Libelo contra Adriano

Para ajudar a parcela semi-alfabetizada da torcida que tem reclamado que escrevo difícil, quase incompreensível, tentarei ser didático. E começarei a aula de hoje explicando logo o que é libelo. Na verdade, roubarei as palavras do estudioso Leão Vieira Starling no seu livro Teoria e Prática Penal. Ouçam, rebain de miséra: “Libelo é a exposição escrita e articulada do fato criminoso das suas circunstâncias agravantes, quer elementares, quer gradativas, e das causas de aumento de pena, concluindo pelo pedido de aplicação ao réu da pena legal”.

Pois muito bem. É exatamente isso que vou fazer em relação a Adriano.

A Bahia, uma banda de Sergipe e o sol causticante (recebam) do semi-árido são testemunhas de que – apesar de todos as restrições que possuía em relação ao referido -, tentei até a vigésima quinta hora dar-lhe um crédito de confiança. E fiz isso mesmo sabendo que enfrentaria a fúria da turba ignara.

Porém, no dramático triunfo de ontem contra o Botafogo, Adriano mostrou que não merece nem mesmo minha vaia. A injúria, que já jogava pedra em santo fazia algumas rodadas, conseguiu um feito incrível: piorar substancialmente. E fez uma partida tão bizarra que nem mesmo o gol serve como atenuante. Ao contrário. Mostrou que mesmo balançando as redes ele não serve para a equipe.

E por quê? Ora, porque não tem o mínimo de personalidade, diria mesmo de hombridade. É fato que a torcida começou a pegar em seu pé logo no início do jogo. Porém, um profissional (eu falei, profissional) tem que ter o mínimo de estabilidade emocional para superar as adversidades. E se não tem estabilidade emocional, fato perdoável diante das circunstâncias, deve ao menos demonstrar amor próprio – já que não tem amor à equipe. Então, a única válvula de escape, a única rota de salvação, era o disgramado suar a camisa. Suar, não, encharcar, dando sangue para encher todas as bolsas do Hemoba.

No entanto, a carniça fez exatamente ao contrário. Ficou passeando em campo como se fora um craque, alguém da estirpe de, vá lá, um BUTRAGUEÑO DO NORDESTE DE AMARALINA.

Hômi, quá! Sinhô me deixe!

Aliás, encerro por aqui as observações sobre o referido. Ele já ganhou mais linhas do que merece.

Vamos, então, falar agora de jangada – que é pau que bóia. Amigos, em verdade vos digo: Este é o ano do Brioso TRI-TÓ-RIA. Há uma estrela nesta equipe que ninguém, nem Adriano (sai deste texto, carniça) conseguirá apagar. E foi por causa desta estrela que, mesmo tendo feito uma partida bisonha, a segunda pior deste brasileirão (só superando aquela vergonha contra o Cruzeiro), o Rubro-Negro saiu de campo com os três pontos. Inclusive, depois de pesquisar por 18 horas, 46 minutos e 27 segundos, constatei que é a primeira vez na história do Brasileirão que o Vitória decide por duas vezes seguidas a partida a seu favor no apagar dos refletores. Uma beleza.

E é por estas e outras maravilhas e mais alguns tiroteizinhos que ninguém consegue dormir aqui no pacato Nordeste de Amaralina. Ouçam os gritos da multidão entrecortados por algumas balas.

UMBORA TRI-TÓ-RIA, CARAJO! Pá, pá, pá UMBORA TRI-TÓ-RIA, Pá, pá, pá, CARAJO! PA, PÁ, PÁ, PÁ, PUM, PÁ, PÁ, PUM, PÁ UMBORA TRI-TÓ-RIA, CARAJO!

 

P.S Conforme afirmou este profético locutor, Carlos Alberto fez “a diferença positivamente no jogo”.

Anúncios

40 Respostas to “Libelo contra Adriano”

  1. Kant Says:

    Não! Não!
    Este Adriano não deixará cúmplices (L. Domingues, Vanderson, Robert, A. Martins), legiões de seguidores, asseclas ou coluio. Ele partirá tranquilo, sem alarde, devolvendo a dignidade a todos os seus coleg…oops, amigos de time.
    Vá em paz, Adriano. Ontem, vários jogares te incorporaram.
    Devolve tudo que parece seu.

    Abrçs!

  2. Leonardo Lima Says:

    Eu era uma das pessoas que estavam a presenciar a ridicularidade de Adriano(perdoem a redudância), o cara me jogou tão mal, tão mal, que me fez até lembrar de Claudio(aquele que também habitou aquele time de Itinga), lógico que na sua 2° temporada pelo Leão, pois na 1° ele jogou muito, e o pior o espírito ruim dele ontem parece que encarnou em outros jogadores tal como Apodi, só que Apodi tem crédito e sua atuação foi salva pelo gol da Vitória, já o satánas do Adriano, nem o gol o salvou da péssima atuação!

  3. Jorge Bassu Says:

    Ainda bem que voltaste a realidade da vida seu menino. O homem teve mais chances que O J Simpson antes de ir para o xilindreu.
    Um abraço

  4. Ernandes Santos Says:

    Nem vou ler este texto. Pra mim já bastou esta que você largou na caixa dos peito dos hereges antes do jogo:

    “P.S Anotem aí. Outro renegado pela torcida, Carlos Alberto, fará a diferença positivamente no jogo contra o Botafogo amanhã.”

    Não é feitiçaria, nem tecnologia. É sabedoria mesmo

  5. Jorge Nunes Says:

    Seu Fraciel, comente sobre a absurda fragilidade do sistema defensivo no jogo de ontem.Minha teoria e que a ausencia do garoto Uelinton(que vem jogando mais até do que Vanderson) tirou a capacidade de marcacao da nossa meiúca e provocou o chamado efeito dominó:Anderson,Wallace,Vitor Ramos e até Vanderson foram um desastre.

    • Franciel Says:

      Também cheguei a pensar nisso, Jorge Nunes. Mas o fato é que o time todo parecia que estava voltando ressaqueado de algum São João do interior.
      Até Leandro Domingues, que vinha comendo a bola, não jogou nada. E, VANDERSON, que ainda tem muito crédito, estava completamente morto.
      A zaga, porém, na verdade me pareceu nervosa por um fator subjetivo.
      Explico.
      O Vitória ganhava de 3 x 1 e os atacantes do Botafogo fazendo firulas, tentando demonstrar que eram craques e que jogavam muito mais que o Vitória. Às vezes, amigo, isto afeta o psicológico do jogador mais do que um gol contra. E os meninos, me parecem, sentiram isso. Até Wallace, que acho o mais técnico (não o melhor. O melhor hoje é Anderson), estava visivelmente nervoso. Teve um lance no meio que ele parou a bola e ficou sem saber o que fazer e chutou na canela do adversário dando um contrataque. VANDERSON fez um lance parecido.
      Mas, enfim. Acho que a pane foi geral. E a situação do gramado também contribuiu para a péssima apresentação. Aquele campo ali não presta nem pra vaquejada. E olhe que já havia 15 dias sem jogos lá. Porém, acho que os três pontos salvaram tudo.

      Abraços.

  6. Lionel Says:

    Franciel, era você andando na porta do Barradão enrolado em uma bandeira?

    Até pensei em ir pedir um autógrafo, mas eu estava acompanhado, e julguei que tal ato poderia depor contra minha masculinidade perante minha consorte.

    • Franciel Says:

      Se era eu, não sei. Estava tão embriagado que já não me lembrava quem sou. Mas, a bandeira era a do Vitória, sim.

      E pode falar à vontade, man. Não cobro ingresso, não. Apenas couvert artístico.

  7. Zé RN Says:

    O cara realmente não estava nem ai para o jogo e nem para as nossas vaias.
    Ele parece que estava pedindo p/ kh e sair.
    Tem que ser internado urgente, para um tratamento.
    Como pode um ser humano ficar tão desestabilzado com as críticas e vaias, daquele jeito?
    Pelo menos ele deveria se esforçar e mostrar força de vontade em acertar.
    Deus salve ele!

  8. canijah de moreré Says:

    Ontem eu vi com esse olhos q somente a terra há de comer as atuações dos jogadores q entraram no decorrer da partida. E constatei q, mesmo eles sabendo q o time tava uma merda, não chamaram a responsabilidade pra sí. Apesar de Robert afirmar lugar na equipe, e o menino Edson pecar pela inexperiência de um centroavante, e Berola com sutis toques de quem sabe, não rederem o esperado num campeonato tão difícil . Mas Apodi, Carlos Alberto e o Trioviratum (Martins, Walace e Victor) resolveram a parada com muito brio e sorte. Estes fizeram o torcedor sair do estádio ali viados e orgulhosos de ver um time com jeito de campeão.

  9. Logan Says:

    Ainda acho que Carlos Alberto não é volente, volante que não marca não existe, ele poderia jogar mais adiantado.

  10. Otto Bruno Says:

    Sorte. Este é o verbete que qualifica a pífia atuação, principalmente na segunda etapa, do amado Rei das Selvas. Apodi e o coitado excessivamente supracitado no texto acima, antes defendido e agora, com toda a justiça, atirado ao fogo do inferno, merecidamente (pode parecer redundância, mas é mesmo), caminharam em quase a totalidade do jogo. Carlos Alberto assumiu a função de armador, visto que Domingues era perseguido pelo seu marcador, um tal de Guerreiro, mas deixou uma avenida às suas costas, pois esqueceu das orientações de marcaçlão solicitadas pelo treinador. A zaga não acordou o jogo inteiro, salva por momentos de lucidez de Anderson. Até Viáfara apresentava claros sintomas de embriaguez, ou, na melhor das hipóteses, uma sonora ressaca de vinho Sangue de Boi… O coitado do Robinho deu o que tinha pra dar, e muito pouco…

    Mas, ao lado de tudo isto, como apresentado pelo nosso sempre competente Franciel, a luz está sobre a cabeça de Carpegiani e ilumina uma estrela que paira sobre o colossal Manoel Barradas. Por mais que o treinador tentasse, mesmo que inconscientemente, melar meu baba, nada faria com que o Leão saísse de seu próprio mando de campo sem os três pontos. Apesar de desarrumadas, boas presenças de Berola e Robert devem ser frisadas. Estas podem ainda cobrir o Leão de glórias futuras.

    Cada jogo é uma história. Não deixemos tudo por conta da sorte, que tem muito trabalho a acompanhar cada um de nós e ainda pensar no triunfo do Leão. Já mostramos que temos competência de sobra. Nos falta confiança e, talvez, um pouco mais de atitudes de repensamento em relação às atividades da semana, visto que muitos atletas deram sinais sérios de cansaço.

    Saudações sempre leoninas.

  11. geno Says:

    Para Logan!

    Mano Véio, concordo com voce. Este Carlos Alberto jamais poderá fazer a fuinção de volante. O cara nem marca, nem cerca, sobrecarregou o sistema defensivo, daí porque o Vitória tomou os 3 (três) gols e poderia ter tomado mais, injustiça seja feita.

    Naquele pedaço, na ausência de Uélinton, pela ordem devem jogar magal, ou até o renegado Bida, nunca Carlos Alberto.

    um abraço!

  12. valmerson Says:

    Franciel, você é muito mais do que um bom blogueiro, a sua capacidade de mudar de opnião(não por cicunstâncias de meros esultados), sem que qualque um que leia seu texto pense que foi um simples vira casaca, é fantastico, por isso fica mais uma vez o meu humilde elogio!
    felicidades…
    SRN
    Umbora Tri Toria Carajo! hehehheheheh

