Vindicta ainda que à tardinha

No me recuerdo se já ministrei aqui aulas sobre tão filosófico tema (se já, relevem), mas a verdade que salva e liberta é a seguinte: Convicção é uma bicha traiçoeira. Basta um descuido e…vupt, ela desembesta e nos deixa órfãos de nossos mais arraigados axiomas – se é que os axiomas podem ser arraigados. Mas, não importa. O fato é que nem mesmo as infalíveis certezas sobrevivem a esta lei universal.

Antes de prosseguir, aviso à praça: não pensem que este parágrafo acima é apenas mais uma embromação acaciana metida a erudita. Não é só isso. Tal tese foi comprovada empiríca e cabalmente no último domingo. Até então, acreditava piamente naquela tradicional classificação para os goleiros: Ou é maluco, ou é viado ou acumula as duas funções. Porém, depois de presenciar a atuação de Marcos, esta minha convicção esmoreceu. Percebi que há um outro tipo que habita a pequena área: os vingativos. E esta raça de gente não tem limites.

Vejam, por exemplo, o caso do referido guarda-metas.

No ano da graça de 1993, o Palmeiras formou o maior time de sua história. Foda-se a Academia. O escrete da década de noventa tinha muito mais craques do que o de 20 anos antes. E, mais importante: possuía no elenco um zagueiro com nome de zagueiro: Tonhão. Só este fato já bastava para comprovar a superioridade daquela equipe em relação à de Ademir da Guia.

Mas, derivo.

O fato é que Marcos, que já estava no Parque Antártica desde 1992, foi alijado daquele grupo espetacular. Não participou sequer de uma partida do Brasileirão/93, que terminou com o Palmeiras ganhando o título em cima do BRIOSO Vitória. Por conta disso, ele nunca perdoou o Verdão. E tramou sua vingança. Decidiu que, toda a vez que o time paulista fosse enfrentar o Rubro-Negro, ele entregaria a rapadura. Era uma forma de devolver a humilhação de que ele havia sido vítima.

Como vingança é um prato que se come frio, Marcos esperou exatamente uma década para colocar seu sórdido plano em prática. E, nas oitavas de finais da Copa do Brasil de 2003, ele realizou estripulias que fariam corar até o frangueiro Mazaropi, do Grêmio. Confiram aqui.

Pois muito bem. Quando todos pensavam que o traíra já tinha dado sua missão por encerrada, ele voltou a atacar. E novamente enojou o baba do Palmeiras neste último domingo. Para tentar tirar de tempo, Marcos largou a seguinte prosopopéia: “Mesmo se fosse o Manchester jogando no Barradão ia tomar sufoco”.

O golpe não funcionou. A entregada foi tão vergonhosa que chamou a atenção da diretoria do Palestra. Não foi à toa que Belluzzo disse que vai proibir Marcos de defender (defender é modo de falar) a meta palmeirense em jogos contra o Vitória.

P.S.1 Agora, vejam vocês se sobrenome não é destino. O referido goleiro foi agraciado na pia batismal com um Silveira Reis. É um traidor nato.

P.S.2 Este samba-protesto vai para João Gilberto, Dorival Caymmi e para a dupla sertaneja Zeno & Cesarotti.

Anúncios

19 Respostas to “Vindicta ainda que à tardinha”

  1. valmerson Says:

    Desde que o estádio Manoel Barradas passou a ser o mando de campo oficial do Esporte Clube Vitória, o retrospecto do time começou a mudar favoravelmente contra as maiores equipes do país. O Vitória quebrou o tabu de nunca ter vencido Palmeiras, São Paulo, Internacional, Flamengo e muitos outros justamente quando passou a enfrentar estas equipes na sua estruturada casa.

    Para ajudar nas estatísticas, todas as finais de campeonato baiano em que o regulamento deu o direito ao time de melhor campanha jogar a ultima partida no seu mando de campo, esta foi realizada no BARRADÃO, e só houve duas decepções durante todo este tempo 1998 (Bahia) e 2006(Colo-Colo), a hegemonia no estado e no norte-nordeste foi conquistado lá, e quando a competição é nacional o rubro negro também não decepciona, faz com que os adversários se tornem uma frágil presa.

    http://valmerson.wordpress.com/2009/09/16/barradao-nesta-selva-o-leao-e-forte/

  2. Chico que bateu no bode Says:

    Só abrindo um parêntese, como diria Michael Jackson:
    “Oh,
    A B C, é fácil como
    1 2 3, tão simples quanto
    do re mi, A B C, 1 2 3
    bebê, você e eu, garota
    A B C é fácil, é como contar até 3
    Cantando melodias simples
    amor pode ser assim tão fácil
    Cantando melodias simples
    1 2 3, bebê, você e eu”

  3. Macumbero Classudo Says:

    “Se fosse o Manchester…” O cidadão é rancoroso, mesmo. Não vai esquecer nunca a final do Mundial de 1999…

  4. Mateus Borba Says:

    Diaxo, agora eu leio teus textuos primero no impediments!

    • Franciel Says:

      Nem todos, Borba.
      Alguns vão pra lá e não saem aqui. Outros saem aqui e não vão pra lá. E ocorre o vice-versa também.

      Achou embolado?

      É porque você ainda não sabe o que vai acontecer no brasileirão.

      Vamos embalar e embolar a porra toda.

      • Mateus Borba Says:

        Tô ligado, Francis. Alguns até tem pequenas diferenças entre lá e cá, que eu já reparei.

        Mas tá deboa, não foi uma reclamação não, sua contribuição lá é tão importante quanto aqui.

        SRN

  5. Junior Black Says:

    Me dá o placar?
    frasqueirão minha caceta!!!!!!

  6. Mateus Borba Says:

    “Sabe o que é humilhação? É eu ter que aprender a cartilha do ABC. Tô usando esse nariz, mas não sou palhaço, não. Palhaços são eles (jogadores). Aliás, palhaços não, porque os palhaços dão alegria e o Bahia só me dá tristeza” – Samuel Santiago, torcedor do finado.

    CADE FREDSON, RAPAZ?

  7. Lacerda Says:

    Mateus eu sei aonde esta figura que vc perguntou está .
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKéé famosa dupla de 02 este que vc falou e outro de vulgo Carrera.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  8. iuri Says:

    Franciel,

    Contra sua tese, um único fato: Marcos salvou o palmeiras de uma derrota no primeiro jogo desse ano. Simplesmente o melhor jogador em campo na vitória do palmeiras por 2×1.

    Mas como sou a favor dos mitos – principalmente se favorecem o brioso Vitória – exclamo: que se danem os fatos!

    • Logan Says:

      Aí, no mínimo você está sendo esquecido, ou não lembra do gol marcado por Roger e anulado?
      A história do jogo teria sido outra não fossem os “erros” de arbitragem.
      Que eu deveria chamar de acertos, mas o fato é que “São” Marcos sempre foi nosso 12º jogador.
      Lembra do empate aqui ano passado? Três pênaltis claros cometidos por ele e não marcados por mais uns sopradores de apito.

    • iuri Says:

      Graças aos deuses (ou a jesus?) o blog tem copydesk.

  9. Hipopótamo Zeno Says:

    Como recebedor da homenagem, e apenas ressalvando que o Marcos é um grande boa-praça, desejo ao grande boa-praça Franciel o dobro de tudo que o Vitória amealhou no campeonato até aqui: em vez da 12. posição, o time merece a 24. E com méritos, diga-se.

  10. Hipopótamo Zeno Says:

    Ah, sim, vê se tu conserta o link acima do “brioso Vitória”, um oxímoro tão evidente que até a Internéte se recusa a linkar.

  11. Juvenal Says:

    Jahia eterno aspirante a Serie A e figurante da Serie B.

  12. Mateus Borba Says:

    Brocamos mais um.

  13. Fabrício Says:

    Agora é o complexo de Irmã Dulce às avessas!

  14. Juvenal Says:

    de manhã fazer chapatiii
    de tarde tomo o chimarrãoooo
    se a noite eu faço uma fogueira
    vou tocar meu violaoooo

    vai rolar o sooooom, vai rolar o sommmmmm
    e vai rolar UM BOM

    sfarjr0fjsafdsafahdsfaufduas

    BROCA ELES PORRA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: