NAS ONDAS DO RÁDIO

Não que eu deseje me exibir, me gabar ou posar de erudito. Isto, nécaras – até porque o Norte e Nordeste de Amaralina sabem que sou um cara razoavelmente modesto. Porém, a verdade que salva e liberta é uma só: Foi por influência do último livro do menino Saramago, recentemente desembarcado em minha cabeceira, que decidi fazer um ensaio sobre a cegueira e acompanhar a gloriosa peleja entre Vitória X Ipitanga pelos olhos e, principalmente, pelos sons alheios.

Assim, dentro desta escura estratégia, desliguei logo a TV e entrei na sintonia das ondas do rádio. E, amigos, em verdade vos adianto: é experiência que não desejo nem aos piores adversários, ia até dizer nem aos torcedores do Itinga, mas já faz tempo que eles deixaram de ser nossos rivais.

Pois muito bem. O juiz nem bem dá o apito inicial para a labuta e o locutor já começa uma gritaria dos seiscentos. E eu não sei se a pelota está sob nosso domínio ou se estamos sendo vítimas de um terrível bombardeio. Que loucura futebol clube! E as nulidades do futebol interiorano se agigantam na voz apressada do chefe da transmissão esportiva. E elas, as nulidades, me intimidam. Os cabeças de bagre do nosso adversário viram craques injustiçados nas palavras do locutor.

Ouçam.

“Lá vem Pelezinho, este conhece muito de bola, tocou para Patrola, Patrola ajeitou a menina, lançou para Caboré, que domina dentro da grande área e dispaaaaraaaa”. Nem espero ele terminar o aaaaaaaraaaa e repito as palavras de Irmã Dulce: “Fudeu Maria preá”.

Porém, para honra e glória de minhas 12 pontes de safenas, o infeliz grita: “paaaassaaaaa rente à (esta crase aí é por minha conta) trave esquerda de Viáaaaaafara, que não podia mais fazer nada”.

Suspiro quase que aliviado, mas é por pouco tempo. O locutor da Rádio Sociedade, que nem lembro o nome, pede a análise abalizada do comentarista Nilton Nogueira, o homem, o mito, o pentelho, que já foi narrador no século XV antes de Cristo. E meu suplício retorna, pois, com a voz empostada, ele larga a seguinte: “Meu querido, não compreendo como esta equipe do Ipitanga está na laterna do campeonato. É um time muito bom”.

Putaquepariu a mulher do padre!

Ajoelho-me no genuflexório. E rezo: “Mas, Senhor Deus dos desgraçados, logo hoje esta injúria de time inventou de jogar bola?”. Porém, nem o Santo Pai nem o locutor me escutam. E este prossegue: “Lá vai Caboré pela direita, que sujeito arisco, tocou para Pelezinho, este é cobra, atenção, vai marcar, preparou, apontou…pra fooooora”. O fiduma santa narra o “pra fooora” quase que com rancor. Realmente, esta imprensa esportiva baiana é toda vendida, toda tricolor.

E a agonia continua nesta batida até que sou salvo por quem menos espero: o assoprador de apitos Jailson Macedo de Freitas determina o fim da primeira etapa e também do meu sofrimento.

Raciocino-me todo e chego à óbvia conclusão: Porra de ficar cego. Foda-se Saramago e seu motorista. E ligo a gloriosa TV Record. Sem som, porque não joguei pedra na cruz para tanta penitência.

Pois meus amigos, o jogo não era nada daquilo que os abutres falavam na Sociedade. Menos de 10 minutos de bola rolando no segundo tempo e já estava 2 x 0 para o brioso Leão, com direito a pênalti perdido e as porra.

Decido, então, retornar à rádio no final para ouvir o que os canalhocratas iriam falar. A palavra, porém, está com nosso técnico Mancini, que, com a cara mais lisa do mundo, diz as seguintes e desconexas frases metidas a profundas. Coisas que só aos técnicos são permitidas. Às aspas. “Veja bem. Nosso time acabou descompactando no primeiro tempo”.

Time descompactando? Valhei-me, meus culhões de Cristo! Não agüento tamanha heresia e encerro assim esta transmissão. “Bem, amigos, boa noite. Muito obrigado pelo carinho da audiência e…

UMBORA BITÓRIA, CARAJO!“

Anúncios

20 Respostas to “NAS ONDAS DO RÁDIO”

  1. Mateus Borba Says:

    Porra Francis, 08:50 da madrugada e eu aqui no trabalho rindo do teu texto.

    Pois em tempo lhe digo, tu teve sorte de ouvir o 1° tempo do jogo e não VER a carniça do André Luis ciscando toda vez que a bola ia no pé do sacana.

    Três coisas: alguém tem que desiludir esse menino (com certeza alguém o iludiu, dizendo que ele é craque), alguém tem que ensinar ele a tocar uma bola de prima (se bem que isso não se ensina, já nasce no sangue), e UMBÓRA BITÓRIA, CARAJO!