  13. Franciel Says:

    Geno e Logan; Logan e Geno,

    acabei de rever o jogo no PFC e não foi isso, não. O time todo jogou pedra em santo. Com dez minutos e 23 segundos Victor Ramos deu uma furada na frente da área, simplesmente bizarra. Se fosse no intermunicipal, o técnico de Cachoeira mandava ele pro chuveiro mais cedo.
    VANDERSON não deu sequência a uma jogada, idem para Leandro Domingues.
    Aos que chamam Carlos Alberto de lerdo, a TV mostra que ele dá um pique de mais de 30 metros, sai depois do atacante do Botafogo, chega antes, rouba a bola, bota a menina na frente, dá outro pique de 20 metros e mete a criança para Roger com uma categoria incrível. Isto sem contar que exatamente dois minutos antes ele correu o campo todo para tentar evitar um contrataque do Botafoto que o ataque alvinegro despediçou chutando em cima de Viáfara. Este, aliás, errou tiro de meta e até saída de bola com as mãos, também despediçado pelo ataque do Bota.

    E outra. Mesmo com o Vitória na frente, Laio, Batista e Victor Simões brincavam de dar olé na zaga. E isso em jogada individuais, sem participação alguma de Carlos Alberto. Agora, se vocês querem continuar discutindo, discutam com o videotaipe, não comigo. Vejam o jogo INTEIRO novamente, como acabei de fazer, e voltem.

    POis isto tudo que disse acabei de rever agora.

    Do segundo tempo, nem falo porque o time todo morreu.

  14. Roberto Morais Says:

    Franciel, o (Eu disse, hoje) lhe salvou no texto anterior.
    Adriano foi ridículo.
    Já venho há algum tempo questionando a titularidade dele.
    E outra, lhe vi ontem quando passei de carro, exatamente 42 minutos antes do jogo, comendo água, e logo percebi que a briga é muito boa entre os “esportes” praticar o futebol e levantamento de copo, só não sei em qual você se destaca mais, hehehe…
    SRNS.

  15. Fábio Monteiro Says:

    Eu até pensei que vc tinha enjoado de meu blog, pois estava aparecendo de caju em caju…hehehe. Viu que eu te falei que não tinha como defender Adriano? rsrs

    Abraços, Francis

    • Franciel Says:

      Fábio, estou sempre lá.
      Agora, por sua lógica, Adriano deveria ser absolvido, pois você reclamou aqui no texto anterior que ele não fazia gol. No entanto, ele fez – e mesmo assim não o absolvo.

  16. maoguima10 Says:

    Outra fator interessante: pela primeira vez no ano dá mais público no Barradao que em Pituaçu. Claro que um fator agravante para o meu tricolor, que está sob custódia do Gallo no Fazendão.

  17. paulo galo Says:

    Craque das teclas e da seleção baiana sub-50, vc registrou bem, mais uma vez, o que aconteceu dentro do campo, ontem.
    Carpegiane vai se afirmando um treinador consistente. Teimoso como todo bom treinador, é verdade, mas capaz de dar liga tática e gana a um time que não tem dupla de ataque. Vamos combinar, isso não é pouco.
    O cara barrou de vez seu colega de categoria, Ramon Menezes, e deu um claro sinal de que não vai hesitar em sacar Roger e Adriano. Berola e Robert estão diante de uma oportunidade de ouro. Oxalá sejam capazes de aproveitá-la.
    O baladeiro Nadson está de malas prontas para ir biritar em outro clube. Gostaria muito de vê-lo atuando pelas cercanias de Itinga, como insistem os boatos. Daria uma caixa de Engov para incentivá-lo a ir pra lá para a casa do caralho também, antes que me esqueça. Querendo levar Roger e Adriano, ganha mais duas caixas e um vale-pinga na venda de seu Argemiro, em Itapuan. Carniças, é sabido.
    Falando em grande times, acho que o Dunga carimbou o passaporte para a África do Sul em 2010, com o baile sobre a Itália ontem. Esse título da Copa da Confederações e um triunfo sobre a Argentina, em Buenos Aires, pela Eliminatória, vai dar o tom de como a imprensa irá tratá-lo daí em diante: o cara que devolveu à Seleção os brios perdidos na Copa de 2006. Haja saco pra aguentar nossa crônica desportiva…
    Um time que tem uma linha de atacantes com Robinho, Kaká e Luiz Fabiano (esse aí, me rendo, vive uma fase magnífica) pode perfeitamente ser dirigida até por Dunda, Alexandre Gallo ou Celso Roth que sobreviveria comemorando títulos.
    Cacete, falei demais, desculpa aí, fui…

  18. Lucas Rochas §iquilho Says:

    Mais um grande texto[risos]

    Me amarro na linguagem formal…o advogado rubro-negro.[risos]

  19. Lucas Serra Says:

    É Seu Françuel, deve ter sido difícil escrever sobre Adriano, o cara não deu uma dentro (lá nele), alipas, somente o gol, que se não tivesse feito as coisas estariam bem piores.

    Será que há esperança dele voltar a jogar só nos minutos finais das partidas? Quando todos já estiverem quase mortos em campo?

    SRN

  20. Logan Says:

    Ô sêu Françuel!
    É justamente por causa da categoria do cara que ele não deve jogar de voltante, um cara daquele no mínimo é um reserva de Luxo pra seu Leandro. Quando este estiver DORMINDO como no jogo domingo, Entra seu carlos alberto, ou agora que tem Leandro na esquerda seu PCC pode colo o velho 4-4-2 com os dois na frente, é uma dica. Agora só você viu motivo pra discussão, rapaz você é o único que eu conheço que consegue discordar concordando, meus parabéns.

    • Franciel Says:

      rapaz, não disconcordo de nada. Pra mim tá tudo quase certo. E vai ficar melhro ainda a partir da 12ª rodada quando assumiremos a dianteira do campeonato rumo ao primeiro título.

      E sempre achei ( e já falei sobre isto num texto) que Carlos Alberto é camisa 8. Sou de um tempo em que se respeitava a numeração das camisas.

  21. Logan Says:

    *colocar

  22. Renato K. Says:

    E eu que sempre pensei que libelo fosse aquele bichinho que avoa, que parece um lircóptro.

  23. Haroldo Mattos Says:

    Olá Franciel Butra… Voce esteve companheiro, na canoa de Adriano até o último instante, assim como fiquei praticamente sozinho na de PCC, tendo praticamente ficado de fora dela, na semana do Adriano de lateral-esquerdo. Dei aquele último creditozinho e não me arrependi. Hoje vejo que minha obstinação deu resultado e tenho mais companheiros neste barco.
    Adriano me enganou também amigão. Apostei aqui no seu blog e no de Fábio que ele seria destaque este ano. Me enganei. A promessa virou decepção e ele deve fazer companhia e Allan Dellon, Kleber e outros, que não deram prosseguimento no time de cima, àquilo que fizeram na base.
    Temos que ter paciencia com Elkesson. A torcida não pode vaiar o menino. Ainda é uma promessa.
    Robert deu azar. Ele não ia sair nunca mais deste time e Roger, com toda paciencia solicitada pelo Rei Fábio Monteiro, tem para mim, só mais este jogo do Santo André para mostar que tem lugar na vaga de Neto, quando este voltar da suspensão.
    Precisamos tomar uma latinha no Barradão domingo. Pelo tamanho das suas madeixas,não vai ser dificil te achar. Até por que nossa torcida não vai lá mesmo, e o estádio vai estar vazio de novo.
    Desta vez a desculpa vai ser o que mesmo?

    Espero que Seu Snow apareça também. Preciso saber dele em off, qual foi o jabá para tecer aqueles comentários do jogo de Buraquinho. Hehehehehehe.

    Te Amo Vitória.
    Sempre.
    Haroldo Mattos

    • Franciel Says:

      Meu velho,
      antes e depois do jogo fico mordendo o rabo da cobra na barraca de Sonildes, na saída do estacionamento.

      Quanto às suas observações, vamos à moda do velho Jack. Por partes.

      1º Nunca entrei em barca de jogador nenhum. Minha embarcação é o Vitória. Em relação a Adriano, especificamente, acho que ele entrou bem algumas vezes e noutras muito mal. Mesmo no “manifesto” em defesa do referido faço questão de deixar claro que ele estava jogando pedra em santo, mas cumpria uma função tática que (até aquele dia) não havia ninguém para fazê-la. Jackson e Willian estavam contudidos. Berola não creio que pudesse fazer a função. E Robert estava sem condições físicas até então, segundo o depto médico. Acontece que uma série de fatores complicou a vida de Adriano. Dentre elas o pito que Viáfara lhe deu no início do jogo. E ele não soube reagir.
      Aliás, se ele tivesse um mínimo de inteligência teria ganhado a torcida na hora que fez o gol. Bastava beijar o escudo, cerrar os punhos e depois bater palma para a torcida.

      2º Com relação a PCC, é fato que você fez uma fé cega no referido. Eu o critiquei ferozmente, principalmente nas graves experimentações contra o Vasco. Porém, mesmo quando descia a madeira, fazia questão de destacar que o referido entendia de bola. Bastava não inventar. Ele parou de inventar e meu baba começou a gerar.

      3º Concordo contigo. Acho que a torcida tem que ter paciência com Elksson. Mas, é que tem uma parcela de torcedores que se deixam emprenhar pelos ouvidos. Umas injúrias no rádio botam pilham, e eles comem.

      4º Em relação a Snowman, esqueça. Raramente ele vai ao estádio. Só vê jogo pela TV.

      P.S Ia esquecendo. Acho que o comparecimento da torcida tem melhroado, ao contrário do que estão pregando aí. Aliás, vou escrever sobre isso. E fazer a seguinte aposta. Domingo, memso num horário escroto, 18h30, e contra um time pequeno, Santo André, teremos mais de 10 mil pessoas.

      • Haroldo Mattos Says:

        Ok… Falei “canoa/barca” no sentido de defender este ou aquele personagem do ludopédio Vitoriano.
        Não defendi Carpegiani no escuro não. Antes de achar que ele poderia ser bom para nosso time, olhei seu retrospecto. Pequena bagagem, mas boa bagagem. Principalmente na Sel.Paraguaia, onde decedidamente o cara tirou leite de pedra.
        Ainda acho que nome não ganha jogo, mas ajuda.
        Por exemplo: Caso haja um jogo que voce participe, todos te marcarão de uma forma diferente, devido a reportagem Andrezina. Já se os comentários fossem denegrintes, ninguém te levaria a sério.
        Caso nosso tecnico fosse por exemplo, Ferreira. Ninguém no campeonato olharia nosso tecnico com respeito,mesmo que este estivesse fazendo um bom trabalho. Já Carpegiani, já esta sendo falado no eixo todo-poderoso e inclusive em blogs adversários. onde inconformados com derrotas, chorões tem creditado exclusivamente a ele, nossa performance. Tudo porque é Carpegiani. Nós, que acompanhamos o dia-a-dia do Rubro-Negro, é que sabemos e vivemos todas a suas invenções e o quanto esta sendo duro estar onde estamos.
        De qq forma, tomarei uma geladinha com vossa senhoria domingo,após os 3 x 0 do rubro negro.
        Haroldo Mattos

  24. Victor Nyo Says:

    Adriano não tem justificado mas… Eu ainda “estou na barca” dele.
    Adriano se for trabalhado melhor pela diretoria fica, e é nosso atacante titular ainda esse ano ou ano que vem, na Libertadores.

    Adriano tem potencial, e vai mostrar isso, o problema é que ele ainda não é maduro o sulficiente, sei que já devera ser pela idade, mas cada um tem seu tempo.
    Ele simplismente não sabe errar, quanto mais erra pior fica. Vide os ultimos jogos.
    Mas, ele já entrou e botou o Vitória pra jogar bola em algumas oportunidades, e nessas, me convenceu de que é bola.

    Ainda espero muito de Adriano, seja aqui, seja no Porto sendo elogiado pelo tecnico do Manchester…

    E tenho dito. u_u/

  25. Haroldo Mattos Says:

    Uellinton livre para o jogo de domingo. Graças a Deus!!!

    Haroldo Mattos

  26. Franciel Says:

    Aviso à praça. Amanhã este ressaqueado locutor volta ao batente.

    De nada.

  27. Fábio Monteiro Says:

    chegou a vez de elkeson, franciel!

    abs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: