Mais 15 minutos do ano da graça de 2010

Os puristas vão dizer que a língua portuguesa está entre as dez mais faladas do mundo, que temos uma enorme variedade de vocábulos, que nosso vernáculo possui palavras cuja etimologia vem do grego, do latim, do árabe, dos dialetos indígenas e africanos, que a riqueza da língua de Camões é retratada também na sua infinidade de palavras, que etc e coisa e tals e bam, bam, bam caixa de fósforo.  (É óbvio que os puristas não falariam bam, bam, bam. Coloquei isso apenas em homenagem ao novo atacante Rubro-Negro) 

Mas, derivo.

O fato é que os puristas têm o direito de glorificar o que é nosso apelando até ao velho jus sperniandi, mas em verdade vos digo: Na noite de ontem, quando assistia à peleja entre o Vitória x Esporte Clube Primeiro Passo (ECPP), não consegui achar nada na língua portuguesa que fosse capaz de traduzir o lamentável espetáculo.  A única expressão que me vinha à mente era a francesa dèja vu (que os afrescalhados pronunciam dêja-vi, com biquinho e as porra). Aos incultos, traduzo de forma resumida:  dèja vu significa a sensação de algo já visto.

Pois, amigos ouvintes, foi exatamente esta sensação que tive ontem ao ver um time sem criatividade, desprovido de força ofensiva e ainda dando as tradicionais bragas na zaga. Lembrou-me a equipe ordinária do início do ano. 

PUTA QUE PARIU AS MÁS RECORDAÇÕES!!!

E quando eu já ia me convencendo de que o ano não havia começado, que ainda estávamos naquela zona cinzenta do calendário, que o Leão novamente tava de Bode, eis que finalmente Ramon saiu de campo e o time voltou a jogar algo parecido com futebol.

É fato que Elkesson, seu substituto, nem é este caldo de cana contaminado todo, mas entrou em campo e novamente incendiou o time. Foram 15 minutos que confirmaram que 2010 já começou. Ato contínuo, recordei-me de um e-mail que recebi do leitor  Claudio Luís Pereira Reis, comentando meu último pronunciamento. Ouçam também, em negrito.

Meu caro,  beleza? Ótimo texto. Estava morrendo de medo que esse ano nunca começasse. Acho que isso só ocorreu devido a presença de um jogador no meio que “consiga” driblar no sentido do gol. O escolhido para o novo esquema foi Elkesson, mas poderia ter sido qualquer um que executasse a ação. Sem um jogador de meio que ultrapasse seu marcador partindo para gol e levando consigo os outros meias e os atacantes, seria impossível ganharmos uma partida com convencimento. Hoje, por exemplo,  contra o time de Vitória da Conquista voltaremos a ver  lentidão e futebol burocrático. Se o adversário quiser, seremos facilmente marcados. Domingo passado em umas 4 ou 5 oportunidades o time tabelou na entrada da área inimiga e entrou de bola, inclusive com tabelas bonitas entre Elkesson e Junior. Tudo isso por causa da condição de um meia driblar seu marcador. Simples, não é?”

Pois é, meu caro Claudio, é muito simples. O problema é que muitos são inimigos da simplicidade e procuram o caminho da burrice. E do passado. Eles não querem ver que o novo sempre vem – nem que seja por breves 15 minutos.
P.S. Prometi que explicaria os porquês de Cabelo de picapau amarelo tá brocando tanto. Promessa é dívida. Tenha sua calma, minha comadre, que explicarei em breve.

Anúncios

12 Respostas to “Mais 15 minutos do ano da graça de 2010”

  1. Lucas Serra Says:

    O problema é que Elkeson pode não jogar o futebol que apresentou nessas duas últimas partidas, a não ser que só jogue na posição correta.

    SRN

    Lucas, não foi só nestas duas últimas partidas, não. No segundo tempo contra o poderoso Curíntia, quando Ramon saiu, Elkesson comeu a bola. Mais uma coincidência.

  2. Albenes Says:

    Assisti ao jogo em Vitória da Conquista, e ratifico tudo que você disse, o jogo só começou de verdade após a entrada de Elkesson, pelo visto ainda iremos sofrer muito nas mãos de Ricardo Silva, pois não sei que misera é essa de insistir com Bida e Ramon

  3. borba Says:

    Novidade? Nenhuma. É isso mesmo, e só isso. Grato.

  4. Lionel Leal Says:

    Franciel, tome cuidado, você pode ter cassada sua licença poética se continuar chamando aquele baba de ontem de “espetáculo”.

    Em tempo: acho que falar “Deja Vi” não se justifica nem para evitar a rima.

  5. Luis Joacy Says:

    E pra completar o cenário, ainda corremos o risco de ver o aprendiz de treinador medíocre ejetado do posto e, ato contínuo, o segundo retorno do intragável que se foi, que acaba de ficar desempregado!

  6. Victor Nyo Says:

    Concordo plenamente com o texto de Claudio Luíz, e atribuo essa evolução ao simples fato de jogarmos com um meia rapido e que dribla na direção do gol.

    No jogo contra o Atlético, Elksson paricipou das três primeiras jogadas de gol, nessa ultima quarta, participou de duas.

    Acho que Ramon pode sim jogar nesse meio de campo. Não digo em todos os jogos, e não digo 90 minutos, mas acho que Ramon pode ainda nos ajudar, mas só se tiver um meia rapido ao lado dele e dois atacantes na frente.

    O Vitória no inicio do ano matou Indio, colocando ele de centro avante, matou Ramon, colocando Bida ao lado dele, e matou toda a nossa criação.

    Chegou Shwenck. e o esquema com Ramon e Bida no meio matou ele, e hoje o cara é reserva, e as bocas malditas já dizem que o cara é carniça.

    Elksson entrou no time em alguns jogos, só que jogando no ataque, e o meio com Ramon e Bida matou mais um, e a torcida já execrava o menino.

    Acho que a zaga vem vacilando, e vejo pouco futebol em Nino… Mas acho que o time do Vitória pode render muito mais, se melhor armado.

    Quarta, eu estava disposto a não me irritar, mas não consegui… Mesmo com o time ganhando o jogo de 2×0 e com um jogador a mais em campo. Ricardo manteve 3 volantes até o final do jogo… u_u/

    E tenho dito…. Carajo..

    SRN.

  7. Logan Says:

    Acho que o que merece post seu é a formação usada por Ricardo, 4-5-1 sim senhor, agora muito mais ofensiva do que parece no papel, nessa nossa província não estamos acostumados com inovações e a tendencia é sempre esculhambar quem tem ousadia suficiente pra arriscar fazer algo diferente do tradicional, percebam que nessa formação os laterais apoiam bastante e um dos meias sempre encosta no atacante, no caso Elkesson vem fazendo isso, e muito bem pelo visto, agora não é por detalhe que quando o treinador deixou Ramon e Renato em campo, os dois meio lentos ainda, justamente por ainda não estarem em forma, o time jogou mal, porque essa formação depende mais da velocidade do ataque mesmo, e com a entrada de Elkesson o jogo mudou.
    Muita gente faz cara feia pros três volantes, mas vejam que Bida também apoia então quem fica mais atras sao Ueliton e Vanderson.
    Os corneteiros que pediram a cabeça do técnico depois de dois resultados negativos tem que prestar mais atenção no trabalho dele e ver que conseguiu sim dar um padrão de jogo, uma “cara” ao time, tem muita gente se mordendo com o sucesso do Vitória mais é verdade, não acho que esteja tudo as mil maravilhas não, mas estou acreditando bastante nesse time.
    Porém, pro brasileirão ainda faltam aí umas 7 ou 8 contratações, dessas umas 3 ou 4 pro time titular.

  8. Cury Says:

    Rapazes, não vamos perder o humor. O que importa hoje é que o goleiro do Vitória tem mais gols na temporada que o atacante do Bahia (Edilson)…

    • Victor Nyo Says:

      xD

      Por enquanto…

      Falando em gol, O cotonete gigante já tem 9 gols, em 8 jogos, e sendo que desses 8, em 4 ele entrou no decorrer da partida, e dessas 4, só uma vez foi no intervalo, no restante foi no fim do jogo.

      É só o meio criar um pouquinho mais, que ele não fica prá o Brasileiro.

  9. zé qualquer Says:

    péra aê, rapaz. ramon joga muita bola; e, pelo que vejo, tá muito difícil para o vitória conseguir arranjar um meia que o substitua à altura. elkesson devia ter começado o jogo no lugar de renato. este sim, enrolou o jogo todo, parecendo um poste desengonçado em campo. esse sacana que passou o ano passado todo na raserva do foguinho não me engana, não: é bola murcha, enchedor de linguiça.

    a correria de elkesson foi essencial para dar ao meio-campo do time o que faltava: velocidade. e, pelo visto, com o esquema tático atual, ele é imprescindível. mas não se enganem muito com o garoto, pois ele não passa muito disso — correria pura. acho que pode chegar a nível de williams santana em pouco tempo, mas não mais que isso. fora que, em jogo com mais importância, ele se esconde. mas, quanto a isso, um pouco mais de experiência resolve.

  10. hardlogin Says:

    bom, pelo que vi das análises abalizadas de v.exas., o tal de elkeson (também conhecido como filho de elke), vai bombar no brasileirão, ao lado de bam-bam-júnior… que os anjos digam amém!

  11. valmerson Says:

    http://valmerson.wordpress.com/2010/03/29/ecv-campeao-brasileiro-a-falacia-dos-35-mil/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: