Archive for 30 de maio de 2009

Carpegiani subiu no telhado

maio 30, 2009

Crise financeira internacional, gripe suína, teste nuclear da Coréia do Norte, desmantelos no Senado Federal e outras mumunhas do mesmo naipe ficaram reduzidas às suas verdadeiras insignificâncias depois que o jornalista André Rizek, do Sportv,  largou nesta sexta-feira santa a seguinte e única notícia realmente importante para os destinos da humanidade. Ouçam no genuflexório, hereges: “Vitória procura novo treinador: O clube baiano se cansou de Paulo César Carpegiani. Silas, do Avaí, já recebeu um convite”.

Ô, grória. Deus seja louvado!

Amigos, em verdade vos confesso: por dever de ofício, acompanho diariamente todos os noticiários há pelo menos 25 anos e, em todo este período, jamais li um informe tão alvissareiro. Repetindo.

Ô, grória. Deus seja louvado!

Alguns pessimistas, incréus, ateus, podem até achar (não sem razão) que é apenas mais um chute de jornalista, esta raça de gente ruim que não tem o mínimo pudor em falar exatamente o oposto do que acabou de anunciar. Não duvido – até porque nunca comi reggae destas injúrias.

No entanto, só o fato disto vir à tona através de um sacanildo radicado no Sudeste de Pindorama é sinal de que o menino Jesus finalmente resolveu atender às minhas preces. E digo isso não porque ache que os jornalistas de lá têm mais credibilidade do que os de cá. Nécaras. Dou uns pelos outros e não quero troco. O que me anima nesta chuvosa noite de sexta-cheira é que o assunto, como dizem os entendidos, entrou na pauta.

É claro que 97,38% dos torcedores Rubro-Negros já haviam percebido o esparro. Prova disso foram as diversas e constantes passeatas realizadas pela politizada população do Norte e Nordeste de Amaralina. Contudo, apesar de todo o barulho, a questão ainda não estava na ordem do dia. Na última terça-feira, por exemplo, uns jornalistas gaúchos e paulistas amigos meus (sim, pessoal, eu sou um cara tolerante e tenho amigos com estes defeitos) quase que me chamavam de louco porque falei que já havia passado da hora de Experimentalgiani partir a milhão.

Mas, derivo.

E retorno afirmando a seguinte e otimista prosopopéia: mesmo que o referido não caia (batam na madeira 86 vezes), ainda assim, já terá valido à pena. Afinal, não é possível que um homem, por mais pirracento que seja, continue a fazer invencionices, mesmo quando toda uma nação clama e exige  que ele siga pelo caminho da retidão, justiça e simplicidade.

E é por tudo isso que este rouco e cansado locutor, que andava meio sorumbático, recorreu agora ao velho e bom cepacol para bradar e gritar as palavras da salvação que emocionam até os inventores mais fajutos:

UMBORA TRI-TÓ-RIA, CARAJO!

Anúncios