  2. Lucas Serra Says:

    Ontem infelizmente não pude assistir pela TV e tb tive que ouvir pela rádio. Pelas palavras dos narradores, o nosso time era pra ter perdido o 1º tempo, mas no 2º tempo se redimiu e fez dois gols…

    Engraçado, parece com a partida do BAVI, o Vitória jogou melhor e não fez, foi no 2º tempo fez dois gols rápidos e venceu a partida… igualzinho…

  3. Terê Says:

    hahahahahahahahahahahaha

    Coitadinho do Saramago.Rs

    Concordo com o Mateus Borba!!Eu não sei como esse cara é titular do nosso brioso.E para meu desespero ele ainda faz um gol, ou seja, sinal que não sairá do time tão cedo. (Em verdade, o gol foi do montinho..)

    Avante Leão!

    UMBORA BITÓRIA, CARAJO!!!!

  4. Evandro Miserento Says:

    Pior que o nefasto efeito de uma bomba de fósforo branco em nossos ouvidos é ouvir VALERA e Edilson comentando PQP. Fiz o mesmo que o destemido dono desse bolicho, desliguei o som da TV e fiquei no rádio. Por fim não sabia mais o q fazer, se desligava o som do rádio e ligava o da tv . Melhor acompanhar as imagens da peleja e ouvir Pink Floyd.

    CARAJO!!!! UMBORA BITÓRIA

  5. Vlad Says:

    Franciel, eu sei que você já declarou que Neto Baiano conhece o ludopédio em 18 idiomas, mas até agora eu só vi um.
    Tá russo.

  6. Paulo Says:

    Sou torcedor tricolor e aqui estava espionando o front inimigo, quando deparei-me com o texto de Franciel. Não costumo nem ao menos dirigir uma única palavra a torcedor de tão baixa categoria, entretanto gostaria de parabenizar o referido Franciel por ótimo texto e pela oportunidade de constatar que apesar de rara, existe vida inteligente no lado rubro-negro…

  7. Janjão de Aratuípe Says:

    Deu em A Tarde: “Caetano Veloso vai a Pituaçu torcer e canta Hino do Bahia”

    Sei que a fonte não é recomendável. Sei também que o sujeito da ação é igualmente um desclassificado. Sem falar no time de Itinga, para o qual nem adjetivo tenho… Entretanto, tal enunciado serve para reafirmar porque Tom Zé é o maior dos Tropicalistas e também porque essa vedete santamarense vive a merecer uma surra de gato morto.

    Pronto. Sem mais.

  8. canijah de moreré Says:

    Estava com saudades de aparecer por aqui!!!!! Mas finalmente estou na área.
    Cara, eu vi o jogo (já que o som da tv tava ruim) e ouvi a narração pelo rádio (97.5 fm) e também constatei a mesma situação. Só não captaram o brado da torcida rubro-negra bonfinense bradando: “Uel, uel, uel, meu voto é de Gedel…”

  9. canijah de moreré Says:

    Janjão, o Sodomita do Recôncavo provavelmente convidará Cabelo de Q’Boa para tomar uma cachacinha com a Cafetina Centenária do Subaé, lá no bar do meu primo Rominho.

  10. Janjão de Aratuípe Says:

    Canijah, “tirante” seu primo que não conheço, o resto das criaturas que você mencionou eu troco por um saco de figo podre e nem quero volta.

  11. Renato K. Says:

    Janjão: ou não. 🙂
    Aliás, que bom saber que mesmo na Bahia tem gente que não suporta esse elemento. Ô veado mais chato, viu.

  12. Maurício Guimarães Says:

    Franciel, não posso deixar de ler suas colunas agora. Estou meio que sem saber como disfarçar meu gosto não pelo particular, pelo detalhe… Parece que eu prefiro a totalidade, o todo, não as bordas, mas o centro em detrimento de outras partes não tão importantes. Você foi fundo para provar que o Vitória é o time!

  13. Fabio Monteiro Says:

    Por que será que os treinadores gostam de neologismos? hehehehe

  14. zediobrá Says:

    mas comé isso gente? “parece que eu prefiro a totalidade, o todo, não as bordas, mas o centro em detrimento…” mas meu deus…

  15. zediobrá Says:

    inda teve o “você foi fundo”…

  16. Quiva Says:

    Muito bom, Sêo Françuel.
    Eu continuo achando que André Luis, quando menino, aprendeu os fundamentos do futebol com o seu tio, Edvaldo PT, inesquecível ponta-esquerda do Vitória (só que nessa época tinha Ricky para resolver).

    ô Mancini, vc que é inteligente e frequenta essa budega, bota o povo da base pra jogar (marquinhos e willians santana deram o gás dobrado para despontar no futebol)

  17. É isso aí Says:

    http://esportes.terra.com.br/futebol/estaduais/2009/interna/0,,OI3514498-EI12403,00-Vagner+Mancini+surge+como+favorito+nos+bastidores+do+Santos.html

  18. Marconi Leal Says:

    Isso que dá a pessoa não dominar a informática. O técnico simplesmente disse que o time estava zipado, mas com a entrada do Winzip no meio-campo tudo se resolveu.

  19. As hipérboles radiofônicas finalmente fizeram sentido « Victoria Quae Sera Tamen Says:

    […] Mais relatos sobre as ondas do rádio AQUI, ALI E ACOLÁ Gostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso […]

  20. Canal ECVitoria » Blog Archive » As hipérboles radiofônicas finalmente fizeram sentido Says:

    […] P.S.2 Mais relatos sobre as ondas do rádio AQUI,ALI E ACOLÁ […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: