, o cidadão tem 25.

    Parabéns. Ler esse post na festinha do dia dos pais vao dar uma tremenda credibilidade à tarde de domingo.

  43. Anrafel Says:

    “… vai …”

  44. Denis Carvalho Says:

    Caro senhor Sergio Costa,
    se não compreendi o artigo do citado jornalista, é porque o mesmo não foi concebido com suavidae e nem mesmo com bom humor.
    a consultoria espanhola sobre como fazer um jornal não ensinou isso a voces?
    Ou então, isso é bom humor espanhol.
    Eventuais imprecisões são feitas a partir de ‘sangue’ de pessoas que se dizem jornalistas e na verdade são recalcadas por aspectos clubístcos diferenciados pelas cores dos uniformes.
    Se o ‘jornalista’ é torcedor do Flamengo, ele é tabareu que veio a Salvador ganhar a vida e se acha ‘baiano’. Não me comparo, ou melhor, o Paulo Leandro já destilou o veneno na nota sobre o Vitória em Santos. ‘Vamos lá Vitória contra o preconceito dos sulistas. Vamos mostrar nossa força.’ ( Deu vontade de vomitar!).
    Não tenho itenção de ficar alienado do resto do estado.
    Vá consultar seu patrão, ACM jr, sobre ser baiano e respeitar as opiniões diferentes, tanto a distribuição de verbas públicas na propaganda como sobre esportes praticados por dois grupos de homens, diferenciados por cores dos uniformes.
    O ‘grampinho’ antes da consultoria espanhola, teve uma ideia melhor. Fechar o jornal e colocar um bando de jornalistas com espirito baiano na rua.
    Desejo ao ‘pasquim da paralela’ o devido fechamento com votos de que os melhores jornalistas de espirito baiano, tenham o bom humor de procurar emprego na assessoria de imprensa dos apaniguados e outro locupletadores de verbas públicas.
    Se voces procurarem novamente a consultoria espanhola sobre como fazer um jornal, vão ter essa resposta.
    Vão tomar no cú.

    From: Sergio Costa
    Sent: Friday, August 06, 2010 7:47 PM
    To: Denis Carvalho ; jairo.junior@redebahia.com.br ; marcelo.santana@redebahia.com.br ; Paulo Leandro
    Cc: mais@correio24horas.com.br
    Subject: Re: cancelamento assinatura
    dos sulistas .

    Caro senhor Denis Carvalho,

    Agradecemos a sua leitura sempre atenta do jornal ao longo das últimas décadas, assim como a sua colaboração crítica, ainda que nos termos expressos.

    Esperamos que tal forma de se expressar tenha contribuído para amenizar o seu estarrecimento diante dos fatos relatados, dos mais recentes, aos guardados por tanto tempo com tamanho fervor.

    Lamentamos que não tenha tido o desejo de compreender o artigo do citado jornalista da mesma maneira como foi concebido, com suavidade e bom humor,
    mas mesmo assim respeitamos sua opção contra o “espírito baiano” citado no texto.

    Tentaremos corrigir eventuais imprecisões que levem a uma interpretação indesejada de relatos e edições sobre eventos de esportes com bola, praticados em gramados por dois grupos de homens, diferenciados pelas cores dos uniformes que defendem na disputa pelo maior número de pontos.

    Compreendemos as paixões que tais embates despertam, assim como temos consciência de que as derrotas de determinados agrupamentos esportivos, por mais dramáticas e dolorosas que pareçam, não têm os efeitos definitivos que aparentam num primeiro momento. As derrotas e não-conquistas são efêmeras. Acabam substituídas na sequencia por novas vitórias e eventuais derrotas. Entender isso ajuda a desenvolver o espírito esportivo.

    Ficam os votos de que a sua afirmação sobre ser “soteropolitano” não esteja tão radicalmente alienada do corpo do resto do estado do qual a capital faz parte, como faz crer nas palavras escolhidas para a sua mensagem,

    Atenciosamente e sempre à disposição para quaisquer outros esclarecimentos

    >>> “Denis Carvalho” 08/06/10 6:54 pm >>>

    Boa tarde,
    Vi a capa da edição de ontem, 05/08/2010, e fiquei estarrecido com a falta de respeito com o E.C. Vitória.
    acabei de solicitar o cancelamento da minha assinatura do jornal CORREIO.
    Leio e assino 4 jornais ( Folha de SP, Correio da da Bahia, A Tarde e Tribuna da Bahia), e nunca vi tamanha falta de respeito com a imagem de outra pessoa ou instituição.
    Tive na memória aquela montagem fotográfica de Waldir Pires fazendo posições ‘pornográficas’ na eleição de 1986. O finado senador jogava duro e desonesto com os adversários.
    Vi a capa de ontem e lembrei-me do finado e do seu filho, tricolor ‘doente’, que muitos já viram na fonte nova rezando para seu time ganhar.
    O presidente do Viória já disse em uma roda de conselheiros do Vitória que fez uma visita ‘cordial’ ao atual senador pela Bahia, ACM jr, queixando-se do tratamento desigual e parcial contra o Vitória. O mesmo respondeu que era um problema da editoria de esportes, mas que procuraria saber da situação. Deve ter sabido da intenção e se divertido muito com ela.
    Agora o pior é o Jairo Costa Jr, que se diz jornalista e torcedor do Flamengo, deve ser mais um tabareú que veio pra Salvador ganhar a vida, sim, pode me chamar de preconceituoso, dizer que que o jornal teve o reconhecimento da imprensa esportiva nacional pela ousadia e coragem.
    Muitos carlistas tambem reconhecem a ousadia e coragem das matérias sobre a oposição ao carlismo na Bahia.
    Ele diz na sua nota que a idéia do escudo ‘nasceu’ na vogal ‘u’ com rima fácil. O rapaz tem uma imaginação fácil.
    Tambem diz para não perdemos o bom humor e para encerrar a ‘nota’ joga uma praga no velho ‘Jahia ‘.
    Paulo Leandro e Jairo junior são o pior que existe no jornalismo esportivo, fazem ‘aquilo’ e tentam sair de lado falando do bom humor e jogando praga.
    Desejo aos dois e aos que compartilharam a materia da capa, o pior do jornalismo. A má fé na interpretação dos acontecimentos e a parcilidade nas condutas das matérias.
    Um lembrete. Como soteropolitano não tenho esse espirito baiano, tambem pouco importa, não vou ler mais o jornal de vocês mesmo.
    Até nunca mais.
    Denis Carvalho

  45. RADI Says:

    Após aquele belo espetáculo no barradas,melhor coisa que lí até então,fantástico

  46. Cortez Says:

    Sou Bahia, mas confesso que gosto de ver o Vitória disputar uma final de competição nacional. É como assistir a um episódio de Chavez, a gente já sabe como termina, mas vê de novo só pra dar risada. 😉

  47. Aura Says:

    Bravo!

  48. Tere Says:

    FODASTICO, SEMPRE!!!

  49. Marcus Says:

    Volto aqui para falar o que tive vergonha de dizer lá no começo desta lista de comentários, mas como a confissão foi feita por outros, vai aqui também meu testemunho: marejei.

  50. Júnior Touché Says:

    Você é um espadachim das palavras. O mosqueteiro pronominal do Nordeste de Amaralina.

  51. O discreto charme de um campeão | Victoria Quae Sera Tamen Says:

    […] E, se eu fosse um tanto mais cretino, começaria a falar da peleja propriamente dita lembrando que MEU FILHO  é torcedor do Cruzeiro. Mas livrarei vossência dessa novela […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: